04 outubro 2018

Resenha - Originais (Saga Lux #4)



Livro: Originais (Saga Lux #4)
Autora: Jennifer L. Armentrouth
Editora: Valentina
Páginas: 384
Skoob
Onde Comprar: Saraiva / Submarino

Daemon fará o que for preciso para ter a Katy de volta.
Após a bem-sucedida, porém desastrosa, incursão a Mount Weather, ele está tendo que encarar o impensável. Katy foi capturada. Sua única meta agora é encontrá-la. Destruir qualquer um que se ponha em seu caminho? Com todo prazer. Incendiar o planeta inteiro para salvá-la? Moleza. Expor sua própria raça ao mundo? Sem problema.
Tudo o que a Katy pode fazer é sobreviver.
Cercada por inimigos, a única maneira que ela tem de sair dessa é se adaptando. Afinal, nem todas as facetas do Daedalus são totalmente malucas, embora os objetivos do grupo sejam assustadores e as verdades propagadas ainda mais perturbadoras. Quem é de fato o inimigo? O Daedalus? A humanidade? Ou os Luxen?
Juntos, eles podem encarar o que vem pela frente.
No entanto, a pior de todas as ameaças esteve escondida o tempo inteiro. Quando as verdades vierem à tona e as mentiras forem enfim desmascaradas, de que lado o Daemon e a Katy decidirão ficar? E será que eles conseguirão, pelo menos, continuar juntos?



NÃO CONTÉM SPOILER!

Livros Anteriores



 “Vou salvá-la nem que para isso precise incendiar o planeta inteiro.”


Após o final avassalador de Opala Daemon se encontra vivendo seu maior pesadelo: Katy, sua gatinha esta nas garras de seus inimigos, fora separada dela sem poder lutar, sem poder impedir e isso esta quase lhe tirando o pouco juízo que lhe resta. O que eles podem fazer com elas? Que tipos de atrocidades ela deve estar enfrentando sozinha?

Ele não consegue nem pensar no que seria capaz de fazer se alguém machuca-la; ela era seu tudo, ele tinha prometido protegê-la e não conseguiu cumprir essa promessa. Mas ele a teria de volta, nem que para isso ele mostrasse para o mundo que aliens de fato existem, nem que ele tivesse que incendiar cada cidade. Matar? Sem problemas, pois a única pessoa que é capaz de despertar seu lado bom esta sabe-se Deus onde, aguentado sabe-se Deus o que.

Katy não imaginava cair nas mãos de seus inimigos, eles foram traídos novamente. Agora ela vivência seu pior pesadelo e se encontra sozinha em uma jaula de leões; mas ela não iria cair sem lutar, ela não desistiria, pois sua desistência implicava em sua morte e isso estava fora de cogitação. Agora ela não passa de um rato de laboratório, uma “coisa” a ser estudada, mas a única coisa que a fazia seguir em frente era a certeza de que Daemon iria encontrá-la e salvá-la desse terror.

 Mas às vezes nem o mais forte dos guerreiros escapam sem marcas; cicatrizes marcam sua pele, sua alma, e com isso tem o medo, o trauma e a incerteza. Mas ela não sucumbiria a dor e ao medo, e no fim desistir não era uma opção; não depois de tudo o que ela e Daemon enfrentaram para ficar junto. Ela só precisava aguentar firme mais um pouco, um pouco mais e um dia a mais mesmo que a dor seja insuportável, mesmo que o medo seja algo irrefreável.



“Para mim, a família sempre viera em primeiro lugar, e Kat era parte dessa família...uma parte fundamental. Ela era meu futuro.”

A cada dia longe de Kat, Daemon se despedaça um pouco; mas quando ele encontrá-la toda e qualquer dor infringida a ela será devolvido. E quando menos se espera eis que ele encontra sua gatinha, mas algo esta errado... Ela não parece mais a mesma Kat de antes, o brilho de seus olhos apagaram dando lugar a sombra da incerteza e do medo e ele nuca sentiu tanta vontade de matar quanto sentiu no momento em que colocou seus olhos sobre ela. Mas mesmo estando ali, toda temerosa, ela ainda era seu futuro, era sua família e ele faria o impossível para tirá-la do terror em que ela se encontrava presa. Daemon só não esperava que toda a dor vista em seus olhos, estivessem marcados em seu corpo, em sua alma.

Ele nunca se deparou com tamanha dor, com tamanho medo, com a incerteza do amanhã, era como se uma lâmina pairasse sobre a cabeça desse casal esperando somente o momento certo para acabar com eles. E com esses acontecimentos catastróficos o fim do mundo se aproxima.

De uma simples adolescente Katy nos mostra sua força, mesmo em momentos em que sabemos que se fosse a gente, não aguentaríamos um terço do que ela enfrentou. Mortes se fazem presentes, a dor da despedida  esta ali para nos lembrar que mesmo os melhores guerreiros uma hora caem. Vemos o que o amor é capaz de fazer com um homem, transformando ele em um ser implacável, impiedoso. Mas, além disso, temos raros momentos “leves” para nos tirar daquela tensão; Katy e Daemon estão... acho que nem todas as palavras do mundo seriam o suficiente para descrevê-los, quando eles estão juntos são como fogo e pólvora independente da situação em que se encontram.

“Aqueles beijos eram intoxicantes. Daemon deslizou os dedos pelo meu maxilar e desceu pela garganta, traçando um caminho com delicadeza.”



[-Minhas Impressões-]


Quero começar gritando: QUE LIVRO FOI ESSE? QUE LIVRO E QUE LIVRO!!!!

E é assim que começo a descrever minha experiência com Originais, quarto livro da Saga Lux e já afirmo de antemão: o MELHOR DA SAGA. O que iniciou com um mero romance adolescente acabou tomando caminhos mais maduros, um livro com acontecimentos de proporções inimagináveis. Tudo o que vimos nos três primeiros livros não chega aos pés com o que me deparei em Originais, eu não estava preparada para esse livro, não conseguia ler ele de uma vez; era necessário parar, tomar um fôlego e refletir sobre tudo o que vivenciei (pois é, não foi somente uma simples leitura, eu vivi e senti tudo ali).

Jennifer L. Armentrouth apostou em uma narrativa intercalada, onde nós podemos ter os pensamentos de Daemon Black expostos (eu ansiava por isso desde Obsidiana, primeiro livro da saga), vemos seus sentimentos que vão desde ao amor mais intenso, ao ódio a vontade de  matar se necessário para ter Kat de volta em segurança no lugar onde ela nuca deveria ter saído: seus braços. E mais uma vez pude me apaixonar por esse ogro que ama com tudo o que tem, com tudo o que é; pois meus caros leitores, as coisas com esse alien não são rasas ou superficiais.

Katy teve um amadurecimento simplesmente incrível, digno de palmas; ela mostrou o quão forte é, vemos a garra com que ela luta para sobreviver no covil do inimigo. E mesmo com toda a dor infringida, ela se mantém forte e percebemos que ali temos uma Girl Power  que só precisa terminar de mostrar para que ela veio.

Falar de Originais não é algo fácil pois apesar de ser o melhor livro da saga em contrapartida nos deparamos com um livro mais denso, tenso, forte, com sequência de acontecimentos nada fáceis de aguentar pois eram super fortes e eu mesma como fã da saga tinha que parar e respirar fundo para retomar a leitura. O que Katy aguentou calada é simplesmente surreal, as torturas, tratarem ela como um rato de laboratório onde poderiam furar, tirar, testar, forçar e machucar e ver o prazer que sentiam com isso era algo insano.

A autora simplesmente elevou o livro a um nível mais “forte”. Por vezes eu gritava: “vocês são loucos? A menina não é um objeto, uma propriedade onde vocês podem impor que ela aguente essas torturas...” por vezes era insano e eu era capaz de sentir a dor dela, o medo, a angústia e vontade de que aquilo acabasse. Ninguém aguentaria aquilo calado, ninguém. E quando Daemon a encontra devo dizer que as coisas pioram...

Em determinado momento eu estava chorando, tantas torturas para quê? Qual a finalidade daquilo? Se fosse eu estaria gritando para pararem e nossa protagonista esta lá firme e forte.

Definitivamente esse é um livro pesado, com mais ação e o receio esta lá em cada página, cada capítulo lido. E mesmo com um livro mais denso eu grito: LEIAM, essa é uma das melhores sagas que já li na minha vida. Independente de ter uma atmosfera mais carregada é um livro espetacular, onde vale super a pena. O sofrimento infligido é tão real, os sentimentos dos personagens passam a ser nosso e a autora trabalhou demasiadamente bem cada mínimo detalhe desse livro e ela já nos prepara para o GRAN FINALE que se dará em Opostos quinto e último livro da saga.

As cenas de romance devem ser destacadas aqui e exaltadas de tão belas e arrebatadoras que ficaram: o romance atinge um novo patamar e em momento algum deixa a desejar. Mesclando momentos apimentados, com a ironia que esse casal possui como marca registrada, pois tudo se torna leve e especial; você desejará viver um momento como aquele, como eles vivem.

Daemon já provou que seu amor por Kat desperta um lado animalesco/selvagem dele, mas na mesma proporção tem aquele lado romântico e gente quando o Daemon é romântico saiam da frente, ficamos com um olhar brilhando e suspiros não faltam.


“ Olhando para Kat, voltei a me apaixonar. Perdi meu coração. Quando ela sorriu, encontrei.”

Enfim, a saga Lux é aquela saga que têm altos e baixos e sua evolução é lenta, gradativa e cada livro nos deparamos com uma bomba, fora o fato que ela tem tudo para nos manter presos até o fim: Aliens no colegial, um romance impossível, um bad boy que nos leva a insanidade, uma protagonista desaforada (com a Kat as coisas são: toma lá da cá), leitora, blogueira e agora uma guerreira. Independente da situação em que se encontra ela esta lá, aguentando tudo calada. Não foge da briga e é uma companheira fiel e pronta para enfrentar qualquer coisa, ainda mais estando junto de quem ama e se importa.

E como se isso não fosse o suficiente, a autora finaliza Originais de uma maneira que me fez ficar em um estado emocional nada favorável, sem reação e a com a questão: e agora? Para onde vamos? O apocalipse é o mínimo. O verdadeiro inimigo sempre esteve perto, ali, bem debaixo do nariz de todos e só resta ler Opostos para descobrir (risos).

“Coisas sérias precisavam ser resolvidas. Decisões ás quais não poderíamos fugir teriam que ser tomadas.
(...)
Não importava o que teríamos que enfrentar, faríamos isso juntos. Saber disso me fazia sentir preparada.”


Inscrições Abertas - Participe !!


5 comentários:

  1. Como não li nenhum dos livros anteriores, é normal me perder com os nomes dos personagens. Mas como é uma série que namoro há um tempo, com certeza, deu para perceber a evolução dos personagens, o crescimento deles e claro, este amor que a cada livro enfrenta mais obstáculos.
    Daemon é um sonho..rs no bom sentido e vem provando seu amor.
    Com certeza, espero iniciar a saga o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ai, Meu Deus!! Eu quero gritar: PRECISO DESSA SAGA PARA ONTEM.
    Nunca tive muito interesse na Saga Lux, lembro que procurei a sinopse de Obsidiana e me deparei com um Alien. Pensei: que louco, não é pra mim. Mas nesse semestre me deparei com tantos comentários positivos e fui procurar resenhas do 1° livro e... POR QUE AINDA NÃO LI?
    Já li um livro da Jennifer e gostei muito, a escrita dela é maravilhosa, então, acredito que não vou me decepcionar. Ainda não consigo imaginar ele sendo um Alien...
    Originais me parece que é a capa mais diferente, e por essa resenha dá pra sentir, mesmo sem ler os livros anteriores, que é o livro mais forte, profundo e emocionante da saga.
    Já fico aflita só de imaginar ela sendo torturada.
    É lindo acompanhar uma série e se deparar com essa evolução.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eita que esse eu ainda não li... e devo confessar que de início torcia o nariz para essa série, sei lá, achava que não era para mim, sem falar nessas capas, eu acho todas um tanto esquisitas, definitivamente não são livros que eu compraria pelas capas, mas o conteúdo compensa muito, e fico muito contente em ter dado um oportunidade a série, estou ansiosa para concluir o mais rápido possível (coisas de leitora bipolar), fiquei bem empolgada em saber que a autora conseguiu manter o nível espetacular da série e já estou aqui aflita por saber que nossa mocinha vai sofrer horrores nas mãos desses bandidos sem coração, também amei saber que teremos o ponto de vista do Daemom (suspiros) estava mesmo precisando.

    ResponderExcluir
  4. Eu li apenas o primeiro livro dessa série e confesso que não curti tanto no início. Apesar de entender que é um livro introdutório e feito de um público adolescente, pelo próprio tema dos aliens e da guerra, eu esperava um pouco mais de ação. Acho, no entanto, que se eu persistir na saga é exatamente isso que eu vou ter aqui. Fico sempre contente de ver o amor entre um casal, mesmo com todas as diferenças, e como ele resiste a praticamente tudo. Gosto também do fato de a protagonista ter amadurecido tanto, acho que isso torna a personagem mais real e complexa. Acho que vou ter que ler os outros livros da série com urgência rs

    ResponderExcluir
  5. Oi, Byanca
    Conheci essa série faz pouco tempo, mas não tinha me interessado e as capas com modelos não me atrai.
    Mas de uns 2 meses pra cá vejo muitas pessoas comentando e fui pesquisar para entender do que se trata e gostei muito.
    Nesse quarto livro pude observar que os personagens evoluíram muito Kat esta forte, lutando pela sobrevivência na mão dos inimigos e Daemon disposto a tudo pelo seu amor, mesmo que suas atitudes custe sua paz.
    Agora é esperar pelo quinto livro, que essa série termine com chave de ouro.
    Beijos

    ResponderExcluir