10 outubro 2017

Resenha - Por Lugares Incríveis

Título: Por Lugares Incríveis
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Páginas: 336
Skoob
Onde Comprar: Saraiva

Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de Geografia - visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem  pode finalmente ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.
                                                                 





Violet está vivendo em uma tristeza profunda por conta da perda de Eleanor, sua irmã mais velha, pois desde o  fatídico acidente ela sente que sua vida está em suspenso, já que em seu peito reside  uma imensa culpa pelo que aconteceu. Convivendo com essa culpa que ameaça sufocá-la a qualquer momento, ela acaba por tomar uma atitude extrema indo para o alto da torre do colégio para tentar dar fim a todo sofrimento que carrega no peito. Só que então, nesse momento crucial de sua vida, ela se depara com Theodore Finch, um colega de turma a quem ela não dedicou mais do que alguns míseros olhares ao longo de todo o tempo em que eles estudam na mesma escola.

" Você é a Violet, não é?
Ela pisca uma vez, e eu encaro como um "sim".
 - Theodore Finch. Acho que estávamos na mesma turma de matemática no ano passado.
Ela pisca de novo."

Theodore Finch é um adolescente considerado por todos como o esquisitão da escola e por causa disso ele não tem muitos amigos, podendo contar somente com a amizade fiel e verdadeira de Charlie e Brenda.

Enquanto Violet passa a vida contando os dias para enfim poder mudar-se da cidade onde sempre viveu, Finch vive seus dias a pesquisar na internet várias formas de cometer suicídio já que sofre de uma grave depressão. Convivendo com essa doença que por várias vezes o leva a ter sérios "apagões", por diversas vezes ele desaparece por vários dias e nem mesmo sua mãe nota sua ausência, e nem sequer percebe o que acontece com o próprio filho. É em momentos como esse Finch só pode contar com o apoio de Kate, sua irmã mais velha, que o ajuda inventando histórias para a mãe quando ela sente sua falta à mesa no horário das refeições da família, enquanto ele se encontra em outro lugar muitas vezes desconhecido por qualquer um.

A partir do inusitado encontro na torre da escola Violet e Finch tem suas vidas atreladas desde então porque para todos na escola foi Violet que impediu Finch de cometer suicídio e não o contrário. Mesmo sabendo que não foi  exatamente assim que as coisas aconteceram Finch decide deixar que todos pensem dessa forma, pois ele não quer expor o motivo da presença de Violet na torre. Desse momento em diante os dois estarão sempre juntos colocando em prática o trabalho de Geografia que os obrigam a estarem juntos visitando e conhecendo os lugares incríveis do estado onde moram.

" A vida de todo mundo continua, e talvez eu não esteja acompanhando. Talvez eu não queira. A única coisa que sou boa não sei mais fazer.
E nem queria fazer esse projeto, mas é a única coisa acontecendo na minha vida."

A convivência forçada faz com que eles comecem a se conhecer um pouco melhor e, por conta disso, Violet percebe que por  trás de toda fama de esquisito que Finch carrega existe um menino muito inteligente e sagaz, cheio de questionamentos e dotado de uma grande e exacerbada sensibilidade que o faz buscar respostas para suas inúmeras perguntas. Mas Violet percebe um lado obscuro da personalidade de Finch que a faz temer que ele venha a tentar algo contra a sua própria vida.

" E se a vida pudesse ser sempre assim? Só as partes felizes, nada das horríveis, nem mesmo as minimamente desagradáveis. E se a gente pudesse simplesmente cortar o ruim e ficar só com o bom?"

Desde o momento em que eles passam a conviver mais um com o outro Violet vai readquirindo o gosto pela vida e também por tudo o que ela julgava ser impossível de voltar a fazer, como dirigir, por exemplo, e ela sabe que isso se deve ao fato da presença constante de Finch em sua vida. Por outro lado, Finch começa a viver dias mais alegres e significativos ao lado de sua "UltraVioleta Markante" que é como ele passa carinhosamente a chamá-la. Mas nem tudo pode ser consertado dentro dele, pois em seu interior habita uma escuridão que quer tomar conta de sua vida por completo e talvez nem Violet seja capaz de salvá-lo de si mesmo.

"Você merece coisa melhor. Não posso prometer que vou estar por perto, não porque eu não queira. É difícil explicar. Sou problemático. Estou despedaçado e ninguém pode me consertar. Eu tentei. Ainda estou tentando."

Até que as coisas comecem realmente a se complicar na vida de Finch, ele e Violet juntos descobrem um lindo sentimento nascendo entre eles, e tudo por conta do trabalho de Geografia, que os levam realmente a vários lugares incríveis e que por conta disso passam a ter um grande significado e importância na vida de ambos, pois eles estavam juntos quando conheceram um por um. E isso fica gravado como fogo no coração de Violet. Mas seria isso o bastante?




[ - Minhas impressões - ]

Confesso que senti vontade de ler "Por Lugares Incríveis" a partir do momento em que minha filha me contou sobre a história do livro e como ela terminava. Isso provocou em mim um grande desejo de conhecer mais de Violet Makey, mas principalmente saber mais a respeito de Theodorre Finch. Um personagem cheio de contrastes e interessantíssimo aos meus olhos e que foi se descortinando bem diante de mim como alguém clamando literalmente por socorro, mas que não teve uma pessoa sequer prestando atenção suficiente para detectar os seus sinais pedindo ajuda. Violet estava ao seu lado, mas ela também carecia desesperadamente de ajuda, e Finch foi a ajuda de que ela precisava para voltar a viver, e por algum tempo ela também foi a dele, mas estava claro que eram situações distintas e que por isso mesmo precisava ter o máximo de cuidado possível para poder lidar com a situação de cada um.

O livro me arrancou muitas lágrimas em vários momentos, pois era nítido o sofrimento de ambos, mesmo em se tratando de situações diferenciadas vividas tanto por Violet quanto por Finch, pois eu conseguia sentir realmente o quanto eles estavam despedaçados pela dor, e como eles buscavam desesperadamente pelo fim dela.

Acredito que o livro venha servir de alerta para que todos nós estejamos atentos quanto aos claros sinais que são lançados quanto a questão que envolve o suicídio de adolescentes e jovens, quer seja por causa da depressão ou da perda de um ente querido.

A autora acertou em cheio ao tratar de um tema tão delicado quanto este, já que a mesma tem em sua história de vida familiar a perda de pessoas de sua família e também de um amigo mais chegado que um irmão e que, por isso mesmo, resolveu trazer para o livro essa realidade tão assustadora, mas extremamente necessária que seja abordada e debatida. Por isso eu volto a repetir, precisamos estar mais atentos aos sinais das pessoas que estão a nossa volta e que nos são demasiado importantes.

" Tenho mais medo do Só tome cuidado. Tenho mais medo da queda longa. Tenho mais medo do Apagão e da Morte Iminente, mas leve, Tenho mais
medo de mim."

Por Lugares Incríveis é o tipo de livro que devemos ler mais de uma vez, pois tenho certeza absoluta que a cada vez que o lermos aprenderemos mais e mais com ele, e nos emocionaremos também, pois ele trata de uma dor real e por muitas vezes completamente insuportável de sentir, e por isso mesmo com um forte poder de destruição do ser humano.

Se Inscreva e Participe!!!


15 comentários:

  1. Kaline!
    Escrever um livro que fala sobre suicídio e de forma delicada, onde os protagonistas acabam tirando essa ideia do pensamento e criam um vínculo mais forte e de dependência, é bem interessante.
    Nossa, enredo totalmente comovente, quase chorei só em ler sua resenha.
    Os desencontros e encontros que a vida traz, a descoberta da cumplicidade em um mundo criado apenas por eles, e o choque da vida real, digamos assim...
    Interessadíssima em poder ler essa obra tão salutar para nosso crescimento interior.
    Desejo uma ótima semana produtiva!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Que fantástico! Parece ser um livro tocante. Me sinto representada por Theodorre, luto contra a depressão e é bom ler um livro onde é abordado de forma não piadista. É um assunto sério é uma doença terrível. Passo por ela e sigo em frente por pessoas como Violet, que por um acaso conheceu alguém e ajuda essa pessoa (mesmo em um primeiro contato forçado). Vou adicionar na wishlist e recomendar para diversos leitores.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro, acho que por se tratar de um tema forte como o suicidio, todos deviam ler, pois as vezes nem percebemos que uma pessoa a nossa volta possa estar pensando em se suicidar, temos que ficar atentos aos sinais. A depressão também é muito perigosa, pois é a partir dela que surgem tais vontades de tirar a propria vida, além de outras situações, como a personagem da Violet do livro. O ser humano é frágil tanto física quanto emocionalmente dependendo da situação, acho que o livro serve de alerta para todos nós!!

    ResponderExcluir
  4. Em uma época onde o suicídio ganhou um destaque, infelizmente, tão bom se deparar com um livro assim.
    Que emociona, questiona e também, ensina.
    Como saber o que cada um carrega dentro de si? Se é só tristeza, vazio ou simplesmente, modinha?
    Quero saber mais da história destes dois sobreviventes e com isso, me emocionar também!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Não sabia que esse livro se tratava de um assunto bem comum na vida dos adolescentes de hoje em dia, que é o suicídio. Já ouvi muitas pessoas falarem muito bem do livro, e agora lendo sua resenha confirmo que devo ler muito esse livro!
    Amei a resenha, e suas impressões sobre os personagens e sobre a mensagem que está sendo passada por trás!

    ResponderExcluir
  6. Oi Kaline, tudo bem?
    Eu tenho muita vontade de ler este livro desde que eu vi o Hype por trás e descobri do que se tratava. Eu passei por 2 anos com depressão e por isso consigo imaginar a dor que estes personagens passam. Muitas vezes pensei em cometer algum ato extremo que pudesse tirar o sentimento ruim que estava em mim. Acho super importante que assuntos como depressão e suicídio sejam abordados em livros, para que as pessoas cada vez mais tomem conhecimento desses problemas e aprendam a lidar com as pessoas que sofrem com isso a sua volta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Kaline.
    Eu quero muito ler esse porém não sei se estou preparada para isso os personagens me lembrar algum dos livros que eu li anteriormente E se ele estiver a carga emocional de qualquer um deles sei que irei sair dessa leitura arrasada.
    Uma coisa que você falou e que eu realmente Concordo é o fato de que devemos prestar atenção nas pessoas que estão a nossa volta, porque apesar de ser algo mais fácil falar do que fazer, uma atitude tomada de maneira certa pode salvar a vida de uma pessoa.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Olá Kaline ;)
    Tenho a impressão de que vou amar esse livro! Sempre recebo indicações dele e sempre me é dito que ele é emocionante, não sei como ainda não o li kkkk
    Que lindo que você leu porque sua filha te indicou, adorei. Queria que minha mãe gostasse do mesmos gênero de literatura que eu gosto, quem dera!
    Gosto de livros que falam sobre temas importantes e que conseguem tocar o leitor de forma positiva, e acredito que Por Lugares Incríveis seja esse tipo de livro, que não só emociona mas ensina.
    Acho incrível quando autores conseguem expressar em suas obras dificuldades que passaram, é de se aplaudir. E como gosto de livros que me fazem derramar umas lágrimas, sem dúvida este vai me satisfazer nesse quesito kkkk
    Bjos e adorei a resenha S2

    ResponderExcluir
  9. Olá! Tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas ao ler a resenha, que é sempre ótima por sinal, me senti interessada. O livro vem com um enredo bem interessante e que com certeza merece ser lido.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Tenho livro e ainda não pude começar a ler. Sua resenha ficou ótima. Me deu mais vontade ainda.

    ResponderExcluir
  11. Olá. Esses livros que abordam temas relacionados ao sofrimento juvenil e adolescente são muito importante, especialmente pela questão da empatia e da conscientização. Infelizmente é o tipo de leitura que me faz muito mal (e por que não deveria fazer?), então eu evito. Mas é sim de extrema importância discutir esses assuntos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá Kaline,
    Já tinha lido sobre esse livro, mas nunca li.
    Acho importante o tema abordado nesse livro para conscientizar as pessoa.
    Acho que vou dar uma chance para esse livro, gosto de livros que me fazem chorar e que tbm ensinam uma lição.

    ResponderExcluir
  13. Tenho que dizer que esse livro tá na lista de desejos há mais de um ano, os outros sempre passam na frente, hehe. Mesmo não tendo lido, vejo a importância de um debate mais amplo sobre a depressão é o suicídio. Muito interessante o fato da fofoca espalhada ser o contrário do que realmente aconteceu, fiquei curiosa pra saber como chegaram a essa conclusão errada. Adoro demais também quando um personagem faz o outro desistir de uma ideia ruim sem ameaças, vi isso no livro Infinito + Um da Amy Harmon, e percebi que conversar é sempre melhor que ameaçar ou discutir nessas situações. Vou ler com certeza, principalmente porque você disse que abre o olho da gente para o suicídio, e como estou pensando em abordar esse tema em uma história creio que vai me ajudar muito!

    ResponderExcluir
  14. Oi Kaline
    Eu também amei este livro e sofri com ele, assim como você.
    Acho que todos os adolescentes deveriam ler também
    Adorei sua foto e seu post
    Bjks mil

    ResponderExcluir
  15. Oi! Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler esse livro ainda. Nunca tive contato com uma obra que falasse sobre depressão, e acho que isso me agregaria muito, já que não sei muito sobre o assunto. Que bom que o livro é capaz de nos emocionar. Só fiquei admirada por tu querer ler o livro depois de receber um spoiler da sua filha hahaha Beijos

    ResponderExcluir