20 julho 2017

Resenha - O Guardião Invisível #1




Título: O Guardião Invisível (Baztán #1)
Autora: Dolores Redondo
Editora: Planeta de Livros
Skoob / Goodreads
Páginas: 352
Onde comprar: Amazon / Saraiva


O corpo de uma adolescente é encontrado às margens do rio Baztán, num pequeno povoado em Navarra, na Espanha, e para desvendar o caso a investigadora Amaia Salazar precisa voltar à sua terra natal, uma região da qual sempre tentou escapar – por motivos que nem seu marido conhece, mas que ainda a atormentam na forma de pesadelos. Amaia sabe que o local, marcado pela inquisição espanhola, é cheio de velhas crenças pagãs. O que ela não imagina é que, com o avanço da investigação e a descoberta de novos corpos, a fronteira entre mitologia e a realidade ficará cada vez mais tênue. O desafio agora é descobrir se os crimes resultam da ação de um serial killer ou de uma criatura mítica conhecida como basajaun, O Guardião Invisível.







No meio de uma madrugada a inspetora Amaia Salazar recebe o chamado para comparecer a cena de um misterioso crime. Às margens de um rio envolto por bosques, o corpo de uma garota é visto. A vítima, Ainhoa Elizasu, foi encontrada com uma fina corda em seu pescoço, evidências de um possível estrangulamento, suas roupas cortadas verticalmente, de forma a deixar seu tronco completamente despido, e com os pelos pubianos raspados, para que em sua púbis repousasse um pequeno bolinho doce dourado.

"Ele as mata, carrega os corpos até a margem do rio, às vezes por lugares de dificílimo acesso, e depois as prepara, posiciona como atrizes de sua obra."

Toda a equipe trabalha para desvendar esse o ocorrido, até que encontram fatos que ligam o caso de Ainhoa ao de Carla Huarte, uma jovem de 17 anos encontrada em circunstâncias muito parecidas. Então, a investigação não passa a ser atrás de um mero assassino, e sim de um possível serial
killer metódico que, após abater seus alvos, deposita os corpos estrangulados perto de rios,
com um par de sapatos na  beira de uma estrada ou rodovia próxima ao local, como que para sinalizar aos demais onde a vítima agora se encontra.

Nem mesmo toda habilidade e experiência profissional de Amaia é capaz de chegar a um esclarecimento. As peculiaridades, como os inexplicáveis pelos de diferentes animais nos corpos das vítimas, a disposição dos corpos, a falta de pistas que levem a alguma conclusão.

Por isso, até os mitos que envolvem o sombrio local passam a misturar-se ao caso, e assim, no decorrer do tempo em que mais corpos de adolescentes surgem passam a agregar mortes no currículo do assassino. 


"Nesse tipo de crime, em que o assassino chega a ter uma relação tão intima com a vítima, e não me refiro a sexo, mas a toda parafernália que rodeia a cena antes, durante e depois da morte, é virtualmente impossível não deixar nada."

Os pesadelos adormecidos no passado de Amaia estão de volta juntamente com os monstros do presente. Ela e sua equipe precisa lidar com as escassas provas e as novas investigações que surgem a medida em que outras garotas são encontradas. Precisam saber quem é o criminoso por trás da mente transtornada que liquida a vida de jovens aparentemente por achar que elas possuem comportamento promíscuo, devendo recuperar sua inocência através da purificação mortal que ele lhes proporciona.

"Entre o medo da população e as patrulhas que se intensificaram em todo o vale, é pouco provável que ele volte a tentar algo até as coisas se acalmarem [...]
Ele não é tolo; se achar que corre risco irá se deter e voltará para sua vida nada suspeita. De modo que nossa única oportunidade reside em levar uma investigação impecável e em não deixar um único detalhe esquecido."




[-Minhas impressões-]

Inicialmente, ao ler a sinopse, fiquei a imaginar como esse tal elemento mítico, O Guardião, se encaixaria na história. Porque, ao meu ver, quando envolve-se superstição popular em uma trama policial o foco do crime a ser investigado se perde, gerando a expectativa de revelar unicamente o que e quem é o ser sobrenatural.

Não é o que acontece aqui, no entanto. A trama toda é construída em volta dos assassinatos que, a cada página, se torna mais intrigante. A forma como o serial killer age, tanto antes e depois que mata suas vítimas, faz o leitor prender-se a cada parágrafo, na expectativa de que os inspetores e médicos legais encontrem algum rastro de DNA ou qualquer outra coisa que leve ao investigado.

A narração é em terceira pessoa, acompanhando Aima entre as buscas e durante os flashs sobre a dura infância em que, quando criança, a inspetora sofria abusos cometidos por sua mãe mentalmente instável. Nesses curtos momentos, de volta aos anos oitenta, há verdadeira angustia a ser experimentada enquanto o sofrimento da garota é testemunhado.

Senti que alguns trechos foram um tanto massantes, embora necessários para o entendimento final do enredo e o aprofundamento sobre quem é a personagem principal, demandou paciência para concluir sem dar uma ou outra puladinha de página e voltar para o que realmente interessava (risos). As brigas entre a família, decorrentes do controle do patrimônio entre Amaia e suas duas irmãs e da afinidade entre as três, foram o ponto baixo do livro para mim. Não que isso tenha sido um grande problema durante a leitura, porque o livro como um todo funciona muito bem. Apenas são algumas partes sem ânimo. Mas garanto a vocês que não devem perder nenhum detalhe, mesmo que pareça entediante por alguns momentos, aproveite para ficar de olho em cada um dos personagens, porque é de fato o que te deixará surpreso nas últimas páginas.

Os personagens secundários tiveram seus devidos espaços na história. O membros da equipe que Amaia ficou designada a comandar são colegas de longa data. Há um conflito e a falta cooperação por parte de Montes, que não concorda que seja Amaia quem deveria comandar as investigações. Me irritei por vezes, pois achei que ele fosse atrapalhar tudo e seria só um peso morto para a equipe que já não estava tendo sucesso dada a escassez de provas na missão de achar o responsável pelas mortes. Porém, ainda havia o forte apoio do novato Jonan e a avidez e experiência de San Martín, que juntos a Amaia compuseram uma equipe fantástica, com cenas tão bem escritas pela autora que chegaram a realmente parecer bem próximas da realidade.

O desfecho não foi tão satisfatório, mesmo sendo supreendente. Acredito que se justifica por haver uma continuação, já que esse é o primeiro livro da trilogia Baztán, que promete acompanhar a inspetora nas investigações.

A capa elaborada pela editora está realmente linda, inspirada na adaptação que a obra ganhou para os cinemas.  Para quem gosta de um ótimo thriller esta é uma história imperdível. Recomendo sem dúvidas.


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




15 comentários:

  1. EMILLY!

    Achei bem interessante a mistura do estilo policial com a mitologia, trazendo uma protagonista especialista em desvendar crimes, mas que tem de conviver com os fantasmas do seu passado.
    DoIS estilos que amo e fiquei bem interessada pela leitura.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Vi umas coisas bem legais sobre esse livro e ele me deixou interessada porque gosto de umas coisas assim, assassinos, investigação e coisa tal. O livro parece ter seus momentos lentos, meio chatinhos e umas coisas desnecessárias, mas acho que vale a pena ter paciência e prestar atenção nos detalhes. Deve fazer alguma diferença, acrescentar algo pra história...
    Que mescle a narrativa contando coisas da personagem, da história dela e de como foi a infância é uma coisa interessante de se ler. Faz a gente se sentir mais conectado com ela ou ao menos gerar uma simpatia.
    Fiquei curiosa por ter uma adaptação também. Deve ser legal ler e ver como ficou na tela. A trama parece interessante e espero que lancem a tal continuação bem rápido. Seria bom poder ler e já ter outro pra pegar.

    ResponderExcluir
  3. UAU! Esse lado místico chama mesmo a atenção ao ler a sinopse.
    Fiquei bem intrigada com relação a isso e a personagem ter que voltar para a terra natal e enfrentar o que a apavora.
    E fiquei curiosa para saber o desfecho dessa investigação também!
    Apesar de a leitura se tornar maçante em algumas partes e o final não ter sido muito positivo, confesso que fiquei interessada.
    Gostei de saber que tem continuação também. Espero conferir em breve.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Olá !!
    Não tinha visto nenhuma resenha sobre esse livro ainda .. fiquei sem palavras rsrs nem sei o que dizer ..
    Esse livro me deixou pasma e ansiosa para saber mais sobre a história! O qua aconteceu ? O que vai acontecer? Meu Deus ...
    Quero muito le-lo!!
    Você arrasou na resenha ! Adorei !!

    Só resta agora esperar a continuação, né? Isso que é ruim ..

    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Oi Emilly, tudo bem?
    Também fiquei bem curiosa quanto a parte sobrenatural do livro, porque o título remete a algo sombrio e tals. Eu gosto bastante de trillers e suspense e fiquei super instigada a ler o livro. Confesso que dei muita risada quando li na sinopse que o assassino depilava os pelos pubianos da vítima, me lembrou um episódio de Coragem o Cão Covarde (tá parei hahaha).
    Adorei conhecer o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Ainda não conhecia esse livro e gostie muito da premissa.
    Adoro esse tipo de suspense que tem um lado místico também. Isso me chamou muita atenção porque conheço poucos livros assim.
    Gostei muito da resenha <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Gosto bastante de thrillers, principalmente aqueles nos quais vamos encaixando as peças. Aqui, ainda tem um toque de sobrenatural e mistura o presente com o passado da cidade, bem como a figura do Guardião.
    Muito interessante o fato também de a inspetora ser descrita como antiga vítima, traz mais credibilidade para o seu papel atual. Encontrar o serial killer se torna para ela mais do que um trabalho, mas uma espécie de superação.
    Apesar de ter alguns trechos mais parados, a narrativa parece ser bem elétrica, envolvendo o leitor até seu desfecho. Concordo que o final não foi tão interessante assim para fazer o gancho com os outros livros, para continuação da trilogia.

    ResponderExcluir
  8. Eu não li nada desse gênero, mas estou a procura e ansiedade de começar logo kkkk.

    Eu amei a sua resenha e o livro me deixou bem intrigada e curiosa, querendo conhecer.

    Vou adicionar na listinha.

    Um beijo

    Jhenny

    https://sussurrandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá.
    Gostei muito da proposta do livro e fiquei super curiosa para saber mais desse enredo. Adoro um bom suspense, policial e muita investigação. E se tiver algo de sobrenatural, melhor ainda! Tomara que a série siga bem estruturada e cada vez melhor.
    Vou querer ler, com certeza.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Livros desse género me encanta, me deixa curiosa para conhecer e desvenda os mistérios que fica na página do livro. A trama é bem interessante, e fiquei me perguntando sobre o guardião, o que ele realmente significa na história? Fiquei bem em duvida disso mas mesmo assim o livro é incrível.

    ResponderExcluir
  11. Oi Emilly,
    Não conhecia esse livro mas já coloquei na lista de leitura, pois quando se trata de um enredo policial e de investigação eu já fico interessada em ler na hora. Gostei da proposta do livro, a trama parece ser bem conduzida, com foco nos assassinatos e na drama familiar da investigadora, mesmo que esses trechos sejam um pouco massantes, afinal é através dessas passagens que nos conectamos melhor com a protagonista. Quero saber o desfecho dos casos, e estou curiosa para saber onde entra a crença nessa trama, essa aura sobrenatural mesclando com a realidade é um tanto quanto intrigante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Emilly ;)
    Adoro thrillers/romances policiais, e a premissa do livro me instigou demais, deu muita vontade de ler!
    Pelos seus comentários dá pra ver que é uma história envolvente, e que os personagens são o ponto alto da trama.
    E nem sabia dessa adaptação, ma me interessei demais em ver o filme, vou procurar onde acho para ver! Só que agora estou muito curiosa para saber sobre esse tal Guardião!
    Obrigada pela indicação de leitura, espero adorar o livro tanto quando você *-*
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Nossa, não conhecia esse livro e nem sabia que havia um filme! Como um bom thriller, esse livro parece ser bem regado à assuntos pesados, tanto na forma como os corpos das vítimas são encontrados, como no passado terrível que Amaia tenta evitar. O jeito como os corpos são encontrados mais uma vez me chamou muito a atenção e me deixou bem chocada, como esse "ritual" de colocar um bolinho doce no corpo da vítima e ao colocar os sapatos na estrada para "sinalizar" onde o corpo está. Fico me perguntando como a autora encaixa esse ser mítico na história, não costumo gostar quando se trata de algo assim, acho que fica difícil de associar com a realidade. Algumas coisas parecem deixar um pouco a desejar na história, os problemas pessoais da protagonista parecem atrapalhar em alguns momentos, além de Montes, aquele personagem secundário que tenta impedir Amaia de comandar a investigação, mas o que mais me incomoda é pelo final não ter sido tão bom assim, embora surpreendente mesmo assim. Não sei se quero ler esse livro no momento, ainda mais que vejo ser uma trilogia.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  14. Ultimamente tenho me interessado bastante por livros neste estilo, de assassinato, e investigação de crimes, mas o que mais me surpreendeu em sua resenha, foi o fato de ter um envolvimento sobrenatural, que me deixou bastante instigada, e curiosa. Mesmo que esta trama tenha alguns ponto negativos, e detalhes desnecessários, ainda sim quero saber qual será o desfecho desse ser mítico nesta trama, e como a autora irá desenvolver todo este conteúdo, espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  15. Oi, mesmo que eu não goste do gênero, tenho que dar o braço a torcer que deve ser legal a mitologia na história, mas não me conquistou.
    Mesmo sendo uma trilogia, eu acho que dá pra ter um final legal.
    Não pretendo ler, quem sabe assitir o filme.

    ResponderExcluir