26 maio 2017

Resenha Dupla - Fragmenta-me e Incendeia-me


Título: Fragmenta-me [Estilhaça-me #2.5]
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Skoob / Goodreads
Páginas: 70
Onde comprar: Ebook gratuito pela Amazon

"Enquanto o Ponto Ômega prepara para lançar um ataque-surpresa contra os soldados do Reestabelecimento a postos no Setor 45, o foco de Adam está bem longe do campo de batalha. Ele está se recuperando do rompimento com Juliette, apavorado pela vida do seu melhor amigo e preocupado como sempre com a segurança do seu irmão James. E justo quando Adam começa a pensar se aquela vida é mesmo para ele, o alarme soa. É hora de começar a guerra.

No campo de batalha, é como se tudo estivesse a seu favor – mas derrubar Warner não é tão fácil.
O Reestabelecimento não tolera rebeliões, e por isso fará qualquer coisa para massacrar a resistência... inclusive matar a todos que são importantes para Adam."








Olá meus lindos! Estou de volta e hoje trouxe mais uma resenha dupla! \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ 

O conto de hoje é o Conto #2.5 Fragmenta-me, que antecede o último volume da trilogia, Incendeia-me

Esse conto é narrado pelo Adam e é menor que o anterior e já vou antecipar e deixar claro meu desgosto. EU ODIEI MORTALMENTE O ADAM nesse conto. Sério! Ele foi um príncipe no livro 1 e ficou meio apagado no 2 mas não pisou na bola. Porém, ele se desgraçou (perdoem o palavrado chulo, mas é extremamente necessário) completamente aqui. Gente, não sei se todos os acontecimentos em Liberta-me deu uma pane no sistema dele ou o quê, mas suas atitudes e pensamentos em Fragmenta-me foram mais que suficientes para destruir qualquer afeto que criei por ele. 

O Adam que nos é apresentado aqui, não tem nenhuma ligação com com aquele Adam apaixonado. A única prioridade na vida dele é James e o resto que se exploda! É louvável a proteção para com o irmão caçula, mas ele poderia ter tomados atitudes mais racionais e ser menos radical. Sem contar os pensamentos que ele tem em relação a Juliette. Pra quem diz amá-la, ele não tem um pingo de confiança ou fé no potencial dela. 

Enfim, assim como o conto anterior não é uma leitura obrigatória, pois é apenas uma passagem pelo ponto de vista do Adam e é simultâneo com o final de Liberta-me. Seria bom fazer a leitura para, assim como no primeiro conto, entender melhor o personagem no próximo volume. 

Pequena observação: meu desgosto é inteira e exclusivamente com o personagem, pois mesmo com toda a babaquice dele, a escrita da Tahereh é singular e única. 



----------//---------





Título: Incendeia-me [Estilhaça-me #3]
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Skoob / Goodreads
Páginas: 384
Onde comprar: Amazon / Saraiva
"Um dia eu posso romper. Um dia eu posso romper e me libertar e nada mais vai ser igual."
O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado.
Juliette foi a única que restou no caminho d'O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O
Restabelecimento não sobreviverá.
Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira."



Esse é o meu volume favorito da trilogia que ganhou meu coração, e quero apresentar a vocês o desfecho dessa aventura apaixonante. 

O livro se inicia com Juliette se recuperando do tiro que levou em Liberta-me. Ela acorda desorientada e em um local que conhece bem. A surpresa, pode-se dizer assim, é grande e imediatamente ela entra em pânico. 

"Enfim estou ciente da estranheza familiar daquele quarto e logo sou tomada por um pânico que grita que eu não acordei onde adormeci. Meu coração está acelerado e estou me afastando dele devagar, batendo as costas contra a cabeceira, agarrando estes lençóis, tentando não olhar o lustre de que me lembro muito bem..." 

Quando se recorda do que estava acontecendo antes de ser alvejada, ela exige explicações de Warner, quem prontamente lhe deixar à par dos últimos ocorridos, acontecimentos nada agradáveis. A princípio Juliette não acredita que a catástrofe é verdadeira e que todos os seus amigos estão mortos, ela precisa ver com seus próprios olhos. Nessa excursão, ela se encontra com Kenji e os dois trocam suas versões do que vivenciaram na batalha. 

"Eu não acreditei de verdade em Warner. Eu não acreditei que podia ser tão ruim assim. Mas, agora, ver a verdade e ouvir a agonia de Kenji... A realidade de tudo o que aconteceu está me atingindo com tanta força que eu sinto que estou caindo para trás dentro de meu próprio túmulo." 

Só restaram nove sobreviventes do Ponto Ômega e Juliette quer se encontrar com eles. Kenji então a leva onde eles estão escon
didos e a partir daí a coisa começa a esquentar. E muito. A verdadeira batalha se forma. 



[ - Minhas Impressões - ] 

Em Incendeia-me, Juliette não é aquela menininha retraída do livro um, nem aquela medrosa do livro dois. A experiência de quase morte a fez abrir seus olhos e enxergar a verdadeira razão da sua existência.  

Então, agora que restaram tão poucos da resistência, é bem provável que a única alternativa seja apenas se esconder para poder sobreviver. Mas com a chegada de Juliette com sua mente focada, pode fazer com que os ânimos se alterem entre os sobreviventes, tanto de forma positiva como negativa. Pessoas doces podem se tornar cruéis e pessoas rudes, mais complacentes. 

O que mais me deixou deslumbrada nesse volume, foi a evolução da Juliette. Seu salto psicológico é magnífico e muito importante, pois ela mesma vê que se ela tivesse se aceitado a mais tempo, não teria sofrido um décimo do que sofreu. Que de certa forma, as torturas que sofreu foram culpa dela própria por não querer se conhecer e se libertar. 

Sobre os personagens, Juliette continua sendo a principal e com muito mais atitude, mais determinada. Warner e Kenji ganham um espaço ainda maior nesse volume e se tornam ainda mais apaixonantes. Kenji é o tipo de cara que se quer ter por perto em todos os momentos e fazer parte da vida dele também. O melhor amigo, o companheiro indispensável e o soldado perfeito. O Warner é o  típico vilão apenas na fachada,  que não passa de uma vítima de negligência paterna e que foi obrigado a caber em um molde onde o resultado era se tornar um homem frio, calculista e solitário. O mais interessante que achei, é que o Warner não quer mudar sua personalidade pela Juliette e ela, na verdade, não quer que ele mude. A única mudança que vamos perceber, é que ele não precisa mais se esconder. Ele demonstra o que sente e não fica mais preso nas amarras que o pai lhe colocou. Ele se liberta do passado. 

Um ponto que vai ser mais intenso e mais retratado, é o romance entre Juliette e Warner. Quem tiver lido os dois primeiros volumes e ler esse, vai notar a diferença gritante de como os sentimentos entre Juliette/Warner é muito mais profundo e real do que entre Juliette/Adam. Warner sempre estimula e incentiva Juliette a progredir, a evoluir, enquanto Adam queria que ela se escondesse ou ficasse sempre quieta. E só posso dizer que a paixão/atração entre Juliette e Warner é bem linda. As cenas de amor deles chega a fazer o coração querer saltar do peito. São momentos únicos e que nos levam a suspiros intermináveis. Uma coisa super interessante é que a trilogia traz ficção, uma pitada de ação e um lindo romance. Não é uma leitura cansativa ou arrastada, pelo contrário, te incentiva a ler cada vez mais.

Como deixei claro na descrição do conto, o Adam em Incendeia-me passa de detestável a insuportável. É até compreensível que ele se sinta traído com o relacionamento recém descoberto entre Juliette e Warner, mas a verdade é que ele não foi e não tinha necessidade alguma de agir da forma como ele agiu. Ele foi muito imaturo e irracional. Sobre a mudança da sua personalidade, entendo que foi devida as escolhas que foi forçado a fazer, apesar de que achei bem ridículo da parte dele. O bom é que pelo menos no final, ele reconheceu seu lugar e compreendeu que na vida da Juliette ele teria espaço apenas como amigo e nada mais, até porque a personalidade frágil e doce que ele conheceu dela (que na verdade o fez se apaixonar por ela),  não faz parte do seu eu real. 

Outro personagem que tem momentos memoráveis, é o James. Que garoto mais fofo e inteligente! As interações dele com o Warner é algo que precisa de muita atenção. As conversas entre eles são tão espontâneas que dá a impressão que se conhecem há anos, e não dias. E ao se conhecerem, James aimda carrega a imagem que Warner é o vilão, o inimigo. Nessa altura do campeonato, já sabemos de fatos que para o garoto é desconhecido, e James não tem ideia de que o laço que os une é muito mais forte do que apenas se tornarem aliados.

Em cada novo capítulo, uma nova emoção. A leitura é fluída e cativante. A escrita da Tahereh está mais linda ainda. Sobre a edição, li o ebook e não encontrei erros. A capa está linda como as anteriores e tem um detalhe em cada capa (as capas que vem com o olho), na íris do olho que retrata um ponto da estória. Esse pequeno detalhe informa muito sobre a própria evolução da Juliette. Custei a perceber mas é bem interessante... 

Vamos para os pontos negativos (que pra mim não são bem pontos negativos, e sim fatos que eu imaginei que seriam diferentes. Não vou entrar em detalhes nem dizer exatamente o que é pra não dar spoiler). 

Quando a Juliette chega ao seu ápice e pode realiza seu desejo, foi tudo muito rápido! Imaginei que seria uma coisa mais dolorosa e sofrida, realmente causasse tortura, mas foi bem simples na verdade e até fraco. Na minha opinião, merecia um ato mais enérgico e cruel (não sou maldosa, mas era mais que merecido viu gente...). 

E o final também ficou raso em relação a profundidade da trilogia e até mesmo do livro em si. Ressalto que esses pontos não tiram nem um pouco a grandiosidade e a beleza dos livros. É uma leitura muito proveitosa e marcante. Inclusive, recentemente saiu uma notícia que me deixou em êxtase total: a mega diva da Tahereh Mafi vai lançar um quarto livro! (Salva de palmas) O que ela própria diz ser extremamente necessário para suprir o final de Incendeia-me, além de ampliar o resultado da batalha de Juliette e mostrar o que acontece depois, como Juliette evolui.  

Estou aguardando ansiosamente a adaptação da trilogia para série de TV sair do papel, e agora tem mais o lançamento do livro quatro para me descabelar na espera... 

Super recomendo a leitura! É pra quem curte o gênero, para quem quer mudar de ares e conhecer o gênero, é para todos os leitores... Espero que tenham gostado e que embarquem na aventura final (ou não hehehe) dessa trilogia maravilhosa. Leiam e se deliciem!!! 

Me despeço agora de vocês e até a próxima, na semana que vem. 
XOXOXO 



Participe! - Já está valendo!



6 comentários:

  1. Posso dizer com todas as palavras que esse ultimo livro arrasou, e quando o li as folhas se passaram tão rápido pela fluidez da leitura, e quando percebi já havia terminado a leitura. A protagonista está muito amadurecida, e sabe o que quer fazer, e o executa e é o que deixa essa trama maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas Lana! O terceiro livro cumpre o propósito. Ainda mais com a novidade do quarto livro que a autora irá lançar. Essa série é maravilhosa!

      Excluir
  2. Jessica!
    Sempre digo que é uma das melhores séries de ficção/fantasia que já li.
    Desde o prmeiro livro que não gostei muito do Adam, sempre apático e medroso, sem grandes iniciativas. Torci sempre para que Juliette ficasse com Warner, tinha mais química entre eles e a postura como agem são parecida.
    Fico também na torcida para que se torne série televisiva.
    Bom final de semana!
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia que cometi a tolice de ficar do lado do Adam no começo? Ai ai ai...
      Mas também é impossível não se apaixonar pelo Warner e toda sua personalidade né? Essa trilogia ocupa o topo do meu coração ♥

      Excluir
  3. Olá! Eu não li os livros, não conheço a trilogia, então é difícil opinar, mas a sua resenha ficou ótima. Achei muito interessante do detalhe que você ressaltou das capas, em que cada olho retrata algum evento que acontece. Eu não tenho como entender a referência, mas achei muito legal, adoro quando as capas são bem pensadas assim!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Está aí uma boa oportunidade para conhecer a estória! Não vai se arrepender.
      Obrigada pelo comentário!
      Bjs.

      Excluir