05 setembro 2016

Resenha - Graffiti Moon


Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.
Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?
O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.
A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.
Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Livro: Graffiti Moon
240 páginas || Skoob || Editora: Valentina || Onde comprar 





Resenha - Rockfeller





Beto Rockfeller, que possui uma leve versão da síndrome da mão alheia, sonha em fazer sucesso com sua banda de rock. Após ser preso injustamente em um protesto na Avenida Paulista, é liberado e orientado a deixar São Paulo. Ele e sua desconhecida banda — cujos integrantes são: Yakult, Gringo e Santiago dos Santos — decidem se mudar para a mística São Thomé das Letras, a Machu Picchu brasileira. É exatamente nessa aconchegante cidadezinha mineira que começa uma trama estonteante e dinâmica — repleta de aventuras, romances, crimes e mistérios.  Rockfeller se envolve com Anita Andrade, a namorada de um dos seus amigos. Esse triângulo amoroso é surpreendido com a súbita aparição de uma terrível enfermidade. Ele, desconcertado, se vê diante de uma difícil decisão, que mexe brutalmente com seus princípios morais e o pior, Rock pagará caro por sua indigesta decisão, seja ela qual for. Além disso, é obrigado a conviver com seus fantasmas, desilusões e psicoses e ainda tem de se acostumar com um enigmático corvo que o persegue.  No entanto, após muito tempo, Rockfeller consegue uma segunda chance de ser feliz no Rio de Janeiro, as suas desventuras e psicoses ressurgem, e isso pode levá-lo a uma irreparável situação em que nem tudo que se vê pode ser real...

              Título: Rockfeller
180 páginas || Skoob  || Editora: Nova Paris  || Cortesia: Autor Parceiro ||
   
 


Rockfeller foi um livro que comecei a ler sem grandes expectativas e fui surpreendida por uma história sensacional e que me cativou do início ao fim. Li o livro em pouco mais de duas horas e simplesmente não consegui desgrudar de suas páginas por um segundo sequer.

Beto Rockfeller se mete em uma encrenca em São Paulo e é aconselhado por seu pai a deixar a cidade por um tempo até que a poeira abaixe. Logo ele e seus amigos e companheiros de banda decidem ir todos juntos para São Tomé das Letras. Gente nem preciso dizer que adorei a escolha da cidade! Eu sonho com o dia que poderei conhecer essa cidade por causa de todas suas lendas, beleza e energia.

Yakut ( adorei esse apelido) na minha opinião é o amigo mais leal de Beto que sempre o entende sem questionar. Guarda os segredos dele e está sempre lá para ajudar nos momentos difíceis. Gringo tem esse apelido por ser estrangeiro e é um cara bem esquisito, mas que no fundo também é um grande amigo e Santiago que é o galanteador e mulherengo.

Os quatro tem uma banda de rock e estão naquela fase adolescentes dos anos 70 bem na pegada sexo, drogas e rock and roll. Tanto que muitas aventuras que eles vivem em São Tomé das Letras lembram muito a Woodstock. Eu me identifiquei muito com os personagens e confesso que eles me deram certa nostalgia da minha adolescência e dos meus amigos rock and roll. Outra coisa que gostei bastante foi as passagens de músicas e bandas que os personagens ouviam como Raul Seixas, Legião Urbana, Led Zeppelin ( bandas que amo de paixão).

Rockfeller  já estava estabilizado em São Tomé das Letras com um emprego fixo e morando com seus amigos. Tudo estava bem tranquilo até que ele acaba conhecendo Anita, namorada de Gringo e mesmo sem jeito não consegue evitar se apaixonar por ela. E por ser a primeira vez que se apaixona ele sente tudo com muita intensidade e logo esse amor é retribuído também. Anita descobre que tem uma grave doença e no meio disso Gringo vai embora em um momento difícil e Rockfeller está lá para ajudá-la. Então, nesse momento, percebemos como ele realmente gosta dela e como é capaz de tudo para conseguir que ela se cure tomando uma decisão drástica, uma escolha errada que mudou sua vida e fez com que ele perdesse toda sua juventude na prisão.

No meio de tantas perdas e desilusões ele começa a ver coisas que podem ser tanto reais quanto alucinações e que vai piorando ao longo do tempo.

" Encostei-me na parede e fiquei a admira-la. De repente ela se virou e deixou as costas nuas. Tive a sensação de que a tatuagem do corvo se mexia, mas era apenas sensação. O silêncio se tornou enlouquecedor. Senti um mau presságio..."

Quando finalmente Rockfeller sai da prisão agora já um quarentão com os sonhos da juventude perdido ele tem a chance de recomeçar e ser feliz novamente no Rio de Janeiro. Mas suas alucinações estão cada vez mais frequentes e muita coisa acontece daqui por diante, por isso, não posso falar muito para não estragar a surpresa do final que me surpreendeu e por nenhum momento imaginei que o livro teria esse desfecho.

"O tempo é a estrada que nos trouxe para vida e que, um dia, nos levará para a morte. O tempo é o papel no qual deixamos nossas marcas e, se form bem marcadas, nunca se apagarão. O tempo é a união de tudo o que nossa mente produz, pensar é estar ligado ao tempo, é estar vivo. O tempo, ninguém nunca viu, mas todos sentem. O tempo é apenas um buraco negro que engole tudo o que existe, e o que não existe também."

Gostei muito da forma como o autor Alexandre Apolca deixou um final digamos entre aberto onde o leitor pode tirar suas próprias conclusões sobre tudo que se passou com Rockfeller.  Afinal será que ele realmente era louco ou teve algo de sobrenatural o rondando? Acho que para cada leitor a resposta para esse desfecho será diferente e achei realmente isso muito bacana.

Outra sacada genial do autor e que me divertiu muito foi se colocar como um dos personagens do livro que aliás no posfácio isso vai fazer todo o sentido.

A leitura é bem fluída e o autor tem uma escrita leve e super gostosa. Posso ficar aqui por horas falando desse livro e ainda assim acredito que não conseguiria dizer com toda exatidão tudo que ele representa. Mas a palavra sensacional se encaixa perfeitamente no que senti ao finalizar a leitura e só tenho uma coisa para dizer... VOCÊS PRECISAM ler esse livro! Ele é muito bom!

Quanto a diagramação está impecável com páginas amareladas e entre um capítulo e outros tem a marca d'agua de um corvo. A capa é linda e bem chamativa, embora acredito que ela nos engane um pouco nos dando a impressão de uma história de Terror o que não é o caso. Considero esse livro mais como um thriller psicológico ainda mais por todo o suspense durante o enredo e a ansiedade que fiquei em saber o que estava acontecendo ali.

Recomendo esse livro para todos e dou certeza de que será uma leitura diferente e surpreendente. Espero poder conversar sobre esse livro com alguém em breve para saber teorias. (risos)