18 setembro 2017

Dia de Quote [47]

No dia de quote de hoje, trago os trechos de um livro incrível de uma autora que eu amo: "Dias de Abandono" de Elena Ferrante, uma autora que com suas narrativas viscerais e cruas, conquistou meu coração e se tornou uma das minhas autoras favoritas da vida. Esse livro é o meu preferido da autora por trazer de forma única e original um tema como separação e o abandono que podemos fazer de nós mesmos. Ferrante é conhecida por ser o pseudônimo de uma autora italiana , que tem conquistado cada vez mais leitores.


Resenha: A Caixa-Preta

Título: A Caixa-Preta
Autor: Michael Connelly
Cortesia: Suma de Letras
Skoob / Goodreads
Páginas: 304
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Em 1992, Los Angeles viveu uma onda de protestos que deram início a vários dias de anarquia e violência. Foi quando o detetive Harry Bosch viu a fotojornalista Anneke Jespersen pela primeira vez assassinada à queima-roupa no fundo de um beco escuro. Na confusão da época, o crime nunca foi resolvido.Vinte anos depois, Bosch tem uma nova chance de solucionar o mistério. Um caso o leva de volta àquela fatídica noite, e ainda mais longe, aos campos de batalha onde Anneke fez registros sangrentos e crimes de guerra foram enterrados crimes que há décadas esperam por justiça.




Resenha - O Espantalho


Título: O Espantalho
Autor: Michael Connelly
Cortesia: Cia das Letras
Skoob / Goodreads
Páginas: 384
Onde comprar: Amazon / Saraiva

A carreira do repórter policial Jack McEvoy está por um triz. Demitido pelo jornal onde trabalhou por sete anos, o Los Angeles Times, que passa por profunda crise, ele é encarregado de passar seus últimos dias treinando sua substituta, Angela Cook, recém-saída da faculdade de jornalismo. Mas os planos de Jack são outros. Ele quer se despedir em grande estilo, assinando uma última grande reportagem. O tema escolhido: Alonzo Winslow, um pequeno traficante de 16 anos, encarcerado após confessar o estupro e o assassinato de uma ex-cliente. Jack quer usar o rapaz como personagem de um estudo de caso sobre os caminhos que levam ao crime, mas conta à mãe de Alonzo outra história para conseguir sua colaboração. Ele diz que quer explorar a possibilidade de que o filho dela tenha sido condenado injustamente. Mal sabem Jack e Angela, sua companheira na empreitada, que Alonzo de fato confessou um crime que não cometeu, e o verdadeiro assassino ainda está solto - e ciente de que o veterano repórter está em seu encalço.