03 novembro 2016

Resenha - Dias Perfeitos



Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia  deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez.







Título: Dias Perfeitos
274 páginas || Skoob || Editora: Companhia das Letras || Onde Comprar











Téo é um estudante de medicina que não tem uma vida sociável pelo fato de que as pessoas no geral o desagradam. Sua única amiga é a Gertrudes,o que pode ser considerado comum, se não fosse por ela ser um cadáver que ele estuda em suas aulas de anatomia. Daí já dá para perceber que o cara não bate muito bem da cabeça não é mesmo?

"... a sala de anatomia era seu espaço. As macas pelos cantos, os cadáveres dissecados, os membros e os órgãos em potes davam a ele uma sensação de liberdade que não encontrava em nenhum outro lugar."

Sua mãe, Patrícia, é paraplégica, e por vezes ele tem que acompanhá-la em eventos não porque é um filho amoroso e dedicado, mas sim porque quer parecer como um filho deveria ser para mãe. Em desses eventos se trata de um churrasco que ele vai obrigado pela mãe. Lá, Téo conhece Clarisse, uma menina cheia de vida e espontaneidade, que faz ele sentir alguma coisa dentro de si, o que mexe muito com ele, já que, normalmente, ele não tem sentimento algum, seja amor, empatia, compaixão, nada! Ele é vazio e oco por dentro. Ao invés de Téo pedir o telefone dela de forma normal, faz todo um plano mirabolante para se aproximar da garota.

“Ele tinha repulsa dessas ideias moldadas em núcleos de novelas das oito. A adaptação seria difícil. A realidade não costuma fazer concessões. Então, quando já se julgava tão seguro de si, Clarice viera trazer algum sentido àquilo tudo – ou romper o sentido que ele mesmo havia criado. Ela o havia realocado no mundo. Téo continuava a desprezar a raça humana, mas ao menos agora era um desprezo desinteressado, quase piedoso. Finalmente, sentia amor.”

Teo começa a seguir Clarisse para todos os lados, fotografá-la e tudo mais que vocês possam imaginar, com o intuito de conhecer mais os hábitos dela antes de se aproximar. A realidade é que ele adquire uma obsessão bem psicótica por ela e logo de início já é assustador ver a forma como ele age.

Quando finalmente se declara para ela, claro que Clarisse o rejeita, além de achar doentio da parte dele a forma que agiu para chegar perto dela. O que Clarisse não esperava é que essa negativa transformaria sua vida em um inferno. Teo sequestra Clarisse e a mantém presa por meses viajando primeiro para um hotel afastando em Teresópolis e depois para uma praia deserta em Ilha Grande.

É perturbador ver tudo o que ele faz com ela nesses meses, tanto de torturas psicológicas como físicas, e, como em sua mente insana, ele distorce toda a realidade do que estão vivendo com flores, achando que todas as suas atitudes são apenas para conquistar a mulher que ama e que, ao final de tudo, Clarisse vai descobrir que o ama também. E para que isso aconteça ele é capaz até de matar...

Eu já conhecia a escrita de Raphael Montes, pois, no início do ano eu tinha lido O Vilarejo, que gostei tanto que resolvi embarcar em mais um de seus livros, até porque uma amiga me disse que Dias Perfeitos era sensacional. Vamos dizer que eu fui com altas expectativas e estava gostando bastante da leitura até que o desfecho do livro para mim foi um banho de água fria que eu particularmente não gostei. Enfim...

Dias Perfeitos é um thriller psicológico intenso e me afligiu em vários momentos. Cada vez que Teo cometia uma nova tortura em Clarisse eu ficava espantada e me perguntava até onde ele ia chegar. Teve um certo momento que, após Clarisse tentar se matar para fugir das garras dele e de tudo que já tinha sofrido, ele salva a vida dela, mas não sem deixá-la sem nenhuma sequela. Não vou dizer, claro, o que foi ele fez, pois seria um spoiler dos grandes, mas confesso que desse momento em diante fiquei ainda mais agoniada e tensa em ler o livro. Eu já não aguentava mais tanta monstruosidade.

Teo é um verdadeiro psicopata, agindo de forma fria e calculista, planejando cada passo com calma, criando mentiras na sua cabeça para justificar cada ato bárbaro que cometia. O pior era saber que ele acreditava nas suas próprias mentiras e, por muitas vezes, se sentia a vítima da história.

A Clarisse tentou de todas as formas escapar dele e não conseguiu. Apesar do seu medo de estar presa por uma mente tão doentia, ela resistiu por muito tempo. tentando manter a calma e se libertar.


O livro tem uma escrita fluída, apesar de, às vezes, eu ter que parar a leitura e esperar a aflição que eu estava sentindo passar. É um livro para se ler super rápido, até porque eu queria saber como tudo ia acabar, e foi aí que as coisas desandaram para mim. Vou tentar explicar o porquê primeiro em certo momento da leitura, minha curiosidade falou mais alto e eu fui ler a última página do livro... Mas claro que, às vezes, ler a última página sem ler todo o contexto pode não ser o que se parece. Pedi spoilers para duas pessoas, mas ninguém quis me dar e eu devorei ainda mais rápido as páginas para entender o que eu tinha lido. Não era certa a suposição que fiz, ufa! Porque aí, o final teria me desagradado mais ainda, porém, também não foi um final que me agradou... Acho que talvez as coisas pudessem ser diferentes. Mas acho que quando Raphael Montes elaborou o grand finale, a intenção dele era mesmo chocar e não agradar. Acho que é aquele fim que podemos tanto amar como odiar, dependendo particularmente de cada um.

O livro é narrado em primeira pessoa, e me senti como se fosse o próprio Teo contando, pois sabemos tudo que ele pensa e qual será seus próximos passos, enquanto, apesar da Clarisse se manter firme e forte para se rebelar contra seu agressor, pouco sabemos o que ela está realmente está sentindo.

Quanto à diagramação, está impecável, e a capa é bem condizente com o enredo, mas você só descobre o motivo durante a leitura. As páginas são amareladas, com fonte e espaçamento confortáveis para a leitura. Eu não encontrei erros de revisão.

Dias Perfeitos é um excelente livro para sair da zona de conforto e se afligir em cada página de forma tensa. Para quem gosta de thrillers psicológicos, psicopatas, uma história forte e bem construída, eu super recomendo a leitura desse livro, e digo que não é a toa que, apesar ser tão jovem, o Raphael Montes vem ganhando o mundo. Para quem não sabe, Dias Perfeitos já teve seus direitos comprados por outros países também. E é muito legal ver nossa literatura nacional ganhando cada vez mais espaço. Sei que eu disse que não gostei do final, mas a experiência de leitura é diferente para cada um, e acredito que nesse livro ainda mais, então recomendo que leia para tirar suas próprias conclusões. Uma outra coisa que posso dizer referente à obra e o final dele é que, mesmo me incomodando e ter me desagradado, foi um final ousado e sagaz, algo que tenho certeza que ninguém que já leu estava esperando.

Boa leitura!!

26 comentários:

  1. Acho que eu sou a única leitora da face da terra que ainda não leu esse livro! E não por falta de vontade, pois ele está na minha lista de desejados desde que soube da sua existência, mas até hoje não consegui adquiri-lo.
    É bom saber que o livro é de rápida leitura, e boa parte disso deve ser pelo suspense que o autor cria. É interessante também ser narrado em primeira pessoa, assim entramos na mente de alguém desequilibrado psicologicamente. Com certeza é um livro com um enredo genial, apesar de não ser tão inovador.

    Uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  2. Olá Camila
    Eu também já fiz essa leitura e gostei bastante do desenvolvimento pelo autor, realmente preciso concordar que é um excelente livro e sempre recomendo mesmo, e como você mesmo disse, é uma indicação ótima para quem está a fim de sair da zona de conforto. A capa,ahh, é mesmo muito condizente com o enredo, mas vale a pena ler para saber o porquê. Adorei poder ler suas considerações e ter me identificado tanto.
    Beijos, |Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Esse não é meu genero preferido mas quando trabalhava em livraria indiquei pra uma moça, ela voltou no outro dia gritando brava comigo porque não aceitava o final e queria outro livro parecido com aquele kk imediatamente eu fui ler e fiquei tremendamente encantada, o autor pregou uma peça e tanto na gente com o final, o que é de certa forma muito assustador. Sobre o seu spoiler... Eu sei do que voce fala, sobre o que ele faz com ela depois do mar ne? Só de lembrar sinto agonia...

    ResponderExcluir
  4. Oii Camila, tudo bem?
    Eu sou DOIDO para ler Dias Perfeitos ou qualquer outro livro do Raphael Montes, eu só fico adiando a leitura dos livros dele e não sei o motivo. Sempre vejo só criticas positivas para o Raphael, já da pra ver que ele arrasa.
    Adorei a resenha.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Camila, ainda não li nada do Raphael, mas concordo muito com você quando você disse que é um livro para sair da zona de conforto e sempre que penso em transitar por gêneros literários que não costumo ler, penso em começar por este autor.
    Valeu pela dica!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro bem forte, e sinceramente, não é algo que foge da nossa realidade, o livro pode parecer assustador mas é tão comum homens fazerem isso com as mulheres :( E gente, da até arrepio essa Gertrudes senhoooor heuheuehueh
    Parece ser um livro legal mas acho que eu não teria emocional para lê-lo

    leiturasdebrain.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Uaaaaaau, fiquei muito curiosa pra ler esse thriller!
    Não conhecia o livro, mas pela sua resenha, preciso correr pra ler, além do fato de ser uma leitura fluída e prender durante ela.
    Obrigada pela dica, espero poder ler muito em breve e conferir essa edição maravilhosa da editora, que sempre arrasa!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas vou adicionar a minha lista!! :) Eu amei a capa! E olha que amo esses thrillers psicológicos, acho bem interessante, especialmente se for assim tao bem construído e elaborado! :)

    Eu amei ler a resenha e que com a narração de primeira pessoa tu te tenhas sentido dentro da cabela do protagonista!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Gosto da ideia de ser amigo de um cadáver. Esse negócio de seguir a moça realmente me remete a uma relação abusiva. Eu gosto da ideia do livro, e pouco sei da escrita do autor, mas ajustarei isso em minha vida logo.

    ResponderExcluir
  10. Olá Camila,
    Esse livro parece ter uma simples definição: tenso.
    Gostei muito de ter lido sua resenha e posso dizer que fiquei muito mais curiosa do que estava. Essa questão de mente psicopata é algo que me fascina, pois eles distorcem as informações que recebem, não é?
    É uma pena que o final tenha sido um balde de água fria, mas o problema é a expectativa né?
    Dica anotada, espero gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Gente, eu jurava que era um romance. hahaha Mas gostei muito mais de saber que é um thriller. Adoro leituras intensas assim, e eu tenho certeza que vou gostar. Pena saber do final, já me deixou com o pé atrás... hahaha :(
    Mas lerei mesmo assim porque a curiosidade de conferir o livro é maior.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Olá.
    Eu venho querendo ler esse livro há anos e ainda não tive a oportunidade de comprar. Eu agora estou mais curiosa que nunca para ler esse livro. Depois da sua resenha eu quase sai daqui de casa e fui comprar o livro.
    Eu adoro suspenses psicológicos pois eles sempre me enganam e mexem com minha cabeça.
    Eu espero ler ele em breve. Adorei a resenha.
    Bjsssssss

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu adoro thrillers psicológicos, mas esse eu não tenho a vontade de ler porque parece ser muito chocante, e acho que me faria mal. Mas, apesar disso, fiquei com bastante curiosidade sobre a história, que aprece ser muito boa, ainda mais por nós sabermos tudo o que acontece pelo ponto de vista do agressor e não da vítima, como geralmente ocorre.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Infelizmente ainda não li nada do Raphael, mas este livro já está na minha lista de leitura há tempos. Que loucura que deve ser este enredo e coitada da guria nas mãos deste louco.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Camila, adorei a sua resenha, principalmente por causa da sua sinceridade.
    Gosto muito de trillers psicologicos e esse me interessou bastante. Fiquei curiosa com esse final ousado e sagaz e que ao mesmo tempo te fez não gostar dele.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Oi, Camila

    Eu também conheci a escrita do Gustavo através de O Vilarejo e desde então fiquei com muita vontade de ler mais livros dele. Fiquei curiosa para saber como a capa se liga ao enredo, porque eu sempre tento pescar o significado desse duende nas resenhas.
    Que pena que o final não te satisfez, é bem chato quando isso acontece, principalmente quando o livro desperta tantas emoções na gente como aconteceu com você.
    Eu tenho o autor no Facebook e eu sempre acompanho as novidades das versões estrangeiras, dá muito orgulho da nossa literatura!!

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Olá Camila.
    Eu acabei de ler recentemente é um livro em que tem a presença de um relacionamento abusivo também. É assustador como os homens podem ser tão doentios e possessivos. A cada nova ação do homem, eu ficava com vontade de dar uns tapas nele para ver se ele percebia que o que estava fazendo era errado e se eu lesse esse livro, ia me sentir da mesma forma.
    O Téo realmente não é normal, já dá para perceber isso desde o começo, quando ele tem como melhor amiga um cadáver.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Oi Camila, você já sabe que eu ia achar esse livro tudo de bom, né? Adoro tudo o que envolve um pouco de psicopatia, e adorei a premissa desse livro! Nem imagino quais são as torturas e o que aconteceu de tão surpreendente no final do livro! Mal posso esperar para ler! =)
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler esse gênero literário, mas já li muitos comentários positivos que me deixaram curiosa com a história. Lendo sua resenha agora fiquei ainda mais animada, deve ser perturbador acompanhar tudo ao mesmo tempo que é interessante. A história aprece ter sido muito bem construída mesmo, só uma pena o final não ter te agradado e não dar para saber muito bem o que Clarisse está sentindo. Enfim, vou marcar a dica e espero ler em breve,

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    Eu já li esse livro e foi o meu primeiro contato com o autor, e foi surpreendente.
    Um livro que fiquei bem tensa durante a leitura, e não conseguia parar até chegar a última parte.
    Confesso que fiquei com medinho durnte a leitura, e não vejo a hora de ler os outros livros publicados pelo autor.
    Bjks
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  21. Oi!!
    Já faz um tempo que conheço esse livro e confesso que ainda não me interessei por ele,já li outras resenhas sobre ele e em nenhuma vez me despertou a vontade de pegar pra ler. Pela resenha não consegui me apegar a nenhum personagem acho que só a Gertrudes...hahahahahaha... por enquanto irei passar de novo essa leitura XD

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/11/titulo-quando-o-amor-bater-sua-porta.html#comment-form

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Ao finalizar a leitura da sua resenha eu fiquei me perguntando: Como assim eu não conhecia esse livro?
    Me interessei muito pela obra. Parece ser um thriller psicológico intenso, o que eu amo. Faz um tempinho que não leio thriller psicológico, acho que o último foi Clube da Luta. Conhecer um nacional me deixou instigada, preciso desse livro rs

    Abs, parabéns pela resenha e obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  23. oiee, eu diferente de você, odiei " o vilarejo" não pela escrita do autor mas por algumas coisas nos contos que me desagradaram mas a premissa desse livro é tão maravilhosa que eu resolvi esquecer minha primeira experiência com o autor e cair de cabeça nesse livro,ainda mais que eu adoro histórias com amores doentios

    ResponderExcluir
  24. Olá,
    Gosto de obras que me façam sair da zona de conforto e li recentemente Gelo Negro que se tratava de um sequestro também, claro que por motivos diferentes, mas ainda assim adorei.
    Fiquei muito curiosa para conferir as torturas que Téo aplica em Clarisse e como ela conseguirá se desvencilhar de tal situação.
    Não tive nenhum contato ainda com a escrita de Raphael, mas já ouvi ótimos comentários acerca de Dias perfeitos.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Oi Cá.

    Aparentemente esta obra não seria uma daquelas de prender minha atenção, até que... me deparo com isso na sinopse "tortura psicológica" o:

    Já tinha achado estranho o título "Dias Perfeitos" com uma paisagem sombria na capa (kkkk), mas ao ler sua resenha entendi a aflição que cerca o livro e com toda certeza você despertou minha curiosidade para conferir de perto a obra!

    Parabéns pela resenha (:

    ResponderExcluir
  26. Olá, já faz tempo que eu quero ler essa obra. Parece ser bem interessante.
    Gosto muito do gênero e certamente iria adorar a leitura.

    Abraços

    ResponderExcluir