07 julho 2017

Resenha: Cartas Para Uma Falsa Dama



Título: Cartas Para Uma Falsa Dama
Autor: Carol Townend
Editora: HarperCollins / Harlequin
Skoob / Goodreads
Páginas: 295
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Ainda recém-casado, o conde Tristan deixou sua esposa para defender o ducado da Bretanha. Dois anos se passaram desde a última vez que Francesca vira o belo rosto do marido. Durante todo esse tempo, ela escreveu incessantemente para Tristan, mas não recebeu resposta. Nem mesmo após descobrir que não era a filha verdadeira do conde Myrrdin. Aflita, ela esperava receber o pedido de anulação do casamento a qualquer momento. Porém, quando Tristan retorna, Francesca percebe que não é a única assombrada por segredos do passado.









Em outubro de 1175, na mansão de Paimpont, no Condado de Champanhe, a bela e jovem Francesca de dezenove anos se encontra a escrever aquela que virá a ser a última carta que ela enviará a seu marido após dois anos de silêncio por parte dele as outras já enviadas anteriormente. Quando aos dezesseis anos ela se viu comprometida a um casamento arranjado, ela jamais imaginaria que pudesse encontrar amor ali. Mas quando mais do que por ser filha do Conde de Myyrdin, a sua relação - que começou como um estratagema politico – se transformou em uma forte conexão com o jovem Conde Tristan ela acreditou que o matrimonio pudesse significar mais do que começou sendo.


Porém, quando logo após sua união ela se deparou com a aparição da verdadeira herdeira que havia sido trocada no parto e sobre o qual todos desconheciam, Francesca se viu perdendo sua identidade e completamente devastada fugiu para longe de tudo e todos indo para na bela mansão de Paimpont. Com Tristan longe prestando serviços a coroa, ela passou a questionar-se se ele ainda iria manter o casamento ou se pediria sua anulação... pensamento que se reforçou a cada carta enviada e cuja resposta nunca fora recebida. Com o coração partido, em um último apelo ela escreve a ele pedindo para que ele a responda nem que seja para que ela possa se preparar para não tê-lo ao seu lado. Sabendo que não é a Lady que todos acreditavam que ela fosse, ela sabe que é apenas uma questão de tempo até que ele venha a arranjar uma noiva adequada; e mesmo não suportando pensar em outro homem a tocando, ela compreende que precisará encontrar outro homem com quem formar uma família.


"- A senhora não vê aquele homem há quase dois anos; suas cartas anteriores não tiveram resposta... Do que mais precisa saber? Desde que a senhora partiu da Bretanha, não há nada que a impeça de recomeçar sua vida."

Tristan não sabe porque sua esposa nunca foi capaz de responder a uma das quatro cartas que enviou a ela, mas está preparado para pedir a anulação do casamento visto o desinteresse dela em manter contato com ele. No entanto, antes que pudesse realizar tal fato, ele precisará cumprir o desejo de Conde Myyrdin que se encontra em seu leito de morte. Sabendo o quanto será difícil para Francesca receber a noticia que aquele que sempre considerou como um pai está em seus últimos dias de vida, ele parte para busca-la e leva-la até ele.... Ao se reencontrarem é nítido que nenhum dos dois esqueceu ou teve seu desejo diminuído pelo outro, mas com dois anos de magoa e de mudanças entre eles fica evidente que mesmo que suas reações ao outro não tenha mudado, há muito que mudou.

Francesca que se viu fugindo por muito tempo, terá que enfrentar tudo que deixou para trás para poder se despedir daquele que sempre cuidou dela e a tratou com amor. A proximidade deles irá trazer questionamentos sobre assuntos que pensavam estar convictos. Tristan verá nesse tempo a oportunidade de reconquistá-la e manter seu casamento, mas com tantos segredos envolvendo seu relacionamento ainda haverá uma chance para o amor?  

"Uma parte de Francesca ansiava por acreditar nele, ao passo que a outra parte, a parte que chorara amargas lágrimas pela tortuosa morte do casamento deles, tinha medo. Amar Tristan fora algo que acontecera muito facilmente, e isso se transformara em cinzas com igual facilidade. Eles poderiam mesmo recomeçar do zero?" 


[ - Minhas Impressões - ]

Cartas para uma Falsa Dama é um romance de época que ao mesmo tempo em que consegue ser extremamente bem desenvolvido pela autora, peca em alguns aspectos que acabam por trazer um sentimento de rancor por parte do leitor que termina a leitura com mais dúvidas do que respostas. Com personagens fortes e determinados, nós vemos diversas vezes envolvidos e tocados pelos dramas que os acompanham; longe de serem perfeitos eles acabam por mostrar que mesmo em meio a erros ainda há esperança para o amor, mesmo que só descubram isso quando já é quase tarde demais. Não diria que essa é uma leitura ruim, mas se você está à espera de encontrar uma obra totalmente diferente de qualquer uma já vista, ela não é para você.

Com um enredo que poderia ser muito melhor explorado, Carol Towned acaba por pecar ao deixar a trama um pouco confusa e acelerada de forma que não há quase tempo para o que o leitor se adapte a nova realidade. Logo no inicio o leitor se vê arrebatado por uma história diferente, que já se inicia em uma das cenas de maior tensão, onde uma esposa, que deixada pelo marido há dois anos e sem notícias suas, está prestes a enviar a sua última carta que definirá todo o destino de seu casamento. Prendendo o leitor que se vê ansioso para saber o que irá acontecer a seguir, nos deparamos com uma trama repleta de dor e rancor por ambos que se veem frente a frente novamente quando um grande mal se faz presente. No entanto, no momento em que a construção da trama deveria ter adquirido uma maior profundidade e ser desenvolvida de forma intensa, exaltando todos os obstáculos que passaram e todo um caminho para se reencontrarem, nós deparamos com cenas vagas de interação, com ausência de sentimentos acentuados e que acontecem de forma tão rápida que não possibilita a criação daquela atmosfera de romance característica em romance de época. A história em si não é ruim, muito menos as cenas com as quais temos contato, mas poderia ter sido utilizada de forma a realmente construir e mostrar os laços de confiança que ambos precisam criar um com o outro se desejarem manter seu matrimonio.

Tristan é um conde que se viu cercado por responsabilidades com o ducado quando a ameaça de uma rebelião se fez presente ameaçando a monarquia. Fechado, ele não é muito de demonstrar seus sentimentos, e apesar do contato com cenas repleto de um desejo nítido pela esposa, não sabemos o que ele realmente vem a sentir por ela – pelo menos não no começo. Logo de cara e ao longo da trajetória, nos deparamos com segredos que ele guarda para si e que apesar de não justificarem seu jeito de ser, nos ajudam a entender a forma com a qual ele age. Acreditando não haver sentimento por parte de sua em relação a ele, Tristan acredita que a única opção que resta é a anulação, ainda mais quando suas quatro cartas foram recebidas com um silencio que perdurou dois anos. Francesca é uma jovem de dezenove anos, que se viu casada com um completo desconhecido quando possuía apenas dezesseis anos; surpreendida pela forma como ambos se davam bem principalmente entre quatro paredes, ela jamais imaginaria que se veria diante da perda de sua identidade e do marido que aprenderá a amar. Apesar de não nutrir mais a mesma inocência de quando era uma jovem adolescente, ela é uma personagem repleta de inseguranças que só pioraram após se ver como uma impostora em sua “família” e com o silencio de seu marido após inúmeros cartas enviadas sem jamais receber uma resposta. Mesmo diante das maiores dificuldades, Francesca se mostra uma mulher determinada e forte, o que agrada bastante o leitor; mas que não se faz presente em todo seu desenrolar.

Ambos os protagonistas são extremamente carismáticos e cativam com sua personalidade, levando o leitor a querer saber mais sobre eles. No entanto, a narrativa rasa e realizada em terceira pessoa impossibilita um maior contato do leitor a eles. Como um admirador a distancia, nos vemos presos a uma trama que não nos afasta e nem nos aproxima dela, o que é uma pena, pois tanto os personagens principais quantos os secundários possuem grande força e presença no enredo. Podendo ter suas histórias mostradas com mais calma e dedicação e cativando ainda mais o leitor que ao se deparar com a força de suas determinações poderia apreciar diálogos maiores e cenas que propiciassem conhece-los melhor.

Quanto à diagramação não é algo que eu posso comentar de forma acentuada, porque eu só tive contato com a versão digital da obra que em nada deixou de desejar em relação a revisão e ortografia, mas que não se prendeu muito a detalhes no decorrer de suas páginas. Com uma fonte que combina e dá um toque romântico a obra, e quebras de página/capítulo ornamentados, o leitor se sente convidado a continuar a se aventurar por suas linhas e descobrir mais sobre seu desenrolar – ainda que conte com alguns fatores negativos. No entanto, gostaria de dar uma atenção especial a essa capa que combina com o romance histórico que apresenta e é tão bela que te faz desejar o livro apenas por ela; confesso que esse foi um dos pontos que eu mais gostei na obra, a forma como a uma primeira vista ela é capaz de encantar com sua delicadeza e paleta de cores que se complementam.



Ideal para momentos em que se busca um romance leve, acompanhado de muita emoção e suspense, Carol Towned traz uma obra sobre um casal que busca se reencontrar depois de tanto tempo distantes um do outro; com uma escrita muito bem desenvolvida, sem possuir uma leveza geralmente encontrada nas obras do gênero, essa é uma trama que te prende pelas surpresas e pela tensão apresentada desde o primeiro capítulo. Aquele que se depara com ela não será capaz de larga-la até o fim, mas mesmo ao termina-la ainda se pergunta o que poderá vir a acontecer depois... Seus personagens carismáticos são um do motivo de que mesmo com muito deixando a desejar, ainda é capaz de encantar e surpreender a cada página. Aconselho a todos que forem ler que não criem expectativas altas, é uma boa leitura, mas é pouco provável de ser a história mais marcante com a qual irá se deparar. Recomendo a todos que gostam de um romance gostoso de ler e que desejam uma obra rápida e sem muita profundidade; essa é a típica obra para passar o tempo e não para modificar aquele que o lê, mas ainda sim é uma boa escolha para quem amo o universo dos romances de época.


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




15 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Hey *-*
    Sou super apaixonada por romances de época ♡ esse realmente me encantou ..
    Já li um livro parecido onde o marido se afastou da esposa por anos e depois quando voltou se apaixonaram e viveram felizes para sempre (awt ❤)
    Nunca li nenhum livro da autora e parece ser bom mesmo sendo fraquinho hahaha

    Essa capa me lembra as capas dos livros da Lisa Kleypas,parecida né?!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Uma coisa chata é quando a leitura é legal, mas a história não consegue alcançar as expectativas e ser totalmente satisfatória. É ruim quando não conseguem explorar bem a trama. Pelo que falou o começo parece que já deixa a gente esperando por muito mais, coloca os dramas e os personagens no auge de uma expectativa por sentimentos e uma história que nos toque. Parece legal. Mas se depois disso a coisa toda fica muito mais ou menos aí é um desperdício. Poxa vida, odeio quando isso acontece. Tinha achado que seria um livro legal pra ler porque costumo adorar esse tipo de trama, é meu gênero favorito se tiver que escolher um. Mas olha, desanimou. Gostei dos personagens, da premissa, mas fiquei com medo agora de pegar e achar só ok =/

    ResponderExcluir
  4. Bruna!
    Fiquei dividida diante de sua resenha.
    as personagens tem lá seus problemas pessoais que acabam interferindo no relacionamento e os afastando.
    Quando se reencontram, pelo que entendi, acabam ficando juntos, porém sem terem oportunidade de resolverem suas diferenças, é isso?
    Pelo visto, o drama é maior que o romance e como é em terceira pessoa a narrativa, não conseguimos nos apegar as personagens.
    Acredito que seja o primeiro romance de época que leio uma resenha onde a leitura não é tão aprazível...
    Um maravilhoso final de semana!
    “Não saber é o que torna nossa vida possível.” (Lya Luft)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Bruna!
    Quando li a sinopse me impressionei com o enredo, achei a proposta de ela ser uma "falsa dama" fora do habitual que sempre acostumamos ver no gênero e foi isso do que mais gostei. Porém ao mesmo tempo, histórias sobre cartas não é nada novo. Estou me perguntando se eu gostaria dessa história devido aos pontos negativos mas primeiro de tudo: acho que me irritaria muito todo esse desentendimento que arriscou o casamento. Claro que fico curiosa para saber se explica o aconteceu com as cartas mas, não seria mais fácil para o casal conversar logo e esclarecer tudo? Bom, não sei se fazem isso, mas realmente espero que não demorem uma eternidade para perceberem que foi um erro no recebimento das cartar para ambos. Agradeci mentalmente pelos protagonistas serem carismáticos, mas ao mesmo tempo vejo que poderiam ser melhor construídos. Acredito que a autora deveria ter escrito em primeira pessoa, ainda mais sendo um romance, isso nos faz com que fiquemos próximos aos personagens, ver com seus olhos e entender o sentem, além de ser mais fácil de nos apegarmos a eles. Além disso, parece que as passagens da história ocorrem bem rápido, isso é bem estranho quando do nada muda o lugar ou o tempo em que se passa. O pior ponto negativo que me incomodou foi o fato da obra gerar dúvidas no leitor. Sou extremamente curiosa e quando alguma coisa me incomoda, por mais que eu tenha gostado de um livro, fico pensando tanto sobre o que autor deixou em aberto que acaba influenciando muito na minha opinião como um todo. A capa é muiiito bonita, mas acho que não vai ser um livro que vai realmente me conquistar.
    Ótimas leituras pra você!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Gosto muito de romances de época e toda a magia e cultura que nos passam. Mas sinceramente, a premissa desse livro não me chamou tanto a atenção. E lendo a sua resenha, não fiquei muito animada para fazer a leitura da obra.
    Quem sabe em outro momento.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Muito boas os estórias desses romances de época!! A gente já imagina as intrigas da corte! Este porém parece trazer leveza e não profundidade, mais indicado para um momento "sessão da tarde" de férias.
    A ideia do livro é boa, mas não aprecio quando termino de ler e ainda tenho perguntas em relação à obra. Acho que fica uma coisa incompleta. Isso deve acontecer aqui pela falta de mais diálogos e cenas.
    Uma leitura leve e descomprometida, nada que vá além ou que nos surpreenda!

    ResponderExcluir
  8. Não curto nenhum um pouco terminar uma leitura com diversas questões mal resolvidas na cabeça, em relação a história.
    Confesso que estou interessada em ler o livro por ser um romance de época, estou gostando bastante de ler livros do gênero. E a premissa desse livro me deixou curiosa.
    Apesar de alguns pontos negativos, por parte da sua leitura, espero conferir em breve e não me "decepcionar" tanto rs.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  9. Olá Bruna ;)
    Acho que esse era um dos lançamentos da editora que eu mais me interessei em ler esse mês. Amo livros de época, então acho que vou adorar. Mas que pena que o livro não alcançou suas expectativas :(
    Acho que nunca li um romance em que crianças foram trocadas no parto, mas achei bem legal essa premissa, é diferente.
    Acho que a única coisa que poderia me incomodar no livro é essa narrativa meio confusa e acelerada! E o livro ser narrado em terceira pessoa, as vezes torna mais difícil mesmo essa conexão com os personagens.
    Mas vou dar uma chance ao livro, e tirar minhas próprias conclusões.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não gosto muito desse gênero, então por isso nem conheço muito as autoras ou os lançamentos do mês, esse gênero já não desperta muito meu interesse ainda mais esse romance que você considerou confuso e acelerado.
    Por hoje eu passo a dica, mas parece ser bem legal para quem gosta do gênero.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Apesar da trama ser bem construída, com personagens envolvente e cativantes, o fato da narrativa não nos aprofundar nos acontecimentos que estão sendo desenvolvidos na trama me deixou com certo receio, mas ainda sim e possível notar que o romance leve, com uma leitura gostosa, porém que não será tão marcante, mas que nos surpreende. Alguns pontos me fizeram ficar com um pé atrás diante da leitura, porém quem sabe mais para frente não mudo de ideia.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Bruna, tudo bem?
    Apesar de não gostar de romances, os de época me cativam. O que eu gosto nessas histórias é justamente a época em que acontecem. Gostei muito da premissa do livro, e é uma pena que uma história com enredo tão diferente não tenha sido tão bem desenvolvida. Quanto a capa, eu achei muito parecida com as que já existem por aí.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Bruna,
    AMO romance de época, é com certeza o meu gênero literário preferido, adoro viajar através das páginas para os séculos passados, o que mais me encanta são os costumes da época e o cenário histórico abordado. O que mais chamou a minha atenção nesse livro foi o período retratado de 1175, não me lembro de ter lido uma história tão remota assim. Gostei da premissa do livro, a Francesca e o Tristan parecem ser bem cativantes, tirando todo o drama envolvido. No geral, a trama em si parece ser bem trabalhada, com muitos segredos e mistérios que sondam os personagens. Confesso que sou fã de uma trama carregada de tensão e repleta de drama, mas pelo que percebi essa história é excessivamente melancólica, com o relacionamento inseguro e rancoroso do casal. Mesmo com esses pontos negativos ainda assim pretendo ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Gostei muito desse livro e apesar de ser um romance de época aí que vou amar muito. A história dessa dama e bem trágica ser trocada na marternidade e no final descobrir que não é da sociedade é algo cruel, e como perder a própria identidade. Gostei bastante da trama tem um romance leve e fofo nele.

    ResponderExcluir
  15. Oi, mesmo com as falmas aparentes me deu vontade de ler.
    Amo romances de época, e já vinha desejando esse. Parece ter um pouco de drama desnecessário, tudo é anulação.
    Mas pretendo ler.

    ResponderExcluir