06 junho 2017

Resenha: A Casa no Lago - Uma história da Alemanha



Título: A Casa no Lago
Autor: Thomas Harding
Editora: Rocco
Skoob 
Páginas: 408
Onde comprar: Livraria Travessa / Amazon 
          
Autor de Hanns & Rudolf, que narra a trajetória de Hanns Alexander, seu tio-avô que trabalhou como investigador de crimes de guerra e foi responsável por localizar e mandar a julgamento Rudolf Höss, o Kommandant de Auschwitz, o jornalista e escritor Thomas Harding mergulha novamente nas memórias de sua família durante a Segunda Guerra Mundial em A casa no lago. Finalista de prêmios de prestígio como o Costa Biography Award e o Orwell Prize e aclamado por veículos como Time e Spectator, entre outros, o livro conta a história de uma antiga casa de campo nos arredores de Berlim que é também uma reveladora história da Alemanha durante um século conflituoso. A aconchegante casa às margens de um lago onde os avós do autor viveram dias de alegria e afeto em família teve que ser abandonada nos anos 1930, quando os nazistas chegaram ao poder, sobreviveu a incêndios e tempestades, abrigou cinco famílias que ali buscaram refúgio nos anos seguintes, testemunhou traições e assassinatos, resistiu ao trauma de uma guerra mundial e à divisão de uma nação. Prestes a ser demolida, a casa no lago é revisitada por Harding neste livro minucioso e emocionante.







A história do livro em questão nasceu após o autor, Thomas Harding, ao longo de sua infância, ser bombardeado por recordações e relatos emocionados de sua avó, Elsie, que vivera na casa do lago, ou mais precisamente,"Glienicke", junto à sua família. Nos idos de 1920, viver em Berlim, na Alemanha não requeria nenhum perigo para os judeus e a vida era boa, próspera e feliz.

Os Alexander contavam com seis integrantes na família, sendo eles seu bisavô Alfred, sua bisavó Henny, sua tia avó Bella, seus tios avôs Hanns, Paul e, por fim, sua querida e amada avó Elsie.

Mesclando passado, futuro e presente, a história traz a tona situações traumatizantes recheadas de bons e maus momentos para essa família, já que ao longo dos difíceis e tenebrosos anos em que Hitler ascendeu ao poder, a Alemanha conhecida por sua família, ou melhor dizendo, Berlim, nunca mais viria a ser a mesma para eles.

Os anos felizes e despreocupados foram sendo substituídos pelo medo, angústia e pavor de serem pegos pelos nazistas uma vez que o povo judeu foi massivamente perseguido e exterminado pelos soldados de Hitler. A alegria há muito abandonara a família, pois constantemente a ameaça de serem caçados como animais e levados aos campos de extermínio estava cada vez mais próxima. O que os levou a abandonar a linda e charmosa casa no lago que era o lar de todos.

Então, a família foi obrigada a buscar abrigo na Inglaterra e lá eles viveram até o fim de suas vidas.

Thomas e Elsie tinham um ótimo relacionamento e era para ele que ela confidenciava os melhores anos de sua vida, vividos em "Glienicke", o que fez despertar no neto a vontade de conhecer o lar de sua avó que ele conhecia só de ouvir falar. Então ele vai em busca do passado de Elsie e viaja para Berlim tentando juntar os pedaços das memórias de sua avó.

Chegando lá, Thomas faz um intenso trabalho de campo reunindo informações de moradores antigos que conheceram sua família e que poderiam colaborar com as lembranças desse passado, mas ele não ficou só nisso, muito pelo contrário. Pesquisando em jornais e bibliotecas fatos da época, Thomas fica a par de que muitas outras famílias viveram na casa do lago após a fuga dos Alexander, e, com isso, a casa acabara sofrendo muitas transformações. Ele chegou a ter contato com parentes diretos de alguns dos moradores da casa. Nessas conversas e investigações, Thomas descobre que a casa fora ocupada por algum tempo por soldados russos que tomaram a Alemanha de Hitler.

Ao longo dos anos, após a queda de Hitler, a Alemanha recebeu a visita de pessoas muito importantes e poderosas, dentre elas a Rainha Elizabeth, o príncipe Charles e a princesa Diana.

O livro narra vários eventos históricos e de extrema importância para o mundo, como por exemplo, a criação do muro de Berlim, que dividia a Alemanha em Oriental e Ocidental. Esse muro passava diretamente por Glienicke (a casa no lago) e os moradores que foram separados pelo muro não poderiam ultrapassar jamais, pois corriam o enorme risco de serem pegos e assassinados.

Várias atrocidades foram cometidas na época, tanto por conta de Hitler quanto por conta da divisão da Alemanha. Muitas pessoas desapareceram e suas famílias jamais voltaram a vê-las de novo, pois mulheres eram estupradas, espancadas e mortas. Por fim, o medo era constante e aterrador.

Muitos anos se passaram, até que Elsie retornasse à casa no lago, mas ela o fez e conheceu os moradores que residiam por lá, sendo eles Wolfgang Kühne e sua esposa Inge.

Nos dias atuais, Thomas, enfim, chega à Glienicke, mas nem de longe ela se parece com a casa que ele conhecera das histórias de sua avó e também por fotos. Isso faz nascer em seu íntimo um sentimento de restaurar e preservar a casa no lago tão amada por sua avó, e culmina com o mutirão em que familiares e vizinhos se unem para dar vida a uma casa que resistiu às muitas provações por quais passou, sendo elas naturais ou causadas pela arrogância, ignorância e maldade humana. O fato é que "Glienicke" ou simplesmente a casa no lago, tem muita história para contar a quem estiver disposto a dar uma chance ao livro.




[ - Minhas Impressões -]


Confesso que tenho uma queda por livros que contam histórias verídicas de um passado que eu jamais me imaginaria vivendo. Deve ter sido tremendamente horrível viver numa época onde o direito de ir e vir do cidadão de bem, trabalhador e pai de família eram negados. Dou graças a Deus por ter nascido num país onde não existam loucos como Hitler, que caçava e exterminava pessoas por julgá-las inferiores aos alemães chamados de "raça pura" ou "raça ariana".

Achei tremendamente louvável o autor do livro ser membro direto da família retratada na história e de tê-la escrito narrando o passado, presente e o futuro de sua família a partir de Glienicke. Foi de uma riqueza maravilhosa poder ter acesso ao seu acervo histórico de fotos da casa, família e documentos importantes que atestam a veracidade dos fatos descritos.

Percebe-se o quanto ele foi a fundo para colocar nas páginas de seu livro situações difíceis e sofridas por sua família. É realmente impressionante a sua dedicação e esforço para que as memórias de sua avó, e muito do que ela não conheceu após sua partida forçada da casa, ficassem explícitas em cada capítulo e parágrafo.

O amor que Thomas sentia por Elsie estava perceptível em todo o momento em que ele citava seu nome e contava alguma situação que vivera com sua avó ao longo dos anos.

Elsie é retratada como uma mulher forte e muito mandona, mas não de uma forma ruim. Ela era uma mulher que não se deixou abater pelos percalços aos quais fora submetida, e passava a impressão de ter sido muito feliz, mas sem nunca esquecer por um minuto sequer seus gloriosos anos vividos na casa no lago.

A relação entre avó e neto era muito especial, amorosa e cheia de carinho, sempre que ele a cita no livro não tem como não perceber o grande amor que os une. Tanto é que o livro foi dedicado em sua homenagem.

São 408 páginas de história verídica e confesso que em alguns momentos fiquei um tantinho entediada, o que me levou a demorar mais do que eu gostaria para terminar a leitura, uma vez que se tornou arrastada em algumas partes. Mas como, jamais, em tempo algum eu abandono um livro, levei a cabo o meu comprometimento com Elsie, Thomas e os demais personagens verdadeiros desse incrível e contundente relato de uma Alemanha tremendamente irracional, ignorante e má para com seus cidadãos.

Se você gosta de ficar por dentro da história de um modo geral, você não pode deixar de ler A Casa no Lago. Eu super recomendo.

Meus parabéns à editora Rocco por nos brindar com um livro primoroso que dá voz àqueles que não podem mais ser ouvidos.




PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!


10 comentários:

  1. Oi kaline
    Ja tentei várias vezes ler livros que trazem como cenários estórias da segunda guerra mundial. Não consigo aceitar tanta maldade e desumanidade por parte dos nazistas. Esse livro no entanto parece ser diferente dos que vi até hoje, e achei bem legal o autor narrar fatos que aconteceram em sua família. Acho que a unica coisa que me deixa um pouco repelida, fora ser sobre nazistas, é fato dele ser mais parado em algumas partes e ter 400 paginas pode tornar a leitura chatinha. Mas com certeza ele entrou pra listinha de leitura e vou arriscar mais uma vez no tema, quem sabe agora vai hahaha
    Bjão

    ResponderExcluir
  2. Também acho interessante livros com histórias verdadeiras ou que se situem e brinquem com essa ideia. Quando fazem algo do tipo ficção + verdades acho legal de ler. É um jeito de aprender sobre épocas e suas atrocidades e coisas assim. Esse parece interessante, gostei do jeito dele. Parece tratar das coisas difíceis que sofreram de uma forma que a gente se solidarize, veja um pouco como eram esses tempos e pelo que as pessoas podiam passar. É um livro grande, mas acho que iria gostar de ler.

    ResponderExcluir
  3. Olá!!!
    Já tinha lido um resenha a respeito desse livro e confesso que me comoveu, de um lado eu quero ler mas imagino todas as dificuldades que a família passou, gosto de historias baseados em fatos reais e sem duvida de que quero ler.
    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia esse livro, mas achei super interessante. Acho que nunca li livros baseado em fatos, mas tenho uma lista enorme de livros nesse gênero e vou acrescentar esse agora. Parece ser muito bom! <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Kaline!
    Como você gosto muito de livros que são baseados em fatos reais e quando tem uma pesquisa muito bem feita pelo autor que é parente da protagonista, fica mais envolvente e interessante.
    Sem contar com todo pano de fundo na época de Hitler e ainda os fatos históricos narrados durante as páginas do livro.
    E com fotos para ilustrar, dá ainda mais vontade de ler.
    “A única sabedoria que uma pessoa pode esperar adquirir é a sabedoria da humildade.” (T. S. Eliot)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, não gosto muito desse estilo de livro, não é para mim uma leitura que flui, se eu chegar a ler é somente para conhecer um pouco mais sobre fatos históricos dessa época.
    Não posso deixar de falar que achei louvável a homenagem do autor a vó. Cresci com o meu vô e nunca vou esquecer as histórias que ele contava, mesmo que elas não tenham nenhuma relevância histórica <3

    ResponderExcluir
  7. A proposta do livro é bem interessante, parece que ele inspira uma boa reflexão e muitas informações culturais. E realmente deve ter sido horrível viver nessa época. E achei bem interessante o autor ser membro da família retratada, acho que isso torna o livro ainda mais emocionante.
    Não sei se seria uma leitura que prenderia minha atenção, acho que também ficaria um pouco entediada, mas talvez eu leia em um outro momento.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Kaline,
    Sempre gostei de história, era a minha matéria preferida na época da escola, e isso reflete nas minhas leituras de hoje. Meu gênero literário favorito é romance de época e romance histórico, amo ler histórias com cenários históricos e livros que se passam na Segunda Guerra Mundial são os que mais chamam a minha atenção. É claro que são leituras fortes e chocantes devido a tanta crueldade que os judeus sofreram, mas são histórias que devem ser lembradas e divulgadas para a sociedade nunca esquecer até onde a maldade e a ganância do ser humano podem chegar.
    Apesar de preferir romance esse livro de memórias pode ser uma boa mudança, pois quero conhecer a história da família do autor, que com tanta dedicação eternizou as memórias da sua avó em um livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Adoro livro baseado em fatos reais, e este proporciona uma leitura maravilhosa, muito bem pesquisada e escrita, contêm inúmeras fotografias, árvores genealógicas, mapas da Alemanha e Berlim e uma seção de notas extremamente detalhada que eu realmente adorei, e apesar de todos os eventos tristes e trágicos, ainda há a relação com a família, principalmente sua avó, para mim um livro brilhante.

    ResponderExcluir
  10. Olá !
    Uma das minhas matérias preferidas na escola era história ! E adoro todos os livros que falam algum dos lados de guerra !
    Adorei a premissa desse livro !!
    Bjos

    ResponderExcluir