26 junho 2017

Resenha: Apenas um Sonho



Título: Apenas um Sonho
Autor: Guilherme Gomes
Cortesia: Editora Coerência
Skoob / Goodreads
Páginas: 250
Onde comprar: Editora Coerência

Essa é a história de Gabriel, um garoto atormentado pelo seu subconsciente que ao descobrir uma espécie de doença psicológica com o poder de mudar o rumo de sua vida, é guiado para um futuro imutável.
Afogando-se em um mundo obscuro localizado em sua própria mente, o jovem culpa-se pelos acontecimentos já vistos nos quais não pode impedir ou interferir. Sentindo-se inútil e frágil diante do destino ganha um entendimento superficial em relação ao seu futuro: “A minha vida já foi escrita, não posso mudá-la”.
O garoto envelhece tentando ignorar as suas visões para não se culpar. Mas, nos seus atos de ignorância, percebe que mesmo que ignore o futuro, o futuro jamais o ignora. E assim, abandona as teorias e agarra-se a uma certeza absoluta: “É preciso acabar com isso, antes que isso acabe comigo. ”
Buscando na música uma forma de se agarrar à realidade, Gabriel vivencia suas aventuras de forma comum como qualquer outro adolescente. Até o momento em que seu subconsciente volta a interferir em sua sanidade, confundindo-o e o deixando desequilibrado, batalhando numa constante guerra emocional.








“Se me perguntasse hoje, eu saberia: Há beleza no conteúdo, não na forma.”

Gabriel não é alguém normal. Desde pequeno ele teme suas noites de sono, com medo que seus sonhos sejam mais do que meras representações de seu subconsciente... Incompreendido e taxado como louco, ninguém acredita que ele possa prever o que irá acontecer, nem mesmo quando ele passa a desenhar o que vê e provar que não são meros sonhos; algo que seu corpo insiste em demonstrar por meio de sangramentos para alerta-lo. Só que ser diferente não é algo fácil, principalmente quando se trata de algo que não pode ser explicado...

E é exatamente por isso que ele, agora já mais velho, encontra-se preso em um local repleto por paredes brancas, sem contato com quase ninguém - tirando seu pai, que vai visitá-lo - e com um caderninho que o incentiva a contar o que aconteceu para que possam ajudá-los. Ao certo, o leitor não sabe o porque dele estar por ali e nem que lugar é aquele. Apenas se depara com um homem cuja saúde mental não é uma das melhores e que cuja história está prestes a ser contada...

“ – Fez a maior descoberta dos homens: A realidade é um pesadelo.”

Durante toda a sua vida, Gabriel foi levado a não apreciar esses sonhos, ou seja lá qual for sua denominação, e passou a odiá-los. Constantemente ele se viu preso a acontecimentos que lhe revelavam coisas terríveis sobre as quais não podia impedir. Mas nem tudo foi ruim, apesar dele ter visto a morte de seu cachorro, ele também se viu feliz com a volta de seu pai... Então o que poderia tê-lo levado ao lugar em que se encontra? E quem é aquele que ele passou a denominar de Estática? As vezes saber sobre o que vai acontecer não é fácil, e nessa história você está convidado a conhecer a história de um menino que nunca pode dizer que o que acontecia em sonhos, eram apenas isso... sonhos.


“ – Os sonhos são como linguagens ocultas do sobrenatural. O segredo é saber decifrá-los. Estou aqui justamente para isso, para ajudar você a desvendar estes códigos.”




[ - Minhas Impressões - ]

Preciso começar falando que um dos pontos que mais me chamou atenção nessa obra foi essa capa. Apenas um Sonho tem um ar de mistério que se apresenta nitidamente nos elementos presentes em uma capa que encanta pela beleza e pelo capricho nos detalhes. Com cores fortes e um personagem desfocado, o leitor antes de iniciar a leitura já consegue ter uma noção acerca do que vem por ai, mesmo que ainda seja surpreendido por seu enredo intenso e que retrata um tema que mistura fantasia e realidade e que causa certa apreensão em quem o lê.

Falar sobre uma obra que tem um enredo complexo, intenso e que causa certo desconforto pelo seu tema é extremamente difícil. Construído sobre um tema que envolve o leitor e o faz sentir na pele o sofrimento e desespero do protagonista que se vê preso a um dom, ou seria maldição, sobre o qual não tem controle, essa é uma história que assim como Gabriel o leitor não sabe o que fazer ou como ajuda-lo. Imagine não conseguir ter uma noite de sono onde o medo de sonhar tornasse algo tão simples e essencial, em um verdadeiro pesadelo; imagine se deparar dias depois com situações nas quais você já havia previsto ou simplesmente saber o que alguém está pensando do nada? No mínimo perturbador certo?!

Apesar de acharmos ou brincarmos algumas vezes dizendo que gostaríamos de poder prever o futuro, se pararmos para pensar em nós realmente possuindo esse “poder” pode não ser tão legal como parecia a principio; e é exatamente isso que essa história nos mostra. Gabriel desde pequeno tem contato com visões que o fazem ver situações com as quais não entende, ou que sua idade tênue não o deixava compreender, mas que vem a acontecer momentos depois. Mesmo sem ter um vasto conhecimento ele sabe que toda a vez que fecha os olhos ele corre o risco de acordar com uma nova memória precedida de um sangramento que mostra que se trata mais do que apenas uma manifestação de seu subconsciente em forma de sonho. Sendo levado de médico em médico e não vendo resultado ele passa a se considerar aquilo que todos costumam falar: um estranho e até mesmo, um louco; mas pior do que se confrontar com situações de deboche por causa dessas visões, é quando esses agouros são sobre coisas terríveis que irão acontecer e que ele não tem como impedir uma vez que nem sempre ocorrem a tempo de ser feito algo ou até mesmo de forma clara para ser entendida.


Narrado em primeira pessoa, o autor conseguiu transportar o leitor para a pele de seu personagem, onde seus sentimentos são ampliados de forma a ser sentido por completo pelo leitor que não estava preparado para emoções tão intensas e cruéis que são infligidas a ele. Muito bem construído, essa é uma obra que não se perde na elaboração de sua construção e cuja originalidade surpreende em uma trama tão bem elaborada que prende o leitor do inicio ao fim. Aqui os elementos são apresentados aos poucos, a história de Gabriel é contada em “flashbacks” onde ele próprio mostra o que o levou a estar onde está atualmente. Em poucas páginas já é possível compreender que o autor Guilherme Gomes sabe o que está fazendo e possuí jeito para escrita. No entanto, um ponto negativo é que por muitas vezes nos deparamos durante a leitura com descrições exageradas e que não acrescentam nada ao enredo, tornando sua leitura cansativa e um pouco entediante apesar de toda a emoção que a história possuí.

Gabriel é um personagem de personalidade forte, onde mesmo com sua pouca idade já a mostra quando é confrontado acerca de suas visões. Mesmo com ninguém acreditando nele, ele sabe que não se trata de um mero problema psicológico que possuí, mas que esses episódios que tem fazem parte de algo muito maior. Porque ele, ele não sabe... mas mesmo sem compreender ele não teme os maus que se mostram para ele, sempre pensando em proteger e ir atrás daquele que apareceu em seus sonhos. Mesmo a se ver preso em um cubículo branco, ele não se deixa desanimar ou abater por completo, e na busca pela compreensão e por contar o que ocorreu a ele, passa a escrever com uma riqueza de detalhes toda a sua história e consequências do que ele considera quase uma maldição. Ele sabe que sua vida está determinada e que ele não tem como mudar mesmo vendo os acontecimentos, mas ainda sim se culpa por não poder fazer mais. Em síntese ele é um personagem complexo e cujas reflexões levam o leitor a refletir também! Quanto aos personagens secundários, não temos muito contato com suas personalidades durante a história, eles estão por lá apenas para ajudar na construção da história, mas não possuem papeis determinantes; principalmente quando ao invés de ajuda-lo, só o julgam e desejam que ele possa ser normal, ao invés de aceita-lo como é.

Quanto à diagramação, eu só tive contato com a obra em formato digital, então não posso falar sobre detalhes que possam vir a existir na edição física. Mas um ponto legal é que Gabriel passa a desenhar sobre os sonhos que têm, e esses desenhos estão presentes no livro para que o leitor tenha uma visão acerca de como ele enxergou e interpretou aquilo que aparece para ele. No mais, a fonte está em um tamanho agradável para leitura e por não ser tão trabalhada também não dificulta a leitura das palavras. Nenhum erro foi encontrado por mim durante a leitura, ou seja, a revisão foi bem feita pela editora que se preocupou em não deixar que erros passassem para a hora da publicação. Ah, mais um detalhe que eu achei bem legal é a forma como eles colocaram os fatos do presente em itálico para situar o leitor; assim sabemos quando estamos lendo sobre algo que já aconteceu e quando estamos acompanhando ele nos dias atuais.


Apenas um sonho é um lançamento de 2017 da Editora Coerência que acertou em cheio ao trazer uma história original para compor o seu catalogo. Intenso, perturbador, essa é uma história que fica na mente daquele que lê por muito tempo mesmo após termina-la; é uma obra complexa, com um tema que não é fácil de ser desenvolvido, mas que o autor soube lidar com perfeição e demonstrou conhecimento acerca daquilo que está escrevendo. Envolvendo elementos psicológicos, somos levados a conhecer a mente de alguém que se encontra no meio de um mundo repleto por escuridão.

Esse é um livro indicado para todos aqueles que buscam uma história profunda, com temas sérios e reais capazes de te envolver e te fazer sentir na pele todos os sentimentos vividos pelo protagonista. Apesar de ser muito bem construído, com uma linguagem acessível e uma boa desenvoltura, em alguns momentos eu senti a leitura um pouco arrastada; no entanto, acredito que foi mais pelo momento em que eu peguei o livro para ler do que ela própria em si. Recomendado para quem quer um enredo diferente, essa é uma obra feita não apenas para entreter, mas também para ensinar!


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!



8 comentários:

  1. Bruna!
    Apenas uma coisa não entendo quando os livros trazem dons, por que os autores insistem que esses dons tem algo haver com distúrbios psicológicos? Por que acahm que os protagonistas tem algum tipo de doença mental?
    Sempre me interesso por livros com essa temática e gosto de ver como o autor desenvolve todo enredo.
    Falou que tem descrições exageradas e desnecessárias, mas ainda assim, gostaria de ler.
    Desejo uma ótima semana!
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ele tem um tema bem instigante. Achei legal por esse tom de desespero, o mistério e o medo de sonhar e prever coisas...
    A gente fica pensando que seria legal mesmo poder ver o que vai acontecer. Mas tanta coisa ruim pode acontecer e saber disso não deve ser bom. É um dom e uma maldição mesmo.
    O livro parece trazer umas reflexões legais e ser bem escrito. Achei interessante, acho que iria gostar se lesse. Tem tanta coisa pra se tirar da história...deve ser legal.

    ResponderExcluir
  3. Oiii *--*

    Não conhecia esse livro ainda, mas ja adorei o enredo. Amo quando as estórias trazem uma trama mais complexa e toda trabalhada nesses problemas psicologicos. Fiquei bem curiosa pra saber como isso foi desenrolando na estória, porque ele não sabe o que tem né. É um tema bem serio mesmo, e deixa o leitor bem envolvido, nem rpeciso dizer que ja quero né.ahhaha

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá !!
    Não conhecia o livro mas caraca que livro !!!
    Parece ser aqueles livros fortes que vai te fazer pensar diferente depois de lê -lo !!
    Já está na minha listinha para ler !
    Ótima resenha !!
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, mas fiquei bem interessada. O enredo parece ser bem intenso mesmo, e já deu pra perceber que o livro é muito bem construído mesmo.
    Gostei de saber que o Gabriel é um personagem bem forte, e eu acho que vou gostar muito dele. Também gostei de saber que a história é bem profundo. A única coisa que também não devo gostar, são essas descrições exageradas, mas acho que vou gostar do livro mesmo assim.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Ainda não conhecia o livro mas gostei muito dos seus comentários.
    Gosto muito quando o livro tem um tom mais profundo, que nos faz refletir e o autor ainda consegue nos colocar na pele do personagem <3
    Dica super anotada <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro mas realmente envolve um grande ar de mistério, o protagonista é um caso bem interessante com o seu dom e fazendo o leitor se surpreender eu gosto de livros assim e logico que esse eu vou querer ler.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna,
    Que livro intrigante! Não conhecia esse lançamento, mas já adicionei na minha lista, pois adoro livros que trazem uma história intensa assim. Fiquei surpreendida com a originalidade dessa história, deve ser uma leitura angustiante do começou ao fim ao acompanhar a jornada desse protagonista, esse dom ou maldição é muito perturbador. Achei a trama bem elaborada mesmo, com esses elementos psicológicos inseridos na história que tornam a leitura mais complexa e intensa.
    Beijos

    ResponderExcluir