04 abril 2017

Resenha - Quatro vidas de um cachorro


Título: Quatro Vidas de um Cachorro
Autora: W. Bruce Cameron
Editora: HarperCollins
Skoob Goodreads
Páginas: 288
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Esta é a inesquecível história de um cão que — após renascer várias vezes — imagina que haja uma razão para seu retorno, um propósito a cumprir, e que, enquanto não o alcançar, continuará renascendo, Quatro Vidas de um Cachorro aborda a questão mais básica da vida: por que estamos aqui? Emocionante e com boas doses de humor, Quatro Vidas de um Cachorro é um livro para todas as idades, que mostra o olhar de um cão sobre o relacionamento das pessoas e os laços eternos entre os seres humanos e seus animais.








Luz, câmera e ação [30]


Baseado na história real que chocou a nação em 1965, o filme reconstrói um dos crimes mais chocantes já cometidos a uma só vítima. Sylvia (Ellen Page) e Jennie Fae Likens (Hayley McFarland), as duas filhas de um casal que trabalha com um circo são deixadas para uma estadia demorada em Indianápolis, na casa Gertrude Baniszewski, uma mãe solteira com sete crianças. Tempos difíceis, e as necessidades financeiras de Gerturdes (Catherine Keener), obrigam-na a fazer este arranjo antes de perceber como esta obrigação levará sua natureza instável a um ponto de ruptura.

Título: Um Crime Americano
Lançamento: 2008 (1h 37min)
Dirigido por: Tommy O'Haver
Com: Ellen Page, Catherine Keener, Hayley McFarland...
Gênero: Drama, biografia
Nota: 


Sylvia (Ellen Page) e Jennie Likens (Hayley McFarland) são duas irmãs que não possuem residência fixa, já que seus pais são circenses e por isso, não permanecem em um local por tempo o suficiente para que as filhas se adaptem à escola, igreja e amigos novos. Pensando no bem e futuro das meninas, eles decidem deixá-las na casa de Gertrude Baniszweski (Catherine Keener), já que elas parecem ter feito amizade com algumas de suas filhas e se dão bem. É claro que as meninas não gostaram da ideia de ficar tão longe dos pais e morar com uma família de estranhos, mas como não têm escolha, tentam se adaptar.