29 setembro 2017

Resenha - Tudo e Todas as Coisas

Título: Tudo e Todas as Coisas
Autora: Nicola Yoon
Editora: Arqueiro
Páginas: 280
Skoob / Goodreads 
Onde Comprar: Saraiva / Amazon 


A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.







Medeline passou toda sua vida em casa, protegida do perigoso mundo lá fora por causa de sua doença rara e pouco conhecida, a imunodeficiência combinada grave. Por isso, desde ainda bebê, ela precisou estar confinada dentro de sua casa, evitando completamente entrar em contato com qualquer vírus ou bactéria presente no ar ou nos objetos.

Vivendo sua infância e adolescência presas dentro de casa, ela acabou por acompanhar ao longo dos anos a chegada dos vizinhos da casa ao lado, assim como sua  ida embora tempo depois. Sempre vendo as crianças na rua, Medeline, desejou poder ter a oportunidade de brincar com elas, mas sabendo que sua doença nunca deixaria que isso acontecesse, ela acabou se acostumando com sua condição.

Seguindo uma rotina já pré-definida todos os dias Medeline lia um livro, tinha seus batimentos e respirações checados pela enfermeira Carla, comia e então fazia algum jogo para divertir-se na companhia de sua mãe. Estudando pela internet, seu contato com outras pessoas se resumia a suas aulas com diversos professores através de chamadas via skype, algo incomum para todos, mas que sempre acabou por ser a unica realidade que conhecia.

"A matemática de Olly diz que é impossível prever o futuro. Acontece que também é impossível prever o passado. O tempo flui nas duas direções – para a frente e para trás –, e o que acontece aqui e agora altera tanto um quanto outro."

Nada em sua vida se tornou diferente desde a última vez que desejou poder sair de sua casa, e aproveitar o mundo em sua plenitude. No entanto, quando mais um caminhão de mudanças, dentre tantos outros que já passaram por ali, chega com os novos vizinhos é inevitável que ela acabe por se animar.

Observando da janela, ela acaba por se deparar com a visão de um pai, a mãe e uma menina. Seus vizinhos, os novos moradores da casa ao lado. Tentada a observar mais, embora soubesse que não deveria uma vez que sabia que não podia nutrir interesse algum por qualquer coisa que estivesse fora das portas e janelas de sua própria residência, Medeline se convence de que não deveria continuar ali; mas no momento que seus olhos param no garoto que acompanhava a trupe dos recém chegados, ela não conseguiu dar às costas para a visão dele e apenas voltar para sua vida como ela sempre foi.

"Não existimos se ninguém nos vê."

Olly, o garoto ao lado, também a notou. A partir o daquele dia, determinado a saber mais sobre ela,  passou a tentar chamar sua atenção com brincadeiras, enquanto ela observava tudo pelas janelas de vidro de seu quarto. Mantendo seu contato assim a distância, ambos não conheciam nada um sobre o outro, ate que quando Olly escreveu em um papel seu email e colou-o na janela para que Medeline conseguisse visualizar eles conseguiram aproximar-se trocando mensagens de texto,.

"Para ele, o movimento é como uma meditação. O corpo é sua forma de escapar do mundo, enquanto eu sou prisioneira do meu."

A cada conversa Medeline desejava não ter sua doença, assim poderia estar ao lado dele, sentir e conhecer tudo que Olly já havia conhecido. Queria ir a lugares, viajar para outras cidades e ver a paisagem além das janelas. Os livros sempre a levaram para todos os cantos, mas ela sabia que havia muito mais a ser aproveitado no mundo do continham aquelas páginas que lia.

"O sol do fim da tarde entra pela parede de vidro e forma um trapezoide de luz. Ergo os olhos e vejo partículas de pó em suspensão, flutuando, cristalinas e luminosas, no feixe de luz. Bem debaixo do nosso nariz existem mundos inteiros que mal notamos."

Vivendo dezoito anos de sua vida sem saber a sensação de estar fora do ar filtrado de sua residência, agora tudo que queria mais do que nunca sentir a brisa do vento, banhar-se no mar, ter Olly ao seu lado e realizar seus sonhos. No entanto, caso saísse de sua casa era provável que não conseguisse sobreviver por um dia inteiro. Mas e se por Olly valesse à pena correr o risco?

"Antes de conhecê-lo, eu era feliz. Mas agora estou viva, e as duas coisas são bem diferentes."



[-Minhas impressões-]

Tudo e Todas as Coisas possui um enredo leve, romântico e juvenil. Narrado em primeira pessoa pela protagonista, Medeline, acompanhamos a partir de seu ponto de vista a forma como sua vida passa a ser após o descobrimento de sua doença e a paixão que surge pelo seu vizinho.

Se mostrando uma leitura muito prazerosa, essa é uma obra que fará qualquer leitor que aprecie o gênero romance devorar as páginas em poucos dias de leitura. Eu mesma, amante de histórias que possuam esse frescor jovem e suave, não demorei mais que dois dias para concluir a leitura dessa obra.

Medeline é uma menina incrível, que viveu toda sua vida sendo privada das descobertas do mundo fora da proteção de sua casa. É muito sonhadora, embora, como muitos de nós leitores (risos), vive suas fantasias pelas páginas dos livros que lê.Bem escrita pude sentir sua angústia em determinados momentos, assim como saber como eram para ela as sensações de sua primeira paixão por alguém. Em minha opinião, a narrativa em primeira pessoa foi  essencial para esta aproximação e empatia com a personagem.

Olly se tornou especial não só para Medeline, mas para mim também! Com uma personalidade forte ele demonstra coragem, força e paciência. É um garoto marcante, de personalidade intensa que chama atenção. O romance que surge entre ele e Medeline, a partir de algumas brincadeiras suas para chamar atenção da garota, é tão natural e real, que nos faz torcer para que Medeline consiga, de  alguma maneira, mesmo com sua doença, estar junto a ele.

Os personagens secundários, como Carla (a enfermeira de Medeline) ou os país de Olly e a mãe da garota, estão bem presentes aqui. Eles se tornaram imprescindíveis para nos transportar inteiramente para a realidade em que se passa a trama, dando vida à história. Eu particularmente gosto muito quando o autor consegue fazer dos demais personagens tão importantes para o enredo quanto os protagonistas. Cada um possuí vida própria, não ficando de certa forma "orbitando" na história, apenas a favor do casal.

É muito bom, pelo menos para mim, ler uma história tão próxima da nossa realidade. Me faz imaginar que poderia acontecer algo do tipo comigo ou um conhecido, amigo, parente... Histórias de amor são sempre bem-vindas nesse mundo tão carente dele.

Eu poderia me estender muito mais, embora o único ponto negativo que encontrei seja no desfecho. Confesso que esperava um pouco mais, uma resolução diferente, talvez. Só posso dizer, por fim, que achei uma leitura ótima.

Alguns leitores podem achá-la um tanto clichê ou excessivamente fofa, o que não foi um problema para mim. É legal ver Medeline se descobrindo e tendo coragem de conhecer o mundo através da força que o amor lhe trás.

É uma obra de escrita suave, com uma leitura rápida e alegre. E com essa capa da edição especial do filme, então. Está tudo um arraso!

Enfim, recomendo muito que leiam. Se você gosta do gênero, tenho certeza que não irá se arrepender.


Se Inscreva e Participe !!

13 comentários:

  1. Eu achei o enredo bem clichê, estilo A culpa é das estrelas ou Agora e para sempre, eu fiquei bem curiosa para ler o livro quando soube da adaptação, mas me decepcionei tanto quando vi o trailer do filme! Poxa vida, parece que o filme inteiro esta no trailer... a Medeline doente, muda um rapaz ao lado, eles se gostam, eles fogem juntos para viver uma aventura perigosa... eu não vi o filme ainda pois quero ler o livro, mas espero, com todo o meu coração que o final do livro seja bom 😩

    ResponderExcluir
  2. Oi! Tudo bem?
    Esse é uns dos melhores livros que eu já li, amei o jeito que a autora descreve os detalhes, a trama do romance, o jeito que a personagem lida com sua doença, o jeito que a mãe cuida de sua filha com essa doença tão rara, mas confesso que decepcionei no final do livro, esperava um pouquinho mais. E Olly já virou meu crush haha
    É um livro pequeno, mas com uma historia cativante. Quem não leu, leia. Porque vale a pena.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Já vi um filme mais ou menos nesse estilo, ler sua resenha me fez lembrar dele(episodio de Dr. House). Fiquei curiosa para saber o desenrolar dessa história. Vi o trailer também, e espero que o final do livro não seja tão previsível! Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi! Ainda não li o livro e assisti a adaptação, mas ganhei o livro recentemente e pretendo ler em breve! Espero gostar da história. Beijoss

    ResponderExcluir
  5. Olá Emilly,
    Eu li este livro no ano passado, e, assim como você, devorei em dois dias. Logo de cara criei empatia com a protagonista Madeline e comecei a torcer por ela. Fiquei imaginando como seria viver fechada e sem contato algum com o mundo exterior.
    Quando Olly aparece, comecei ao mesmo tempo a torcer por eles e temer que algo de ruim acontecesse para a garota, fiquei com medo que ela se contaminasse.
    Eu até que gostei do desfecho, mas odiei do fundo do meu coração as atitudes da mãe da garota. Teve hora que eu até fechei o livro e xinguei, mas vou parar por aqui para não dar spoiler.
    Uma leitura que se provou ser muito mais do que eu esperava, ao mostrar sentimentos muito mais profundos do que a estória aparenta a princípio.

    ResponderExcluir
  6. Oi Emilly, tudo bem?
    Eu estou com este livro aqui em casa e não vejo a hora de fazer esta leitura. Uma vez eu vi uma menina falando que o romance foi meio que importo a protagonista, uma vez que o Olly foi a única opção que ela teve. Quero ler e tirar as minhas próprias conclusões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Emilly!
    Quando ainda tinha parceria com a NC, tive oportunidade de ler os primeiros capítulos do livro e na época, lembro de ter me identificado muito com Madeline, pois não tenho a doença que ela tem, mas de certa forma, tenho minhas limitações físicas e que dificultam, hoje em dia, sair para conhecer o mundo, como fazia antigamente e fico mais tempo em casa...
    Acredito mesmo que seja uma leitura fofa, o primeiro amor, querer conhecer as coisas que nunca teve oportunidade de viver, enfim, gostaria de terminar a leitura.
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Ainda não consegui ler o livro, mas vi a adaptação no cinema e mesmo achando bem fraquinho, adorei!
    É o típico livro juvenil, com a paixão, descobertas e infantilidades que só o amor pode trazer a todos nós!
    O final poderia ter sido melhor? Sem sombra de dúvidas,mas...rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não tive a oportunidade de ler esse livro e nem assistir o filme, já que quero primeiramente ler antes de assistir. A historia é muito linda, é uma historia de adolescente que mostra aqueles primeiro amor, a descoberta da paixão e tudo mais, a trama é bem envolvente, estou muito ansiosa para obter meu exemplar e embarca nessa historia.

    ResponderExcluir
  10. Li esse livro assim que foi lançado no Brasil e é um dos meu queridinhos, sou apaixonada pelo Olly por ser tão fofo, também esperava um desfecho mais emocionante e empolgante achei que o fim foi rápido demais e sem muitas explicações, mas é um livro ótimo <3

    ResponderExcluir
  11. Oi Emilly.
    Eu quero muito ler esse livro, porém peguei um imenso spoiler o que fez com que eu desanimasse a respeito da leitura, eu adorei a premissa, passa 18 anos da sua vida presa em casa com uma doença que não te deixa sair de casa deve ser horrível.
    Eu quero muito ler as descobertas dela, eu também gosto quando as historia estão perto de nossa realidade, isso torna tudo tão real e faz com que eu me apegue m,ais aos personagens, adorei que os personagens secundários são importantes para a desenvoltura da trama, enfim quero ler e espero muito gostar da obra.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Olá Emilly ;)
    Ai que felicidade ver a resenha de um livro tão lindo como esse aqui no blog S2
    Amo demais Tudo e Todas as Coisas, e gostei demais da adaptação feita do filme também, sai do cinema com um sorriso no rosto!
    Adoro esses livros juvenis com uma história ao mesmo tempo fofa e tocante, e acho que a escrita da Nicola é maravilhosa. Adorei a forma como ela desenvolve os personagens e que nenhum deles está ali no livro sendo “desperdiçado” sabe.
    Enfim, adorei a autora já quero ler todos os livros dela. Consegui O Sol Também é uma Estrela em uma troca, mas ainda não consegui ler... vou ver se consigo nas minhas férias.
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Estou louca para ler esse livro! Sempre vejo falarem bem dele. Romance não é um dos meus gêneros favoritos, mas gosto de inovar e sair da zona de conforto.

    ResponderExcluir