12 janeiro 2017

Resenha - Juntando os pedaços



Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.


Livro: Juntando os pedaços
392 páginas || Skoob || Cortesia: Companhia das Letras || Onde Comprar









Jack Masselin é o tipico popular da escola: rico, atraente e namorado da garota mais cobiçada. Ao vê-lo, ninguém imagina que esconde um grande segredo. Jack possuí uma doença rara chamada prosopagnosia que o impede que reconhecer feições. A doença é tão séria que nem sua própria família ele consegue identificar. Assim, Jack passa sua vida procurando coisas que façam as pessoas à sua volta se tornarem únicas, como um óculos, jeito de arrumar o cabelo, pinta no rosto, etc. Ninguém sabe de sua condição, e em meio a tantas inseguranças e as coisas imbecis que seu grupo popular faz, Jack conhece Libby.

"A verdade é que não sei o que significa ver o mundo como as outras pessoas veem. […] Todos olham uns para os outros e veem a mesma coisa, mas eu tenho que me esforçar mais para enxergar o que está por trás do rosto. É como se desmontasse cada um e depois montasse de novo."

Libby Strout sempre foi gordinha. Lá na pré escola seus professores e colegas já a julgavam por ser fora do padrão, mas as coisas se tornaram piores quando tinha 10 anos e sua mãe veio a falecer. Libby encontrou na comida seu escape para dor, e assim, ela tornou-se a adolescente mais gorda dos EUA, precisando até mesmo passar por uma intervenção especializada. Apôs alguns procedimentos, ela emagreceu, ainda pesa cerca de 150Kg, mas agora, Libby decidiu que deseja voltar a ter uma vida normal e ir para escola como qualquer pessoa da sua idade. Só que ao voltar, ela percebe que as pessoas continuam sendo piores do que se lembrava.

"– Por que as pessoas se preocupam tanto com o meu tamanho?
Ela não responde, só pega minha mão e segura. Bailey não precisa responder, porque não existe resposta. Só que apenas as pessoas pequenas – pequenas por dentro – não aguentam o fato de alguém ser grande."

Em uma cena humilhante, Libby e Jack vêem suas vidas serem mudadas completamente, e em seus medos e inseguranças, encontram apoio um no outro.




[- Minhas Impressões -]

Quando li Por lugares incríveis lembro-me que fiquei me perguntando como uma pessoa pode escrever algo tão profundo e maravilhoso. Era como se a autora realmente tivesse passado por tudo aquilo, e assim, colocou em palavras cada sentimento verdadeiro. E agora, com Juntado os pedaços, Jennifer Niven conseguiu mais uma vez me passar esses sentimentos.

Aqui temos uma estória narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista alternado da Libby e do Jack. Também possuí algumas alternâncias cronológicas em forma de flashbacks que nos fazem entender melhor o contexto do que levaram os personagens até aquele momento. Se tem algo que a autora soube fazer é dar um show de representatividade. Libby é uma garota obesa e Jack um garoto rico negro, não só isso, ela deixa bem claro que todo mundo tem alguém especial no mundo.

“Sigo em frente. O bom de ser grande é que fica fácil abrir caminho.”

Libby é uma personagem sofrida, mas ao mesmo tempo é estupidamente forte. Desde cedo é obesa e após a morte da mãe, descontou toda sua ansiedade na comida, tornando-se assim, a adolescente mais gorda dos EUA. Ela enfrentou muita coisa até tomar a decisão de voltar a estudar como uma pessoa normal, e mesmo sabendo que enfrentaria o ódio gratuito das pessoas, ela se manteve firme. Houve alguns momentos em que eu me sentia mal por tudo aquilo que estava acontecendo com a Libby. É tão incompressível o quando as pessoas se satisfazem fazendo outra se sentir mal, e Libby passou por muito ódio gratuito. Essas pessoas não tinham porquê odiá-la, elas a odiavam simplesmente porque tinha um corpo diferente aquilo que se considera "normal". Foi nesse ponto que o livro se tornou mais profundo pra mim.

As pessoas dizem que o bullyng é coisa de criança, que é só uma brincadeira, mas elas se esquecem que cada pessoa tem uma forma diferente de agir, aquilo que não significa algo pra você, pode ter um mundo nas costas de outra pessoa, e as coisas só se tornam piores quando quem lhe insulta não te conhece. Libby perdeu a mãe e achou um escape nada saudável, mas que fez com que ela superasse de certa forma, ou pelo menos, tornou a dor menor, e mesmo assim ela teve que sofrer pela ignorância alheia.

“A gente não pode lutar as batalhas das outras pessoas, por mais que dê vontade.”

Jack é um cara negro, rico, popular e que não possui personalidade alguma, ele simplesmente faz aquilo que seus amigos estão fazendo, só para se enturmar. Nunca vi um personagem tão perdido em si mesmo como ele, e isso nem se deve ao fato da sua doença, mas sim porque ele tem medo. A forma com que ele e Libby se conhecem é humilhante, mas a partir desse momento percebem que não são os únicos perdidos, e juntos começam a criar algo sólido que os sustentam.

O livro trata de vários assuntos sérios e importantes, como bullyng, preconceito, gordofobia, descobertas pessoais e a doença de Jack, prosopagnosia, que é uma doença rara que impede que o indivíduo reconheça feições. Até então eu nunca tinha ouvido falar dessa doença, e não consigo imaginar como deve ser olhar para sua mãe e não reconhecê-lá, ou pior, se olhar no espelho e não saber que quem te olha de volta e você mesmo. Ao mesmo tempo, pode ser considerado uma benção pois quem o tem, aprende a ver as pessoas além das aparências, e assim conhecer aquilo que todos trazem por dentro, já que o exterior pouco importa.

“Mas estou confortável assim. Talvez eu perca mais peso. Talvez não. Mas o que as pessoas têm a ver com isso? Quer dizer, desde que eu não sente em cima delas, quem se importa?”

A parte gráfica do livro está fantástica, trás uma capa belíssima que revela bastante da estória e internamente também não deixa a desejar, com folhas levemente amareladas, orelhas e uma formatação que proporciona uma leitura agradável. O título traduzido também não poderia ter feito mais sentido, e só lendo podemos entender o quanto se encaixa perfeitamente na estória.

Enfim, Juntando os pedaços é uma estória profunda e cheia de significado. Recomendo a leitura para todos aqueles que buscam algo diferente, e se surpreendam, assim como me surpreendi.


25 comentários:

  1. Olá Stefani,
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. É um título que já esta na minha lista de desejados, porque só leio bons comentários e o quanto é uma trama profunda, assim como na sua resenha, que me deixou ainda mais motivada e instigada para conhecer essa trama. Acho que irei adorar!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei sua resenha, mas acho que houve um equívoco, talvez não seu, mas causado pela autora. Creio eu que a premissa da história é que os dois aprendem a ser suas próprias âncoras, para então se tornarem namorados e construírem um relacionamento. Entretanto, em sua resenha, você diz que eles começam a construir algo sólido e é ali que se apoiam para melhorar. Essa é a parte que eu menos gostei.
    Talvez, no fim das contas, a autora não tenha conseguido fazer o Jack crescer tanto e se amar, de fato, como a Libby se amou. Então por isso o romance pareceu ser a cura.
    Entretanto, acho que não é isso. Acho que eles não são metades da laranja. Pelo menos não para Libby. Mas um acréscimo. Ou é assim que tem que ser, pelo menos.
    Beijos!
    Vivendo no Infinito - http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Essa autora é maravilhosa!
    Por lugares incríveis já fiquei apaixonada e estou com esse livro pra ler.
    Espero me apaixonar e me surpreender com a leitura também assim como você!
    Parabéns pela resenha!

    https://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Confesso que quando vi a capa desse livro por aí, não tinha noção que ele teria essa trama tão instigante, e admito, não tinha parado para ler nem a sinopse dele. Contudo, agora que parei para ler a sua resenha e a sinopse, fiquei completamente atraída. Gosto de livros nesse estilo, que apresente ao leitor uma história profunda e cheia de significados, assim como você pontuou logo no fim da resenha. Espero que a leitura me surpreenda e supere as expectativas que já criei.

    Beijos,
    Dai | Virando a Página

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Nossa que interessante. Eu fiquei apaixonada. Já anotei aqui para comprar o livro. Eu não conhecia a obra ainda, mas fiquei bem atraída. O que me interessou mais foi a questão da doença dele e sua popularidade, dois ingredientes que parecem tão distantes né ?! Mas achei o comentário da Beatriz bem pertinente, ainda assim, quero ler a obra.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá
    estou doida para ler algo da autora, vejo muitos comentários referentes a esse livro e o outro. A autora parece ter o dom de tocar as pessoas, e informar coisas que acontecem ao nosso redor. Amo como ela trata coisas tabus de uma forma original. A premissa desse livro me agrada em muitos quesitos, não vejo a hora de poder ler, pois já me sinto ligada aos personagens só de ler as resenhas. Parabéns pela resenha ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Ai gente, sobre Juntando os Pedaços, sobre Por Lugares Incríveis, sobre a autora, sobre tudo, só posso dizer: sinto vontade de chorar.

    http://www.morandoempasargada.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie! Eu nunca li nada da autora, mas há muito tempo tenho vontade de ler Por Lugares Incríveis, porque todo mundo que leu gostou e ainda encheu de elogios. Quando descobri Juntando os Pedaços, já joguei para a minha lista de desejados e espero poder ler o mais breve possível. Parece ser uma história realmente impactante e eu não sei como reagiria durante a narrativa, mas tenho certeza de que ficaria indignada com todo esse ódio que as pessoas direcionam para a garota. Mas o que me deixou mais ansiosa para ler foi a força que você disse que ela tem e esse encontro que os dois personagens terão. Quero muito ver o que eles farão para superar todas essas dificuldades!

    Beijos,
    Fernanda Goulart
    Psiu, vem ler! | @psiuvemler

    ResponderExcluir
  9. Oie!Não sei porque, mas os livros dessa autora não me chamam a atenção e em todos os blogs que eu entro encontra resenha de algum livro dela, pelo jeito o livro lhe surpreendeu bastante, mas infelizmente vou passar a dica!
    Bjss http://resenhasteen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!! :)

    Eu já ouvi falar imenso deste livro ultimamente!! :) E fico contente que tenhas gostado da leitura, o que me deixou com mais vontade ainda de ler! :)

    Realmente, e muito conseguir abordar tantos temas e tao profundos num único livro!! Parabéns! E que e profundo e mexe com o leitor!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Olá Stéfani,
    Esse foi o meu primeiro contato com a autora e foi um livro que entrou para a lista de favoritos. Pode ser, entretanto, que o livro não chegue aos pés do que é Por Lugares Incríveis, mas acho que é uma leitura que valeu muito a pena. Também achei a Libby uma personagem estupidamente forte e fiquei tão contente de ter lido essa obra que nem sei dizer.
    Eu gostaria que a doença do Jack atingisse o mundo inteiro, pois aí o interior teria seu devido valor.
    Adorei suas impressões.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  12. Oi Stefani,

    Gostei da sua resenha, já tinha lido outros resenhas sobre esse livro, mas acho o tema muito batido, muito comum.
    Mas apesar de tudo está na minha lista de quero ler, e quando criar uma vontade maior irei ler.
    Bjus

    ResponderExcluir
  13. Oi Stéfani, tudo bem?
    Eu já vi um filme onde a protagonista sofria de prosopagnosia e é claro que não pude deixar de me surpreender com o quanto a doença é cruel, especialmente porque impede os afetados reconhecerem as pessoas amadas e os familiares. Achei muito legal a autora ter apresentado personagens 'diferentes' na trama, até porque a presença da representatividade na literatura se faz muito importante. Por lugares incríveis será uma das minhas próximas leituras e se o livro for tão bom quanto dizem, com certeza irei adquirir o exemplar de Juntando os Pedaços. Adorei a resenha.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  14. Ola, sempre escutei sobre os livros da autora, nunca tive coragem de comprar, colocava na lista, mas outras prioridades vinham na frente. Acredito que com essa resenha eu vá jogar ele lá no topo, até porque sei o que a protagonista vive, eu era uma gordinha que sofria muito preconceito e ver como ela superou vai ser mais um ponto forte para não ligar para os outros. A resenha foi tão bem construída que me senti dentro do livro, lendo cada parte foi uma descoberta que eu adoraria ter ao ler realmente a obra. Parabéns.
    http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir
  15. Oie amore,
    Tem um amigo meu que leu esse livro e desde que ele postou um comentário estou mega curiosa pela leitura, e sua resenha fez essa vontade aumentar ainda mais srsrs.
    Adoro histórias que nos surpreendem e cheias de significados como essa parece ser.

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi! Que delicadeza de história!!

    Desde que vi o lançamento, fiquei com muita vontade de realizar a leitura. Quando os livros retratam doenças e perdas, me encanto com o enredo e creio que com esse não seria diferente.

    Jack me encantou, logo ali na sinopse e sua indicação de ser uma obra profunda e que traz muitos significados ajudou a colocar o livro nas próximas leituras (:

    Dica anotada!

    ResponderExcluir
  17. Oii, Stefani!
    Eu também nunca tinha ouvido falar dessa doença, e não consigo nem imaginar como deve ser, é estranho demais.
    Esse foi o primeiro livro que eu li da autora, mas já ouvi falar de sua outra obra e sempre com ótimos comentários. Li com as expectativas altas, e realmente é um livro maravilhoso.
    Jack me deu raiva em vários momentos, acho que era muito fácil colocar a culpa só na doença. Eu gostei de como foi desenvolvida a relação dos dois. É um livro reflexivo e emocionante.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  18. Oi, nunca li nada na da autora, apesar dos inúmeros comentários positivos que eu vejo da autora. E mais uma vez me vejo diante de uma história profunda e envolvente produzida por ela, acho que realmente os dois personagens são complexos e que possuem histórias complicadas que os fazem ver a vida e ter que lidar com ela de outra forma... Acho que é a típica história que me emocionaria e estou ansiosa para saber como um irá ajudar o outro. Com toda a certeza espero conseguir ler o mais rápido possível!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  19. Adoro livros com flashbacks e achei o máximo isso da autora ter proporcionado representatividade no enredo. Sou louca para ler algo dela, tenho Por lugares incríveis aqui e vou começar por ele. O tema bullying não me atrai muito, mas mesmo assim quero ler essa obra também, afinal, ela trata de muitos outros assuntos importantes. Espero me surpreender como você!

    ResponderExcluir
  20. Oi Stefani,

    Eu adorei o outro título da autora e to bem ansiosa para ler esse, principalmente por tratar de vários transtornos e problemas sociais. Fiquei bem interessada na premissa do livro e acho que voou curtir muito, porque a autora tem uma escrita viciante. Adorei sua resenha, espero poder conferir logo. :)

    bjs!

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem? Ainda não tinha ouvido falar deste livro, mas já conhecia a autora e ouvi muitas coisas boas a respeito dela. Confesso que pela sinopse não imaginei que o livro seria tão profundo como você disse, mas sua resenha conseguiu despertar minha curiosidade. Não é tão fácil achar livros que possuem histórias assim, com assuntos tão importantes sendo discutidos e que são realmente bons. Fico feliz com sua dica, obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Oi Stef, como está?
    Uma sinopse extremamente interessante e pelo que tu disse, um desenvolvimento igualmente fantástico abordando temas tão atuais e falando de uma doença que é bem pouco conhecida. Pois eu nunca ouvi falar dela mesmo tendo um certo conhecimento sobre doenças oculares, já que tenho um pai cego em consequência do glaucoma e uma mãe com astigmatismo.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Esse livro foi uma das minhas melhores leituras de 2016, foi praticamente devorado em poucas horas.

    Me foi tocante e importante ler esse livro, pois eu sou uma Libby Strout. Ver sua força também me deu forças... A escrita da autora é incrível e muito tocante, ainda não li Por lugares incríveis, mas eu o quero muito!

    Ótima resenha!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  24. Sabe que você conseguiu me deixar encantado com Jack? Gostei dos temas tratados no enredo, até mesmo a parte de bullying e gordofobia, que é algo que faria eu ler o livro. Achei interessante os pontos ressaltados por você nestas suas impressões da história em si, e acredito que conseguiria pensar o mesmo que você.

    ResponderExcluir
  25. Oie
    Tudo bom?
    Nossa esse livro passa uma mensagem bacana é assim como você nunca tinha ouvido falar dessa doença do personagem principal, deve ser horrível não poder reconhecer ninguém.
    Quero muito ter a oportunidade de ler essa história.
    Beijos

    ResponderExcluir