10 novembro 2016

Resenha - Cilada para um Marquês



“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.”
Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?
Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…

Título: Cilada para um marquês #1
320 páginas || Skoob || Editora: Gutenberg || Onde Comprar












Sophie Talbot é considerada a mais em graça das irmãs perigosas. Apelido muito bem aplicado, visto que, suas irmãs descabeçadas adoram estar nas colunas de fofocas e escalar fácil na aristocracia, porém, Sophie é diferente. A jovem odeia toda hipocrisia e tracejos que uma mulher deve fazer para ser considerada uma dama. A gota d'água veio após flagrar seu cunhado duque traindo sua irmã grávida. Ela não se contém e vai em defesa de sua honra dizendo poucas e boas, atitude honrável, mas desaprovada por todos à sua volta, afinal ele é duque. Com essa deixa, Sophie se vê obrigada a abandonar tudo, e, ao encontrar o notório Marquês de Eversley saindo pela janela de uma dama que estava noiva, ela pede ajuda recebendo um grande não.

"A vergonha veio quase que no mesmo instante. Não importa que seu cunhado tivesse feito por merecer a roupa molhada, as botas arruinadas e o constrangimento. Não importava que qualquer homem que ostentasse suas aventuras sexuais diante da mulher grávida e da cunhada solteira fosse o pior tipo de monstro do mundo. Não importava que o escândalo devesse ser  de total e exclusividade dele. Escândalos não grudam em duques." 

Rei não é bobo, como se ele fosse cair na lábia de uma das irmãs perigosas. Mesmo sendo sem graça, Sophie ainda é perigosa e pedir para viajar com ele fica claro que é para amarrá-lo em casamento. O que ele não contava é que a jovem se vestiria de criado e se infiltraria em sua carruagem, justamente agora que ele estava indo ao encontro de seu pai moribundo.

"Sophie tinha que ir embora daquele lugar. Naquele instante. Antes que todos percebessem o quanto aquilo tudo doía nela.
E só havia um jeito de fazer isso. Ela se virou para Matthew.
- Eu preciso do seu uniforme"

Numa viagem inesperada e inusitada, aos poucos, Rei e Sophie percebem que as imagens que criaram um do outro não condiz com a realidade. Sophie não é uma alpinista querendo forçar Rei se casar, muito pelo contrário, é uma jovem que desperta desejos e anseios que até então desconhecia, e por sua vez, Sophie, que só deseja voltar para o lugar onde foi feliz, com a presença do marquês começa a perceber que seu lar pode estar mais perto.



[- Minhas Impressões -]

Quem me conhece sabe que sou a doida dos romances de época, é meu segundo gênero favorito. O meu maior problema vem sendo a saturação e as semelhanças que as obras vem apresentando uma com as outras, então, imaginem minha felicidade em ler algo do gênero que amo, e, que foi totalmente diferente do que esperava, pois a estória foge totalmente do clichê.


A estória é narrada em terceira pessoa mostrando o ponto de vista de Sophie e Rei. Amei ambos os personagens pois são únicos e fogem totalmente do convencional. Sophie não é uma jovem influenciável por sua época, em que se espera de uma dama que ela escolha fitas para os cabelos, saiba pintar, cantar, costurar, fazer artesanatos, etc., muito pelo contrário. Sophie odeia a forma hipócrita que a sociedade tem de tratar com louvor o maior dos canalhas por ele ser um conde. A jovem é decida, tem atitudes e pensamento forte como uma pessoa deve ser, e, após um episódio que faz com todos a enxergue como uma pária, ela simplesmente larga tudo e vai em busca da vida que sempre quis ter. Foi uma atitude bem corajosa, mas que infelizmente fez com ela entrasse nas piores situações, e pra mim, foram risos atrás de risos. Houve vários momentos que senti vergonha alheia das coisas doidas que ela estava fazendo, com toda certeza, Sophie mostrou que é uma mulher de atitude.

Já Rei foi me conquistando conforme ia conhecendo-o. Em nenhum momento ele demonstrou ser um cavalheiro, e não teve problema em largar Sophie sozinha sem carona, mas essas atitudes se devem ao fato de ela ser uma das irmãs perigosas que fazem de tudo para ter um bom casamento. O que mais gostei nele, foi vê-lo caindo em si, e aos poucos percebendo que a moça com o qual ele está viajando, era na verdade a mais certa das mulheres, e que tudo que ele pensava era simplesmente preconceito da sociedade. Rei foi amolecendo e até mesmo tornando-se protetor da jovem, e claro, cativando seu coração.

Houve poucos personagens secundários, em sua maioria eles apareciam, cumpriam seu propósito, e logo iam embora, entretanto, toda a estória foi construída em cima do casal, e esses personagens chegam até ser dispensáveis. Mas algo que achei muito bacana foi a construção em volta da origem de criação que ambos tiveram. Sophie vem de uma família que subiu na aristocracia de forma pouco convencional, e como tal, sempre foram taxados de aproveitadores; já Rei vem de uma família bem estruturada com uma linhagem de ducados, que logo passará para ele. É gritante o contraste, e só reforça que em circunstâncias normais, eles jamais se encontrariam.

Também gostei da construção do romance. Sophie a princípio acha que Rei é somente um canalha destruidor de noivados, e ele, por sua vez, achava que ela é uma alpinista querendo que ele se torne seu marido. Essas desconfianças vão tornando-se olhares de paixão, palavras afiadas dão lugar para afetos, e assim, vão se apaixonando gradativamente.

A parte física do livro está sensacional! A capa trás bastante o ambiente no qual se passa a estória, e internamente as folhas são amareladas, com letras e espaçamentos na medida certa para uma boa leitura. Fora os começos de capítulo que foram formatados de uma forma com que se parecessem com folhetins de jornais, e os títulos lembram manchetes de fofocas como "Irmã Perigosa é rouba! Suspeita-se de vigarista!", ou "Duque a Beira da Morte?", foi bem criativo e divertido ao mesmo tempo. Além de tudo isso, como se já não fosse o suficiente, a orelha do livro trás uma frase escrita por essa que vos escreve ♥.

No geral, o livro é fantástico, recomendo a todos que amam um livro de época totalmente sem clichês e que te surpreende por ser imprevisível, nunca sabia o que esperar do casal, e o final me deu aquela sensação gostosa de missão cumprida. Tenho certeza que Rei e Sophie irão te envolver e fazer suspirar.

23 comentários:

  1. Olá Stefani
    Já fiquei encantada por ser da autora, e pelo gênero, ao qual eu adoro e sempre procuro mais títulos para ler. Legal saber que foge do clichê, isso na verdade, é um detalhe super importante. E, ah, sou a louca dos romances de época também ♥ Fiquei bem curiosa sobre a construção dos personagens e seu desenvolvimento.
    Beijos.,Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Stefani. Eu fiquei sabendo que sua frase tinha sido escolhida para colocar na orelha do livro, então parabéns, ficou maravilhosa! Eu quero muito ler esse romance, a Sarah é uma das minhas autoras de romance de época favoritas, então eu sei muito bem do que ela é capaz.
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Olá. Eu acho que a maioria das pessoas que eu leio em blogs são fanáticas por romance de época, mas eu não sou Assim. Gosto mas não tanto quanto as pessoas que conheço. O problema é que eu acho sempre histórias iguais, pelo visto esse não é o caso. Ainda bem! Anotei a dica. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que capa linda! Eu não me lembro de já ter visto o livro e gostei bastante da premissa. O gêero me agrada bastante e eu sempre gosto de ler algum livro assim, adorei a premissa desse livro e fiquei muito curiosa para saber mais sobre a história e os personagens. Fiquei muito interessada na leitura e parece ser uma experi~encia muito agradável.

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito de ler romance histórico, mas já quero ler esse, ainda mais por você ter dito que é bem diferente da maioria dos livros desse gênero!
    A construção do romance parece ser bem divertida de acompanhar, então eu espero poder ter a oportunidade de ler esse livro em breve!
    Obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  6. Olá Stef,
    Também gosto muito de romances de época, mas, como você disse, quase todos os livros são mais do mesmo. Que surpresa que esse livro tenha sido diferente. Achei legal o Rei não ter se preocupado em ser um cavalheiro e não ter se importado muito com a mocinha no começo. A construção do romance parece ter sido muito bem feita e isso foi mais um ponto positivo para essa obra.
    Dica anotadíssima. Espero me surpreender como você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiii!!!
    Gosto bastante de romances de época, e fico feliz em saber que esse não segue muito a risca do que a maioria nos trás.
    Sempre que acontece esses conflitos entre um possível casal, já sei que no final algo vai sair dali rs. Geralmente, as pessoas tentam afastar com grosserias que elas não querem amar.
    Não conhecia esse livro, mas fiquei interessada em ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro e a principio pensei não ler.. Isto e, não sou muito de livros de época, ainda que queira ler algo do género...

    Mas adorei saber que e super impreisivel, sem clichés (adoro isso!) e que gostaste da construção do romance! :) Acho que seria uma ótima pedida para começar a ler o género! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Stefani

    Ah, eu tbe amo romances de época e ainda nao li nenhu da Sarah, mas estão na minha lista!
    Adorei este e quero ler logo :)
    Muito legal seu post.
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  10. Me diverti muito com este livro, sem dúvida a mais desdivertida das Irmãs quase levou Ray a loucura
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Stefani,

    Eu ainda não li nada da autora, mas minha amiga lê tudo o que é dela e esse livro ela se apaixonou. Fico feliz que a autora construiu bem a história, principalmente a parte do romance. Acho a premissa totalmente legal e como sou amante do Gênero, to bem ansiosa para conhecer a escrita da autora!

    beijos =)

    ResponderExcluir
  12. Oi Stefani,
    Eu também amo histórias de época e apesar de estar sentindo falta de história com mocinhas que realmente existam em um século XIX sem a influência do século XXI, gostei de como os protagonistas se aproximam e vão se conhecendo. O achismo de alguma forma os aproximou e por esse caminho suas verdadeiras personalidade vem à mostra. Gostei bastante e espero conferir em breve.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  13. Amei, amei a resenha, a sua descrição e empolgação me conquistou. O abuso dos clichês em romances de época estão mesmo deixando as coisas meio saturadas nesse mundo literário, não parece ser o caso da Sophie e do Rei. O romance deles começou de uma forma mesmo inusitada. O livro já foi arremessado para o topo da minha lista de desejos junto com Clube dos Canalhas.
    Ótima resenha, bjs

    ResponderExcluir
  14. A cada dia mais essas resenhas estão me fazendo querer deixar meu preconceito de lado e mergulhar nos romances de épocas! Achei essa história muito incrível e gostei bastante dos personagens, não parecem aqueles clichês e enjoativos que tanto lemos, então já curti. Sua resenha também ficou incrível, muito bem construida, adorei!

    ResponderExcluir
  15. Oi Stéfani, suas fotos ficaram tão lindas que por si só já falam o quanto você gostou do livro. Mesmo você dizendo que esse livro foge dos clichês do gênero romance de época é algo que eu realmente não gosto de ler por isso vou deixar a dica passar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Diferente de você confesso que não sou muito fã de romances de época, mas ja li alguns livros desse gênero e gostei. Esse livro eu ainda não conhecia e confesso que de início não fiquei muito animada, pois não parecia ser uma história diferente do convencional. Mas lendo sua resenha percebi que é uma história única, com bons personagens e um bom romance, então fiquei animada. Enfim, gostei bastante da sua resenha e vou marcar a dica.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Oi Stefani!
    Eu nunca li nenhum romance de época, mas tenho a impressão de que não iria gostar muito. Não faz o meu estilo.
    Mas é importante ele fugir dos clichês - não fica muito parecido com outras histórias.
    Porém dessa vez passo a dica.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/11/resenha-quarenta-dias-sem-sombra.html

    ResponderExcluir
  18. Helloo, tudo numa nice?!
    Eu já vi esse livro antes mas nunca dei muita ligança porque presumi ser de época e as capas já deixam evidente. Romance de época não é um gênero que eu curto, já li alguns e atestei isso. Para mim soam clichês e sempre acontece a mesma coisa. Como você disse com tantas livros assim parece que a fórmula está a mesma para tudo e fica meio que saturado. Enfim, mesmo com coisas que não são convencionais em livros de época consegui enxergar uns clichês na estória. Esse não é o único motivo pelo qual eu não leria - estou numa vibe de fantasia e fugindo de romances. Mas enfim, que bom que para você a leitura foi proveitosa. Muito legal ter um comentário seu no livro, né não?!
    Beijin...

    ResponderExcluir
  19. Olá,romance histórico realmente não é meu gênero,mas essa parece realmente ser uma história realmente divertida e trás algo novo para os apreciadores do gênero.Adoro quando as mocinhas quebram todos os esterotipos da época, e essa parece realmente fazer isso.
    e parabénss pela sua conquista

    ResponderExcluir
  20. Olá moça, como vai?

    Já havia visto algumas obras sobre a autora, mas não tinha visto sobre essa ainda.
    Gostei de você ser sincera sobre o "Clichê" em romances de época.
    Você deu alguns "spoilers" sutis, mas nada que tirasse o interesse do livro.
    Gostei do seu detalhamento sobre os personagens e do liro fisico, ficou ótima!
    Mas a melhor parte é seu entusiasmo quando diz que a obra é "fantastica"! *-*

    Dica anotada com carinho, beijos! ⚛

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Eu também amo romances de época e saber que esse foge totalmente daquilo que estamos acostumados a ler é realmente uma grande surpresa. Gostei de a autora não construir a personalidade de Rei como um cavalheiro, mais uma coisa diferenciada nessa obra. Fiquei morrendo de vontade de ler, adorei a sua dica!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pela sua opinião na orelha do livro, que legal! O que adorei nessa obra foram esses capítulos com títulos que parecem fofocas, muito criativo.... Rs... Mas infelizmente romances de época não me atraem, mesmo você tendo dito que esse fugiu do clichê ainda não achei muito diferente não, acho que só lendo mesmo pra perceber isso direito. Eu não vou conferir, mas anotei a dica para passar para amigas loucas pelo gênero.

    ResponderExcluir
  23. Oii, tudo bem?
    Aiii eu estou simplesmente louca para ler esse livro, amo demais romances de época e adoro a escrita da Sarah naquela série do clube dos canalhas. Além disso tenho lido muitas resenhas positivas sobre Cilada para um marques que fico cada vez mais curiosa.
    Amei o post, parabéns pelo blog maravilhoso.
    Abraços Mary do blog Leituras da Mary

    ResponderExcluir