16 dezembro 2016

Resenha - O Nome do Vento


Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso.
Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano - os lendários demônios que assassinaram sua família no passado.
Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade.
Pouco a pouco, a história de Kote vai sendo revelada, assim como sua multifacetada personalidade - notório mago, esmerado ladrão, amante viril, herói salvador, músico magistral, assassino infame.


Livro: O Nome do Vento #1
656 páginas || Skoob || Editora: Arqueiro || Onde Comprar











Se fosse para ser breve, eu diria que O Nome do Vento é uma história sobre uma história, mas isto não resume 10% do que ele é. O livro começa na Pousada Marco do Percurso, onde um grupo compartilha histórias até serem interrompidos por um colega ferido, que chega à pousada alegando ter sido atacado por um suposto demônio. Nosso protagonista não pertence a esse grupo, ele é, na verdade, Kote, o dono da hospedaria que vive tranquilamente cuidando do lugar junto com seu aprendiz, Bast.

Em uma situação que eu não posso contar para vocês para deixar o ar de mistério, Devan Lochees, não qualquer cronista, mas O Cronista, encontra Kote e consegue convencê-lo (a muito custo) a contar a história de quando era conhecido como Kvothe, uma figura com inúmeros apelidos, presente em muitas histórias nos Quatro Cantos. Kote concorda com a condição de dividir a história em três dias de narração.

No primeiro livro de A Crônica do Matador do Rei, temos o primeiro dia (como se trata de uma trilogia, cada livro representa um dia), revezando entre o passado e o presente. Neste, vamos conhecer a primeira parte da vida de Kvothe, sua infância, o início de seu aprendizado para se tornar Arcanista, as tragédias que viraram sua vida do avesso, o tempo que ele passou na Universidade e como ele começou a construir sua reputação.

"- Então azul é um nome?
- É uma palavra. As palavras são pálidas sombras de nomes esquecidos. Assim como os nomes têm poder, as palavras têm poder. Elas podem acender fogueiras na mente dos homens. As palavras podem arrancar lágrimas dos corações mais empedernidos. Existem sete palavras que farão uma pessoa amá-lo. Existem 10 palavras que dobrarão a vontade de um homem forte. Mas uma palavra não passa de uma pintura do fogo. O nome é o fogo em si."



[ - Minhas Impressões - ]



Não sei como começar a falar deste livro sem jogar as expectativas de vocês lá em cima, porque O Nome do Vento foi uma das leituras mais incríveis que eu fiz este ano. Sempre muito recomendado pelos meus amigos que gostam do gênero, comprei O Nome do Vento e O Temor do Sábio (a sequência) de presente para o meu irmão levar no intercâmbio e só fui pegar pra ler um ano depois que ele voltou (eu devia ter lido antes mesmo dele ir!).

Ao ler a sinopse, não dá para imaginar a profundidade da história que este livro vai apresentar. A primeira coisa que passa pela sua cabeça é: como três dias duram tanto para um livro tão grande. Depois que você entende que cada dia é um dia de narração da história do personagem, você fica com um pé atrás pensando "um livro desse tamanho só contando o passado?”, eu fiquei desconfiada. Por fim, tive a feliz surpresa de me deparar com a sensação gostosa de estar ouvindo uma lenda contada em uma roda de fogueira e eu ficava tão imersa na história que só quando voltava para o presente, eu lembrava que estava lendo sobre o passado (sabe quando você está prestando muita atenção em uma coisa e do nada volta para a realidade?).

Algumas pessoas ficam preocupadas que as descrições características de fantasias deixem a leitura de livros como O Nome do Vento muito arrastada, afinal o livro tem 656 páginas, mas aqui a narração é tão envolvente que você quer saber os detalhes; imaginar o lugar, a situação, a música; e o autor nos entrega tudo na medida certa. Para aqueles que têm a mesma filosofia que eu ao escolher uma fantasia (se tem mapa, tem tudo para ser bom), já adianto que tem mapa e tem tudo para ser uma leitura sensacional. O início foi um pouco confuso, mas dentro do normal de quando se começa uma nova série, logo peguei o ritmo.

Com toda a sinceridade, não tem nada sobre ele que eu não gostei, amei a história, os personagens, a escrita... é um daqueles raros casos em que 600 páginas não são suficientes, eu encararia centenas só lendo sobre as simpatias na Universidade. A edição está muito bem feita (acho essa capa linda), a diagramação é confortável, e confesso que eu demorei para encontrar as notas da autora no final, mas é lerdeza minha – risos. Deixo aqui a minha recomendação de um livro incrível, já tenho data e hora marcadas para começar o próximo (com sofrimento porque o terceiro ainda não foi lançado).

18 comentários:

  1. Não precisa se preocupar em jogar a minha expectativa lá pra cima, porque ela já está na estratosfera. Adoro ler resenhas empolgadas assim, porque a vontade de ler o livro só aumenta.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luana.
    Já me recomendaram o livro, mas nunca tinha lido sobre. De início achei um pouco confuso, como você disse: um livro de 600 páginas sobre um dia? E entre passado e futuro? Mas ai li a citação, e a escrita(!), fiquei realmente interessada, e já está na minha lista de aquisição, obrigada!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Oi Luna
    Tudo bom?
    Confesso que me senti meia perdida no começo da resenha, mas como vi que se trata de uma sequência comecei a entender um pouco mais. Com seu entusiasmo vi que esse livro é tudo de bom, mas creio que quando tiver a oportunidade de ler, irei com calma, pois ultimamente estou evitando ler com as expectativas altas com medo de decepções.
    Amei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Que história bem interessante!
    O que será que nos é reservado nos livros seguintes, já anotei e com certeza vou me aventurar.

    ResponderExcluir
  5. Que bom que foi uma das leituras mais incríveis que você fez esse ano, porque ganhei o livro da minha mãe e estou ansiosa pra ler! Só que vou me obrigar a segurar a ansiedade justamente pelo terceiro não ter sido lançado, faz muito tempo que os fãs esperam por ele e eu prefiro ler tudo de uma vez. Fantasia é meu gênero preferido, e sim, sempre olho se tem mapa antes de pegar um livro pra ler... Rs... Bom saber que tem, e amo livros grandes!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Já tem um tempinho que queria esse livro, mas sabe aquela falta de incentivo? Era exatamente isso que eu sentia, então apenas deixava para depois. Mas depois da sua resenha fiquei curiosa para saber o que de tão fabuloso se passa nesse livro para ele ter tantas páginas e conter apenas um dia na história!
    Esse livro acaba de passar para o topo da minha lista.
    Bjs

    www.salaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oiee Luana ^^
    Eu venho querendo ler esse livro já há muito tempo (muito mesmo, acredite), mas sempre tive uma preguicinha de fazê-lo, por conta do tamanho dele...hehe' mas, como você disse que a narrativa é envolvente e o livro não se torna arrastado, e que as páginas ainda não foram o suficiente (OMG), fiquei animadíssima. Eu queroooooooooo! E olha que eu nem gosto tanto do gênero...hehe'
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  8. Olá, Luana. Tudo bem por aí?

    Adorei a sua resenha, parabéns. Aposto que a maioria das pessoas concordam contigo sobre o livro não ter nada sobre o qual você não gostou... Esse livro está na minha lista de livros por ler há alguns anos e, infelizmente, ainda não li. Inclusive, não sei o porquê de eu ainda não tê-lo feito. Eu fico só adiando... mas todo mundo elogia bastante e eu preciso lê-lo logo.

    Beijão!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  9. Tudo bem... Você deixou minha expectativa alta kkkk só não entendi quando fala do tempo. Cada livro conta um dia do personagem é isso? E nesse dia ele conta histórias sobre o passado? Se for isso achei interessante porque se bem feito o autor é um gênio. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Helloo, tudo numa nice?!
    A primeira coisa que pensei ao ver a quantidade de páginas e você dizer que se passa em um ou três dias foi: what the hell? Como o autor conseguiu essa proeza? Eu sou super fã de high fantasy - meu genêro literário favorito ever - e acabei por terminar uma obra enorme, porém com quase 600 páginas e no momento estou procurando uma fantasia com quantidade menor de páginas para respirar. Eu comecei a ler esse livro, acho que só algumas páginas, mas não era o momento certo e outras obras decidiram passar na frente. Sei que esse ano não encaro esse livro, ano que vem talvez. Só espero gostar tanto quanto você.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  11. Nossa quanta coisa pode acontece neste livro, 600 páginas, e que contam apenas 3 dias de um personagem? Nossa fiquei encantado com essa forma diferente de narração apresentada por ti, e o quanto este livro te surpreendeu de tal forma que é uma das melhores leituras do ano. Anotei aqui a série, e assim que puder vou lê-la.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Já ouvi muitos elogios para esse livro, mas, sinceramente, não sabia que a história era sobre três dias e o tamanho da obra me assustou, confesso. Entretanto, achei muito legal você não ter visto nenhum ponto negativo e recomendar a leitura com tanto afinco.
    Acho que é uma obra que eu daria uma chance nas férias, pois seria um bom entretenimento.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Sempre me recomendam esse livro, me lembro até que um ex meu me aprestou mas eu não comecei a ler, terminamos e eu devolvi o livro KKKK, mas mesmo assim ainda pretendo ler um dia, mesmo tendo essa quantidade de páginas, quando um livro é tão bom assim nem nos importamos com o tamanho, as vezes até queremos mais páginas

    ResponderExcluir
  14. Essa é a hora em que eu me arrependo de não ter escutado as inúmeras sugestões sobre esse livro? É? Ok. Eu me arrependo.
    Porque se eu soubesse o quão diferente e surpreendente esse livro é, eu já teria lido há muito tempo. Ah, se arrependimento matasse.
    Gostei bastante da histórias e as suas impressões me fizeram a cabeça. E eu ainda não acredito que tem mapa!
    Assim como você, Fantasia só é boa para mim se tiver.
    Já quero o livro pra mim.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi Luana!

    Me sinto muito feliz por ler sua resenha, pois essa é a primeira que leio desse livro. Até então, nada havia me dado motivo para pegar um livro de 656 páginas e ler, mas os seus comentários me deixaram muito curiosa, de verdade. Fico, e certa forma, feliz por saber que são só dois livros para ler, assim consigo acompanhar o lançamento do próximo.
    Muito obrigada por essa dica incrível.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  16. Oi Luana, tudo bem?
    Já ouvi muito sobre esses livros, mas para ser sincera eles não conseguem chamar minha atenção, por mais interessante que seja a trama. Fico feliz em ver que você gostou, talvez um dia que eu tenha mais tempo sobrando eu dê uma chance aos livros. Adorei a resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi Luana, tudo bem?
    Eu sou um fã de fantasia e desde quando comecei a me aventurar no gênero que vejo pessoas falando de O Nome do Vento. Acredito que eu possa gostar muito do livro, mas não sei se estou preparado para embarcar nessa leitura no momento. Porém, espero lê-lo até o final de 2017.

    ResponderExcluir
  18. Sua resenha me foi um grande incentivo, flor. Obrigada por me animar a ler essa obra, que tenho por aqui há quase dois anos. Nunca a li, porque realmente tinha receio de que não fosse curti-la tanto quanto parecia. Mas agora prevejo um grande envolvimento com o enredo. Nada melhor do que uma narrativa capaz de tornar tudo interessante, até mesmo uma narrativa que parece falar apenas do passado.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir