21 julho 2017

Resenha: Piano Vermelho

Título: Piano Vermelho
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Skoob / Goodreads
Páginas: 320
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Ex-ícones da cena musical de Detroit, os Danes estão mergulhados no ostracismo. Sem emplacar nenhum novo hit, eles trabalham trancados em estúdio produzindo outras bandas, enchendo a cara e se dedicando com reverência à criação — ou, no caso, à ausência dela. Uma rotina interrompida pela visita de um funcionário misterioso do governo dos Estados Unidos, com um convite mais misterioso ainda: uma viagem a um deserto na África para investigar a origem de um som desconhecido que carrega em suas ondas um enorme poder de destruição.
Liderados pelo pianista Philip Tonka, os Danes se juntam a um pelotão insólito em uma jornada pelas entranhas mortais do deserto. A viagem, assustadora e cheia de enigmas, leva Tonka para o centro de uma intrincada conspiração.
Seis meses depois, em um hospital, a enfermeira Ellen cuida de um paciente que se recupera de um acidente quase fatal. Sobreviver depois de tantas lesões parecia impossível, mas o homem resistiu. As circunstâncias do ocorrido ainda não foram esclarecidas e organismo dele está se curando em uma velocidade inexplicável. O paciente é Philip Tonka, e os meses que o separam do deserto e tudo o que lá aconteceu de nada serviram para dissipar seu medo e sua agonia. Onde foram parar seus companheiros? O que é verdade e o que é mentira? Ele precisa escapar para descobrir.
Com uma narrativa tensa e surpreendente, Josh Malerman combina em Piano Vermelho o comum e o inusitado numa escalada de acontecimentos que se desdobra nas mais improváveis direções sem jamais deixar de proporcionar aquilo pelo qual o leitor mais espera: o medo.




Luz, câmera e ação [36]


Título: Power Rangers - O Filme
Data de lançamento: 24 de março 2017
Direção: Dean Israelite
Distribuição: Paris Filmes
Duração: 2h04
Gênero: Ação, aventura e ficção cientifica

A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Angel Grove - e o mundo - estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem sua forças como os Power Rangers, antes que seja tarde demais.



Jason, Kimberly, Zack , Trini e Billy são cinco jovens que não possuem nada em comum. Jason era a aposta da cidade como melhor jogador de futebol americano, até que numa noite, ele e mais alguns amigos resolvem pregar uma peça que acabou como ele posto em prisão domiciliar e com uma lesão destruindo sua futura carreira. Kimberly passou de garota  mais popular da escola para renegada apôs ferir uma pessoa. Billy é autista, e como tal, precisa de pessoas ao seu redor que o entendam, coisa que no ensino médio é dificil de se obter. Trini muda constantemente com a família e nunca pode criar raizes e amizades de verdade, e por fim, Jason precisa cuidar de sua mãe que está muito doente.

"A gente não se conhecia... Mas por algum motivo...
a gente tava no mesmo lugar e na mesma hora quando Billy achou as moedas."



Resenha - Apenas Uma Garota



Título: Apenas Uma Garota
Autora:  Maredith Russo
Editora: Intrínseca
Páginas: 240
Skoob
Onde Comprar: Submarino / Amazon

Prestes a entrar na vida adulta, Amanda Hardy acabou de mudar de cidade, mas a verdadeira mudança de sua vida vai ser encarar algo muito mais importante: a afirmação de sua identidade. Tudo que ela mais quer é viver como qualquer outra garota. E, embora acredite firmemente que toda mudança traz a promessa de um recomeço, ainda não se sente livre para criar laços afetivos. Até que ela conhece Grant, um garoto diferente de todos os outros. Ela não consegue evitar: aos poucos, vai permitindo que Grant entre em sua vida. Quanto mais eles convivem, mais ela se sente impelida a se abrir e revelar seu passado, mas ao mesmo tempo tem muito medo do que pode acontecer se ele souber toda a verdade. Porque o segredo que Amanda esconde é que ela era um menino.
Em seu romance de estreia, Meredith Russo retrata o processo de transição de uma adolescente transexual, parcialmente inspirada em suas próprias experiências. Enquanto traz à tona questões difíceis como dilemas existenciais, preconceito e bullying, o livro também fala de forma esperançosa e leve sobre amizade, descobertas e autoaceitação.