08 novembro 2016

Resenha - Os Anjos do Tempo



No mundo do jovem Owen Hardy, tudo tem sua hora para acontecer. Ele vive em uma sociedade aparentemente perfeita, graças à administração precisa do Relojoeiro. A vida segue um roteiro cuidadosamente planejado para que nada afete a estabilidade conquistada depois de anos de guerras. Até o dia em que, pela primeira vez, um imprevisto acontece e Owen se vê abandonando sua terra natal para viver uma grande – e imprevisível – aventura, entre civilizações perdidas, piratas, anarquistas e alquimistas.






Título: Os Anjos do Tempo
304 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Belas Letras || Onde Comprar









"O melhor ponto de partida para uma aventura é uma vida perfeita e tranquila... e alguém que percebe que isso não é o suficiente."

Em Albion, Owen Hardy é um garoto de dezesseis anos que trabalha como assistente de pomar para seu pai. Ele mora no vilarejo de Barrel Arbor, uma comunidade regida pelas regras impostas pelo Relojoeiro, portanto, o jovem já tem toda sua vida programada desde o seu nascimento. Antes da subida do Relojoeiro ao poder, Albion era um grande caos, e ele foi o grande responsável a prover Estabilidade como a sociedade conhece nos dias atuais, e ninguém ousa nem sequer imagina na possibilidade de se questionar seus motivos e ordens. Se o Relojoeiro quer assim, assim será e ponto final. 

"- Não está me faltando nada. Com seu amor, o Relojoeiro cuida de todas as nossas necessidades. Temos comidas e casas, temos fogo frio e felicidade. Não há distúrbios em Albion há mais de um século. O que mais poderíamos querer?"

A questão é que Owen está prestes a se tornar um adulto, e possui certos pensamentos que não deveria. Ele não questiona o Relojoeiro, não possui nenhuma dúvida sobre sua forma de garantir Estabilidade ao mundo, entretanto, é curioso, e tem vontade de fazer algo diferente, conhecer mais, se aventurar por terras desconhecidas. Tomado pela necessidade de fazer algo diferente, um dia ele combina com sua namorada e futura noiva, de se encontrarem às 24 horas no alto de um morro, quebrando uma das regras, já que nessa hora todos devem estar dormindo.

"Era muito ambicioso ter vontade de ver o mundo inteiro? De experimentar tudo, de vivenciar as paisagens, os sons, os cheiros... de encontrar o Relojoeiro, talvez trabalhar em sua torre-relógio, escutar os Anjos, acenar para os navios a vapor partindo para o Mar do Oeste rumo à misteriosa Atlantis, talvez até embarcar em um desses navios e ver aquelas terras com os próprios olhos...?"

Como ela promete ir, ele se arruma, ansioso para dar-lhe um beijo memorável abaixo do céu estrelado. Porém, os planos não ocorrem como o programado, e ele acaba embarcando em um dos vagões do vaporeiro que passava por ali todos os dias, religiosamente, às 1:27h.

"O mundo havia sido um lugar terrível mais de um século atrás, antes do Relojoeiro chegar: vilarejos eram incendiados,bandoleiros atacavam famílias desprotegidas, crianças passavam fome e mulheres eram estupradas. Assaltos eram uma epidemia, as pragas dizimavam populações inteiras e sobreviventes isolados se degeneravam até virarem canibais. Ele leu o relato minucioso de olhos arregalados, ansioso para chegar ao final do livro, porque ele sabia que Albion seria salva, visto que agora todos estavam felizes e contentes."

Não era para ele estar no vapor e nem ter saído de seu vilarejo, entretanto, ele se sente extasiado com a premissa de conhecer outros lugares e outras cidades, as quais ele já leu e ouviu falar. Ver Crown City, os Anjos do Tempo, a Torre do Relojoeiro e, talvez, o próprio Relojoeiro, seria uma aventura e tanto para o jovem assistente de pomar, que não possuía perspectiva além do que outras pessoas esperavam dele.

"Cada pessoa deveria obter êxito por quem ela é, ou fracassar devido ao que lhe falta, e não ser conduzida toda a vida pelos afagos de um Relojoeiro (...)."


[ - Minhas Impressões - ]


Os Anjos do Tempo trata-se de uma obra escrita por Kevin J. Anderson, baseada nas letras de músicas de Neil Peart, compositor e baterista da banda Rush. É uma ficção científica ambientada no século XIX, em que encontramos diversas engenhocas e invenções científicas feitas por alquimistas, engenheiros e estudiosos.


Em um mundo planejado e organizado pelo grande e amado Relojoeiro, conhecemos Owen Hardy, um protagonista ingênuo e cativante. Ao longo do livro, embarcamos em uma aventura de conhecimento do que está ao seu redor e de si próprio, já que o Owen nunca havia saído do pequeno vilarejo em que nasceu. Acompanhamos suas descobertas e crescimento pessoal enquanto se envolve em enrascadas e conhece pessoas de todos os tipos.

Grande parte da narrativa é feita por Owen, entretanto, outros personagens narram alguns capítulos, como o próprio Relojoeiro. Ele é um senhor que se responsabilizou por manter a Estabilidade em Albion, e criou um governo com base no que é certo e viável para cada um. Com seu governo, todos são felizes, seguros e nem sabem do que se trata o caos. Outro narrador que aparece algumas vezes é o Anarquista, oponente do Relojoeiro, que trama uma grande vingança envolvendo planos diabólicos e letais. Ele pretende acabar com a Estabilidade já que acredita que ela tira a liberdade dos cidadãos de Albion. São dois extremos que estão prestes a uma colisão.


A ambientação da trama não é definida, entretanto, possui traços que deixa implícito ser do século XIX. É do gênero steampunk, ou seja, uma ficção especulativa ocorrida num passado não condizente com o real. No livro você encontra diversos meios de transporte a vapor, algumas engenhocas movidas a fogo frio, além da possibilidade de alquimistas criarem ouro.

A diagramação do livro está linda, trazendo ilustrações em alta resolução. Cada capítulo é iniciado com um trecho de uma música e tem detalhes que tornam a leitura visivelmente mais agradável. As páginas são amareladas e encontrei poucos erros de revisão.

É uma trama inteligente, instigante e interessante. Me prendeu desde o início, gostei de tudo, desde os personagens principais aos secundários, assim como da ambientação e enredo. Recomendo a leitura para quem gosta de uma boa ficção científica misturada com narrativas de época.


16 comentários:

  1. oie, helo, achei a premissa do livro muito interessante, ainda mais ao saberr que ele foi escrito baseado em letras de músicas, porém não é um enredo que me atraia já que não gosto muito de ficção científica. Que bacana que é bem escrito e instigante, quem sabe no futuro eu venha a dar uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    A história parece ser muito interessante, e confesso que ainda não tinha ouvido falar do título. Esse gênero steampunk me intriga, justamente por conta do que não é definido. Acho legal haver mais de uma narração, pelo menos a compreensão é maior. Eu fiquei mesmo interessada e vou procurar mais informações a respeito. Espero ter a oportunidade de ler também!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu já conhecia o livro, mas nunca me interessei para ler uma resenha e saber do que realmente se trata a obra. Vejo, ao término de sua resenha que o livro aparenta ser bem legal. Sou muito fã de livros nessa pegada,;mas nunca li algo narrado a tanto tempo assim como você supôs que era século XIX. Enfim... quanto a capa, eu gostei muito dela e pelas fotos eu vejo que a diagrama cão está bem legal mesmo. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Não lembro de já ter lido alguma coisa steampunk e acho mega interessante essa coisa de ter uma tecnologia maravilhosa em uma época passada. Acho que me incomodaria um pouco não te ra certeza da ambientação temporal, mas fiquei bem curiosa quanto ao enredo.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. olá!
    Eu sou super fã de Rush. Rock progressivo é sempre uma viagem , vc pode notar ouvindo não só Rush como outras bandas. Assim como tb sou fã de steampunk e só pela sinopse, eu não teria notado nada do que vc muito bem descreveu.
    Vendo a linda diagramação , pelas fotos que vc postou, e sua resenha, tive outra impressão sobre o livro, bem mais legal , claro.
    Estou bem curiosa e quero ler o livro, saber o que acontece com Owen e todo esse mundo criado pelo autor.
    bj

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    EU gostei do que o livro parece ter para oferecer!! :) O tema também me chamou a atenção e gosto desse estilo do seculo XIX..! :)

    Essas imagens são lindas!! :) Ah! E Adorei o género também.. QUe bom que a trama e assim tao inteligente e instigante também! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  7. Olé, tudo bem??

    Eu não conhecia esse gênero literário, mas posso dizer que eu já amei! A arte do livro está maravilhosa mesmo :) não conhecia o autor, mas fiquei curiosa... Pela sua resenha, parece ser daquelas escritas que prendem do início ao fim.
    Amei a dica

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. De fato a diagramação desse livro é incrível, todavia não me senti atraida pela história em si, não parece ser daquelas que me agrade de um todo, prefiro aqueles romances arrebatadores sabe. Enfim, apesar disso, sei que não devo julgar um livro antes de ler, então talvez eu daria uma chance. Suas impressões ficaram ótimas, muito bem escritas!

    ResponderExcluir
  9. Oi Heloisa, tudo bem?
    Estou bem curiosa para conferir esse livro pois gosto bastante de me aventurar em gêneros que nunca li e esse, de steampunk, me chamou a atenção pela sua resenha. Além disso, adoro protagonistas que de início, não chamam muito a atenção e aí algo surge em suas vidas e fazem com que eles mudem. E agora fico me perguntando como Owen está depois de passar por tantas aventuras.. espero ler em breve!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  10. Olá, Heloisa!
    Eu não conhecia o título, mas achei bem interessante porque se encaixa no tipo de leitura que eu aprecio: histórias de época, cenários desconstruidos, ficção científica... Ainda mais quando saímos um pouco do convencional! Adoro uma leitura diferente.
    Também me chamou atenção o fato de o livro possuir ilustrações. Espero poder dar uma chance a esse livro mais para frente!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Heloisa.
    Só de ler sua resenha eu já pensei em como esse livro pode permitir um paralelo com nossa sociedade atual. Em como nós meio que somos condicionados socialmente a fazermos sempre a mesma coisa.
    Fiquei curiosa para saber o motivo da noivo do Owen não ter ido ao encontro dele e o que provoca o não cumprimento das regras.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro e confesso que de início não fiquei muito animada. Mas lendo sua resenha fui ficando curiosa, achei interessante essa sociedade deles e parece mesmo ser uma trama bem inteligente. Também achei curioso o autor ter se baseado em músicas para criar a história. Enfim, parece ser uma ótima leitura mesmo.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Confesso que li poucos livros de ficção científica, e nem sei por onde começar. Não tenho assim uma referencia, então qualquer dica é muito importante para começar.
    Gostei dessa indicação, eu ainda não conhecia essa publicação, e vou anotar para conferir.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    eu não conhecia o livro e a achei a história bem viajada. Um enredo baseado em uma música deve ser bem legal. Nunca li um livro desse gênero, mas gostei dessa indicação. As ilustrações estão lindíssimas.
    Vou anotar a sua dica e assim que puder vou ler.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  15. Oi Helo, tudo bem?
    Tenho muito curiosidade em ler livros do gênero steampunk. Essa é a segunda resenha que vejo desse livro e gostei bastante, tenho certeza que se um dia lê-lo vou gostar muito.

    ResponderExcluir
  16. Oi Heloisa, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro e devo dizer que chamou minha atenção, além de ter uma trama contagiante, a diagramação está um luxo! adorei as ilustrações e isso ganhou um ponto a mais comigo. Sua resenha está muito bem escrita e senti muita vontade de conhecer o livro. Espero ter uma oportunidade em breve!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir