18 julho 2016

Top 10 - As melhores leituras do 1º Semestre - Parte 2


Oi pessoal tudo bem? O primeiro semestre de 2016 chegou ao fim e até agora eu li 53 livros. Não tantos como eu queria mas acho que foi uma quantidade considerável. Pois o ano passado todo eu li só 60. (risos)

E hoje eu resolvi compartilhar com vocês as dez melhores leituras que tive esse ano também. Aviso que minha listinha está recheada de nacionais pois uma das minhas metas desse ano é justamente leituras de livros nacionais.




1º. Uma Canção Para Libelula - Parte 01 e 02 - Por Juliana Daglio - Resenha Aqui Parte 1 - Resenha aqui Parte 2 -
Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula. Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro. Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta...
Um segredo antigo, uma alma conturbada, uma comprida escada. Valéria agora está de frente com a verdade e com uma velha amiga, a Loucura.
Depois de um final aterrador, Uma Canção para a Libélula - parte I, deixou leitores ansiosos pela sua continuação. A história da jovem pianista Vanessa, e sua luta contra a Vilã Cinzenta, conquistou corações pelo Brasil inteiro e agora tem seu desfecho. A Menina que se encontrou com a Libélula viveu um sofrimento extremo, mergulhando em sua alma obscura para nos contar sua história.
Dentro de um casulo escuro os segredos permeiam, envenenando toda a existência dessa família marcada por uma morte precoce. Diante das rachaduras há uma descoberta incrível: asas de diamante, um voo alto em meio às nuvens de um entardecer cor de algodão doce, e o encontro mais importante de uma existência.
Seja forte agora, mas não contenha suas lágrimas. Ouça a Canção até o final.

Eu sei que já indiquei esses livros no Top  10 de férias mas Uma canção para a Libélula foi a melhor leitura que tive esse ano até o momento. Sabe aquele livro que te deixa marcas?! Que a história fica gravada no seu coração para sempre? Eu me fundi nessa história de uma tal forma que depois de ter lido eu nunca mais serei a mesma.  Juliana Daglio tem uma escrita perfeita e marcante.





2º. Deixe-me entrar- Letícia Godoy
 - Resenha Aqui
Julianne Ipswich cresceu confinada no internato Le Rosey, afastada de sua família com o pretexto de receber uma educação de qualidade. Este fato sempre a incomodou e o maior desejo de Julianne era descobrir a verdade para que a família tenha a afastado, uma vez que não ficou convencida de que a preocupação com os seus estudos seria o único motivo.Ao completar 15 anos, ela retorna para Stone Forest, a cidade de seus pais, e, aos poucos, acaba descobrindo mais do que gostaria de saber.
Cercada por muito mais perigos e desafios do que ela jamais pôde imaginar que surgiriam em sua vida, Julianne precisará desvendar os mistérios de seu passado e preparar-se para os desafios do futuro rapidamente se quiser sobreviver. As vozes se misturam, os olhos sedentos nunca param de espreitar e o perigo está onde ela menos imagina. Será que Julianne conseguirá enfrentar tudo isso?

Fantasia é um dos meus gêneros preferidos e Deixe-me entrar foi um livro que me cativou do início ao fim, além de ser minha primeira experiência com a editora Arwen que me deixou encantada pela a diagramação linda. Uma capa dos sonhos de tão caprichada e claro a escrita da Letícia nos faz viajar tornando a leitura fluída que a gente só percebe quando chega na última página. Eu estou louca pela continuação desse livro mas enquanto ele não vem Deixe-me entrar ganhou um cantinho dos meus preferidos.





3º. A Quinta onda - Rick Yancey
Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.

Eu amo distopias, sempre me pego amarrada as histórias. Mas a quinta onda foi arrebatadora para mim. Uma leitura eletrizante dessas que não consegui desgrudar os olhos por um segundo com o coração na mão. E o fato do autor não ter dado ênfase a romance e deixando que o foco permanecesse na distopia ( inclusive no segundo volume da série) me cativou ainda mais. Eu super indico esse livro para todos que querem um livro com uma excelente dose de ação.







4º. Princesa Mecânica- Cassandre Clare
Continuação de Príncipe mecânico, “Princesa Mecânica” é ambientado no universo dos Caçadores de sombras, também explorado na série Os Instrumentos Mortais. Neste volume, o mistério sobre Tessa Gray e o Magistrado continua. Mas enquanto luta para descobrir mais sobre o próprio passado, a moça se envolve cada vez mais num triângulo amoroso que pode trazer consequências nefastas para ela, seu noivo, seu verdadeiro amor e os habitantes do Submundo.

Cassandre Clare se tornou uma das minhas autoras favoritas e esse livro foi tão apaixonante quanto todos os outros livros que já li dela. Porém como esse dá desfecho a série Peças Infernais o escolhi como preferido por essa série ter me encantado ainda mais que instrumentos mortais.






5º. Nosferatu - Joe Hill
Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem.
Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor.
E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie.
Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.
Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Foi minha primeira experiência com o Hill e quando finalizei o livro fiquei me perguntando porque eu nunca tinha lido nada do autor ainda. Ainda mais por ele ser filho do mestre dos mestres da escrita e em Nosferatu notei muita semelhança na escrita deles. Mas enfim pensa em um livro de 600 páginas que eu devorei super ansiosa para saber o que aconteceria em casa página?!  Hill tornou uma história irreal mais do wue real pois ele sabe nos conduzir e envolver na leitura de uma tal forma que nos convence de tudo que está falando.




6º. Dias de Chuva - Carolina Mancini
Se neste mundo existissem bruxas e feiticeiras, se existissem criaturas das trevas, matis e visagens e estivessem todos escondidos entre os prédios, na miséria e nos nossos sonhos, as escolhas seriam tão diferentes do que conhecemos?
Julia nasceu no cerne de uma família desestruturada, fruto de vícios, fome e pobreza, mas também nesse mundo, onde a magia se esconde. Ainda criança, conhece Audrick, um jovem soturno e misterioso, que vendo nela um grande dom, intervêm em sua família criando planos e moldando seu destino. Porém, na margem desse caminho, Vânia, tio de Audrick (um homem pérfido e aliciador de jogos de azar) também escreve a trama. Com o tempo, a garota descobre seus próprios segredos e mistérios, até que precisará enfrentar seu maior e mais poderoso rival.
Esta é uma história sobre humanidade, sobre caminhos e destino. Sobre busca e abandono. Sobre encontrar e perder-se. Sobre plantar e colher.

Sei que também já indiquei esses livro em um outro top 10 mas Dias de Chuva não pode faltar nesse livro que arrebatou todos os meus sentidos e me surpreendeu com uma história única, diferente, personagens bem construídos e uma escrita viciante.  Enquanto escrevo já sinto saudades de Audrick. Gente é sério vocês têm que ler esse livro!!!






7º. Irmãs em Auschwitz - Rena Kornreich
Irmãs em Auschwitz é escrito com simplicidade e graça… E o sentimento avassalador que nos toma ao finalizar a leitura é um triunfo: ainda é possível encontrar altruísmo e união entre pessoas que vivem em um lugar de horror implacável. - Los Angeles Times Book Review Uma das poucas pessoas a se entregar voluntariamente para o exército alemão e ir a um campo de concentração – quando ainda se acreditava que eram apenas campos de trabalho – Rena Kornreich fez parte do primeiro transporte em massa de judeus para Auschwitz e sobreviveu ao campo nazista por mais de três anos, junto a sua irmã mais nova – Danka. Juntas, ambas tiveram de ser resilientes a cada a perversidade vivenciada durante o período de aprisionamento. E, a despeito da iminência da morte, das doenças, das surras e do trabalho forçado, os relatos de Rena a respeito da convivência entre as prisioneiras nos garantem que a empatia emergida dentro de cada dormitório e de cada grupo de trabalho encorajou essas mulheres a permanecerem unidas até que Auschwitz fosse libertado e suas vidas fossem devolvidas para sempre.

Esse livro me fez chorar de forma descontrolada em cada uma das suas páginas. Um livro que nos enriquece historicamente e que nos assusta com a capacidade da humanidade ser tão cruel. Ao fim do livro me perguntei o porquê de todo o terror vivido na segunda guerra mundial. O porquê de tanto sofrimento. Mas esse livro acima de tudo nos traz o relato de sobrevivência e de esperança em um futuro melhor. É um livri esplêndido.





8º. O Vilarejo - Raphael Montes
No vilarejo, falar que o pecado mora ao lado é mais do que um dito popular: é uma verdade ameaçadora da qual os moradores se dão conta pouco a pouco. E, para alguns, é tarde demais. Como resistir ao mal? À luxúria, à ganância, à ira? Como não ceder aos pecados da carne quando a guerra chega e o inverno castiga, quando o frio e a fome tomam conta, quando uma força maior parece conspirar e rodear os moradores para que eles se entreguem a seus piores instintos?
A cada conto, conheça a história de um habitante e como todas elas se entrelaçam para formar uma narrativa perturbadora e fascinante sobre nossa infinita capacidade de crueldade e compaixão.


Li o livro do Rafael antes de dormir e não consegui parar de ler até chegar na última página e uma coisa que me lembro muito bem foi que eu tive pesadelos com o Vilarejo. O livro vai mexendo com o nosso psicológico e em cada conto ficamos ainda mais assustados com o que está acontecendo no Vilarejo. Já fazia um bom tempo que eu não lia um bom livro de terror nacional e esse me conquistou inteiramente.





9º. A rainha vermelha- Victoria Aveyard
O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração

Sei que nem todo mundo gosta desse livro mas eu sinceramente não entendi como alguém não pode se apaixonar pelo enredo desse livro e ficar com o coração na boca devorando cada página. Eu simplesmente não sei!!! Durante a leitura desse livro eu até comi minhas  unhas tamanha minha ansiedade. E claro que eu não podia deixar ele de forma da minha lista.





10º. Os Humanos - Matt Haig
Quando um visitante extraterrestre chega à Terra, suas primeiras impressões da espécie humana são pouco positivas. Ao assumir a forma do professor Andrew Martin, da Universidade de Cambridge, o visitante está ansioso por cumprir a tarefa macabra que lhe foi incumbida e voltar rapidamente para seu planeta. Ele se sente enojado pela aparência dos humanos, pelo que eles comem e por sua capacidade de matar e guerrear. Mas, à medida que o tempo passa, ele começa a perceber que pode haver mais coisas nessa espécie do que havia pensado. Disfarçado de Martin, ele cria laços com sua família e começa a ver esperança e beleza na imperfeição humana, o que o faz questionar a missão que o levou à Terra.

Esse livro tem uma história tão gostosa e envolvente. Me fez rir e me emocionar por diversas vezes. Além de trazer reflexões sobre o que é ser humano o que fazemos para o bem e para o mal. Sabe aquele livro que quando você lembra dele te dá uma tremenda saudade?! Pois é assim que me sinto em relação a esse e essa saudade gostosa que fez com que eu o escolhesse entre um dos melhores do primeiro semestre.

E ai gente gostaram?! Já leram ou pretendem ler algum desses livros?

Resenha - O Primeiro Telefonema do Céu




Como você se sentiria se um dia recebesse uma ligação de alguém que ama muito e que já se foi? Numa sexta-feira comum, o telefone de Tess Rafferty toca. É sua mãe, Ruth, que morreu quatro anos antes. Em seguida, Jack Sellers e Katherine Yellin recebem ligações semelhantes, do filho e da irmã, também já falecidos. Nas semanas seguintes, outros habitantes de Coldwater afirmam que estão em contato direto com o além, e que seus interlocutores lhes pediram para espalhar a boa-nova ao maior número possível de pessoas. A mensagem é simples: o céu existe, e é um lugar onde todos são iguais. Em pouco tempo, correspondentes de diversos meios de comunicação aportam na cidade para transmitir os desdobramentos do fenômeno que pode ser o maior milagre da atualidade. Visitantes do país inteiro começam a surgir, as vendas de telefone disparam e as igrejas se enchem de fiéis. Apenas uma pessoa desconfia da história: Sully Harding, ex-piloto das Forças Armadas. Após quase morrer num desastre aéreo, perder a mulher e cumprir pena por um crime que não cometeu, ele não acredita num mundo melhor, muito menos após a morte. E quando seu filho pequeno começa a esperar uma ligação da mãe morta, ele decide provar que estão todos sendo enganados. O primeiro telefonema do céu é uma história de mistério e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o poder da conexão humana. Em uma narrativa que vai tocar sua alma, Mitch Albom prova mais uma vez por que é um dos autores mais queridos da atualidade.

Livro: O Primeiro Telefonema do Céu
288 páginas || Skoob || Editora: Arqueiro || Onde Comprar





Resenha - A Sereia




Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração.




Livro: A Sereia
323 páginas || Skoob || Editora: Seguinte || Onde Comprar