20 janeiro 2017

Resenha - George




Título: George
Autor: Alex Gino
Editora: Galera Júnior
Skoob Goodreads
Páginas: 144 
Onde Comprar: Saraiva / Submarino / Amazon

Seja quem você é. Quando as pessoas olham para George, acham que veem um menino. Mas ela sabe que não é um menino. Sabe que é menina. George acha que terá que guardar esse segredo para sempre: ser uma menina presa em um corpo de menino. Até que sua professora anuncia que a turma irá encenar “A teia de Charlotte”, e George quer muito ser Charlotte, a aranha e protagonista da peça. Mas a professora diz que ela nem pode tentar o papel porque... é um menino. Com a ajuda de Kelly, sua melhor amiga, George elabora um plano. E depois que executá-lo todos saberão que ela pode ser Charlotte — e entenderão quem ela é de verdade também.








"Se George estivesse lá, ela se encaixaria na cena, rindo e juntando os braços com os delas. Usaria um biquíni rosa-choque e teria cabelo comprido, no qual as novas amigas adorariam fazer tranças. Elas perguntariam o nome dela, e ela diria: meu nome é Melissa. Melissa era como ela se chamava no espelho, quando ninguém estava olhando e ela podia pentear o cabelo castanho liso para a frente, como se tivesse uma franja."

George era uma criança de dez anos. Ele nascera menino, mas, no seu íntimo, sentia-se uma menina e sonhava em ser uma. Para isso, enquanto os meninos de sua escola se interessavam por jogos e futebol, George tinha um tesouro secreto, que fazia a sua felicidade: uma coleção de revistas femininas, nas quais ele lia sobre maquiagem, acessórios, roupas e comportamento feminino. Ele era uma criança excluída, que tinha apenas uma melhor amiga, Kelly, a única que o aceitou como ele era sem questionamentos e sem dúvidas. Porém, a medida que o tempo foi passando, George sentia vontade de se revelar ao mundo, mas sabia que isso seria difícil.

"— Não era piada. Eu quero ser Charlotte. — A voz de George soou bem mais baixa agora que ela estava falando as próprias palavras.

— Você sabe muito bem que não posso escalar você como Charlotte. Tenho meninas demais que querem o papel. Além do mais, imagine como as pessoas ficariam confusas. Agora, se você estiver interessado em ser Wilbur, isso é uma possibilidade. Ou talvez Templeton. Ele é um sujeito engraçado.


— Não, obrigado. Eu só... eu queria..."

O auge desse desejo, foi quando a escola onde ele estudava resolveu fazer uma peça para apresentar, trazendo a história de uma aranha. Empolgado, George ensaiou horas a fio para tentar uma vaga para o papel principal, a interpretação de Charlot, a aranha. Porém, quando tentou a vaga, a professora o proibiu, dizendo-lhe que ele deveria tentar um papel masculino. Ao mesmo tempo, a mãe de George descobre suas revistas, e ele precisa enfrentar o longo dilema do preconceito e lutar para ser Melissa, como ele sempre desejara.

"Devia jogar as revistas fora, ela pensou. Devia se livrar completamente delas. Mas não podia botar no lixo da cozinha. Mamãe ia acabar vendo e ia querer saber de onde vieram. Mesmo se George colocasse diretamente na lata de reciclagem lá fora, alguém podia acabar reparando nelas. Além do mais, ela não sabia se era capaz de abandonar as amigas das revistas assim. E, mesmo que fosse, não podia parar de querer ser como elas.
Então, ela abraçou as revistas com força contra o peito, depois guardou com cuidado para a próxima vez."

Com um enredo bonito e que traz muitas reflexões, George nos apresenta a realidade de muitos meninos e meninas que estão ao nosso redor e mostra presença do preconceito desde muito cedo.

"— E que novidade tem nisso? Você é forte. Mas o mundo nem sempre é bom com as pessoas que são diferentes. Só não quero que você torne seu caminho mais difícil do que precisa ser."

Assim que vi esse enredo, imediatamente fiquei intrigada, por ele trazer um transgênero que se descobriu muito cedo, e então imaginei que o livro seria de uma pureza ímpar. E realmente o foi. George me surpreendeu em todos os sentidos: começando pela forma como tudo foi abordado, sem exageros, fazendo com que tudo parecesse ser bastante real, até a abordagem dos preconceitos e a maturidade do personagem de dez anos, que era tão novo mas ao mesmo tempo já era tão sábio, dando-nos uma grande lição e deixando quem lê essa obra encantado com cada página lida.
O tema do menino que se sentia uma menina, por si só, é um ponto mais que positivo. Em tempos de divulgações e discussões dos vários gêneros, é importante que isso seja também trazido para a literatura, a fim de desmistificar preconceitos e quebrar barreiras e nesse sentido "George" cumpre muito bem o seu papel. Além disso, toda a inocência de George, dá um charme a mais para a obra e seu desejo puro e sincero de ser reconhecido como uma menina é bastante tocante. Ainda, gostei muito de como a autora abordou a aceitação e o preconceito das pessoas ao redor, demonstrando reações bastante verdadeiras e diversas, como ocorre normalmente.

Particularmente não encontrei pontos negativos a destacar, o livro apenas não se tornou meu favorito por ter sido curto demais, e quando comecei a me envolver com ele, a obra estava no fim, e confesso que fiquei com muita vontade de conhecer uma vida futura daquela criança.

Quanto aos personagens, George, que queria ser conhecido pelo nome  de Melissa, é um menino tímido que passa o tempo que pode observando revistas femininas, apenas para saber o comportamento das meninas e para ter esperanças de realizar o seu sonho de ser uma delas. É um garoto calado, comportado e que muitas vezes sofre Bulling calado, porém, não permite que isso abale seu espírito sonhador. Sua mãe e seu irmão, também são personagens muito importantes para a obra e são cativantes, além de Kelly, a melhor amiga de George que lhe dá um apoio imenso e compreende todo o sentimento do amigo, mesmo ela sendo tão nova. Quanto aos personagens secundários, temos os colegas de George na escola, que como várias crianças reais, são muitas vezes cruéis e intolerantes com a situação.

O livro é dividido em doze capítulos curtos, narrado em terceira pessoa e possui menos de duzentas páginas, o que fez com que minha leitura, em ebook, fosse rápida e durante ela não encontrei erros.
Recomendo a obra para os leitores que gostam de histórias infanto-juvenis, que trazem lições para o leitor e deixam um gostinho de "Quero mais".


21 comentários:

  1. Olá, Tamara, tudo bem?

    Eu não conhecia este livro, tão pouco o autor, mas pela apresentação que você fez aqui em sua resenha, fiquei bastante intrigada pela trama. Sua opinião me instigou bastante, e confesso que estou cheias de expectativas. Gosto de livro reflexivos, e que abordem temas impostantes e reais. Dica super anotada!

    Beijos,
    Dai | Virando a Página

    ResponderExcluir
  2. Oie! Tudo bem? Não sou fã de livros desse gênero, mas esse parece ser muito fofo e puro, principalmente por ser narrado por uma criança de 10 anos, e sobre o bullying só quem passa sabe o que é, e sim infelizmente crianças e até mesmo adolescentes quando querem são muito cruéis, experiencia própria, vou indicar esse livro para um amigo que com certeza irá gostar da leitura!
    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Olá
    O que dizer desse livro use sinto muita vontade de ler mas não tive oportunidade! Eu sou muito fã de Infanto Juvenil e ver que é super indicado para mim já me deixa mais empolgado kkk. A trama que o livro trás é bem interessante de se ler e como só li resenhas bem positivas, creio que a leitura não irá me decepcionar. Até mais ver
    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tamara!
    Esse parece ser um livro tocante e cheio de emoção. Tão feliz que o pequeno pode ter o apoio de pelo menos uma pessoa. <3
    Sobre o assunto já li "Simon vs. a agenda Homo Sapiens" e "Apenas Um Garoto", gostei dos dois, mas nem tanto. Talvez esse livro viesse a me tocar mais por conta de ser na visão de uma criança de 10 anos.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Tamara, tenho muita curiosidade para ler este livro, principalmente por algo que você pontuou na resenha, sobre sim, ser a realidade de algumas crianças ao nosso redor. Acredito que a leitura dentro de sala de aula, para este público, seria muito pertinente.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá eu li "George" recentemente, e ao contrário de você, a história da George entrou para a minha lista de favoritos, gostei demais da forma delicada como o autor abordou o tema de uma criança tranas e como construiu toda a trama.

    ResponderExcluir
  7. Olá ♥
    Tenho uma curiosidade enorme diante desse livro, na Discovery uma vez passou um documentário sobre crianças transgêneras, e me chamou muita atenção, teve até uma menina que falou " Eu nasci menino, mais em um sonho eu me aceitei como menina" e mostrou toda a aceitação da família, que hoje a trata como menina, e se veste como menina. A família sempre a aceitou. Minha expectativa para leitura desse livro está lá em cima. O livro nos trás uma abordagem que muitas pessoas deveriam ler, e dar um pouco mais de atenção. Depois da sua resenha fiquei mais ansiosa para poder ler. Espero gostar tanto quanto você. Um grande beijo

    ResponderExcluir
  8. Olá! Para que se sente como George, realmente é difícil se revelar ao mundo, ainda há muito preconceito. Que bom que tem um enredo muito bonito, traz muita reflexões, que o George conseguiu surpreender em todos os sentidos e tem a história tem a sua pureza. Que pena que não se tornou seu livro favorito só por ser curto demais, porém que bom que não encontrou pontos negativos. Não conhecia o livro, sua resenha além de me apresentar, me fez pensar em dar uma lança a história que trata esse assunto. Anotei a dica. Beijos'

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Esse livro me parece incrível, envolvente e emocionante; o assunto da sexualidade não é muito abordado para as crianças então será uma super experiência conhecer a visão de uma criança de 10 anos sobre esse assunto, quero correr já para comprar e sentir a amizade que ele construiu com a amiga dele, fiquei encantada com sua resenha, dica mais que anotada.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Tamara.
    Eu não sabia que esse livro trata de um assunto tão importante atualmente! Isso é demais, fantástico mesmo.
    Mos quotes que você destacou, reparei que o autor usa o pronome ela para se referir ao George, mas respeitando o desejo dele de ser Melissa. Muito lindo!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não tinha ouvido falar do livro e nem conhecia o autor. Sua resenha ficou muito boa e eu gostei muito das citações do livro. Não é meu gênero preferido, então não sei se leria. Mas é muito interessante o tema abordado pelo autor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Não leio muitos livros juvenis, quando escolho fazer isso opto por uma obra que me permita uma grande identificação e me faça de preferência "voltar no tempo". Embora seja um livro que realmente tem seu valor pelo tema, não me proporcionaria isso. Fora que cansei um pouco de obras que tratam de bullying, o assunto foi tão explorado que prefiro ler coisas diferentes. Mas fico feliz que tenha gostado!

    ResponderExcluir
  13. Oi!

    Eu quero muito conhecer essa obra, desde que foi lançada ano passado, fiquei bem curiosa com ela. Espero poder conferir esse ano. Adoro o assunto, transsexualidade ainda é tabu e ainda falta muita informação. Gosto quando os autores abordam de forma mais simples e cativante. Adorei a sua resenha, é uma pena que o livro seja curto. :(

    bjs!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    A resenha deste livro só me fez refletir em como as crianças que nascem com certo gênero devem se sentir ao não se encaixarem naquele corpo, que pra eles parece tão estranho.
    O preconceito que sofrem...
    Gostaria de conhecer mais sobre a George..

    ResponderExcluir
  15. Oi colega, tudo bem? rs!
    Adorei a tua resenha e achei a proposta desse livro maravilhosa! Ainda mais nesse mês da Visibilidade Trans, onde eu fiz, até agora, três posts sobre mídias relacionadas à transexualidade.
    Dica muito bem anotada!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Olá,
    Desde o lançamento que estou louca para fazer a leitura de George mas ainda não consegui.
    A premissa é muito interessante e estou curiosa para conferir a leveza com que o autor trata de um tema tão delicado através de uma criança e como todos ao seu redor irão lidar com a situação! Deve ser bem complicado para a cabeça de uma criança todos esses sentimentos.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Que pena que um livro que traz um tema tão bom, e de uma maneira tão sensivel, ser curto. Acredito que se o número de páginas fosse maior, teríamos ai mais temas desenvolvidos. Tinha visto a sinopse do livro no Skoob, e gostei de que na sua resenha, eu entendesse mais o que o personagem quer passar, e como o autor fez um desenvolvimento bem envolvente no enredo.

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Esse livro é uma belezinha e eu também fiquei com esse gostinho de quero mais, porque é uma obra que me agradou muito mesmo. Assim como você adorei a inocência de Melissa e o autor abordou tudo de uma forma tão direta e real, que fiquei encantada. Enfim, fico feliz em ver que você também gostou da leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Nossa que livro lindo e mais significativo!

    Pela capa, de fato não daríamos nada para ele, mas parece ser um relato simples e sincero de uma criança cuja vida não é vivida como deve, mas sim como o obrigam a viver. Espero que o final tenha sido bom!!!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  20. Oi tudo bem? Achei sua resenha muito bem escrita, sobre o livro, realmente é muito difícil ainda lidar com o preconceito existente na sociedade, são pessoas assim como qualquer outra que precisam de apoio!

    Bjos, Dri
    http://deixeclarear.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi.
    Tudo bom?
    Não conhecia esse livro é só por dizer que esse assunto foi abordado de uma maneira leve, me fez querer acompanhar toda a história.
    Beijos

    ResponderExcluir