26 setembro 2016

Resenha - A maior de todas as mágicas




Jim teve uma infância difícil. Cresceu com o pai alcoólatra e a mãe depressiva numa pequena cidade da Califórnia. Para ele, a vida se resumia a uma sucessão de dias tristes, violentos e sem esperança.
Mas tudo mudou ao completar 12 anos, quando entrou numa loja de artigos de magia e conheceu a misteriosa Ruth. Enxergando todo o sofrimento do menino, a generosa senhora resolveu ajudar e prometeu ensinar a ele a maior de todas as mágicas.
Ao longo de seis semanas, Ruth guiou Jim por diversas técnicas de meditação, ensinando-o a relaxar o corpo, esvaziar a mente e abrir o coração – os passos necessários para qualquer pessoa aprender a lidar com a dor e com as próprias emoções.
Os anos se passaram, Jim incorporou as práticas e se tornou o Dr. James Doty, neurocirurgião proeminente e empresário de sucesso. Mas esqueceu de manter o coração aberto, o que gerou terríveis consequências.
Nesta emocionante história real, Dr. Doty mostra o poder que a compaixão tem de transformar vidas e a força que cada um de nós possui para transformar o mundo.

Livro: A maior de todas as mágicas
240 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Arqueiro/sextante || Onde Comprar

 










"O dia em que notei que meu polegar havia sumido começou como qualquer outro, no verão antes de eu iniciar o nono ano. Eu passava os dias andando de bicicleta pela cidade, mesmo quando fazia tanto calor que o metal do guidom parecia fumegar. Eu sempre sentia gosto de poeira na boca - granulosa e com jeito de erva daninha, como os cactos que batalhavam com o sol e o calor do deserto para sobreviver. Minha família tinha pouco dinheiro e era comum eu estar faminto. Eu não gostava de sentir fome. Eu não gostava de ser pobre."

No ano de 1968 James, conhecido como Jim, era um menino de doze anos que vivia na cidade de Lancaster. Nascido em uma família pobre, com um pai alcoólatra e uma mãe que sofria de depressão e passava a maior parte do seu tempo deitada na cama, o garoto não possuía perspectivas de ter algo bom na vida e passava grande parte dos seus dias vagando por aí, sem ter o que fazer. Um dos maiores passatempos de Jim era um polegar de plástico que tinha ganhado de seu pai com o qual ele inventava mágicas para se distrair. Porém, certo dia, o polegar de plástico desapareceu, e por ser uma das suas únicas distrações, o menino ficou extremamente chateado com a perda. Mais tarde, vagando de bicicleta pelas ruas da cidade, avistou uma loja de artigos de mágica, e então resolveu entrar para tentar encontrar um novo polegar, mas ao invés disso, conheceu Ruth, uma senhora que ele não sabia, mas mudaria sua vida para sempre.

"- Você gosta de mágica?

- Adoro.


- O que adora na mágica?

Eu só queria dizer que a achava legal e divertida, mas saiu algo completamente diferente da minha boca:

- Eu gosto de poder treinar uma coisa e virar fera nela. Gosto de ficar no controle. Se o truque vai funcionar ou não, só depende de mim. Não importa o que qualquer outra pessoa diga, faça ou ache."

Assim que perguntou para Ruth sobre se eles vendiam o polegar, ela explicou-lhe que era apenas a mãe de Neil, o dono da loja e que não entendia nada a respeito dos artigos que o filho vendia no local, e enquanto embarcava em uma conversa mais longa com Jim ela o questionou sobre seu interesse por mágica, e lhe propôs ensinar uma mágica muito diferente de tudo o que ele conhecia, uma mágica que o ajudaria a controlar algo muito poderoso, a sua própria mente. Esta mágica era a arte de meditar.

"É claro que foi esse o caso com Ruth. Aquele primeiro encontro mudou tudo, pondo minha vida numa trajetória muito diferente da que ela teria seguido. Ruth não era um ser sobrenatural, ainda que, aos 12 anos, eu gostasse de imaginar que era. Ela era um simples ser humano com o dom profundo da empatia e da intuição, o dom de se importar com outro ser humano sem esperar nada em troca. Ela me deu seu tempo. Deu-me sua atenção. E me expôs a um tipo de mágica que ainda hoje utilizo. Houve momentos, na loja de mágicas, em que tive a convicção de que estar ali era uma perda de tempo e de que eu não teria qualquer possibilidade de aprender o que ela tentava me ensinar. E houve ocasiões em que realmente achei que ela era meio maluca. Hoje, sei que as técnicas que Ruth me ensinou eram antiquíssimas, em muitos sentidos, e faziam parte de tradições orientais que datavam de milhares de anos."

Curioso e sem ter algo de mais interessante para fazer, Jim aceitou e durante seis semanas, todos os dias em uma salinha nos fundos da loja, Ruth guiou o garoto por modos de fazê-lo relaxar através de sua respiração, ensinou-o a visualizar coisas boas, lidar com os problemas de seus pais, a mentalizar o que desejava no futuro, abrir seu coração e a ter principalmente compaixão para com as pessoas e a não pré-julgá-las, pois explicou-lhe que cada um tem suas dores, sofrimentos e suas formas de lidar com a vida, e Ruth ensinou-lhe que aquela era a maior de todas as mágicas que alguém poderia encontrar na vida, e que ela o ajudaria em tudo que ele desejasse, desde que ele a seguisse, com o coração e desde que ele passasse sempre essa mágica para outras pessoas. E ele realmente seguiu e visualizou um futuro bem diferente para si, porém, a medida que ia conseguindo tudo o que almejava, Jim esqueceu da mágica que o levara até lá e sofreu as consequências da ambição.

"- O mesmo acontece com as feridas do coração. Precisamos dar atenção a elas, para que possam cicatrizar. Caso contrário, continuam a nos provocar dor. Às vezes, por muito tempo. Todos nós, mais cedo ou mais tarde, somos magoados. A vida é assim. Mas o truque sobre as coisas que nos machucam e nos causam dor é que elas também servem a um propósito incrível. É quando nosso coração é ferido que ele se abre. A dor nos faz crescer. As situações difíceis nos fazem crescer. É por essa razão que você deve abraçar toda e qualquer dificuldade que tiver na vida. Eu sinto pena das pessoas que não têm problemas, que nunca têm de enfrentar nenhuma dificuldade. Elas ficam sem o dom. Ficam sem a magia."

Através desse livro biográfico, muito bem escrito, conhecemos a história de James Dotty, aquele menino sem perspectiva que entrou na loja de mágicas de uma forma e saiu transformado, esse homem que mais tarde se tornou cirurgião, deixou a mágica se perder e depois a reencontrou, e que compartilha, através desse livro extraordinário, os caminhos de sua mágica, para que cada um de nós possa segui-lo também.

"Ainda visualizo o que desejo na vida. Vejo o que quero em minha cabeça, por uma janela que, muitas vezes, não é muito transparente, mas acredito com absoluta fé que, quando chegar a hora certa, ela será de uma transparência cristalina. Aprendi que esse processo de tornar algo manifesto nem sempre é linear e nem sempre funciona na linha cronológica que desejo ou que faz sentido. Mas tudo que visualizo costuma tornar-se realidade e, quando isso não acontece, existe claramente uma boa razão para não acontecer. Ao longo das décadas, aprendi que ter fé no resultado é muito diferente de me apegar ao resultado; e aprendi, da maneira mais difícil, que é preciso ter cuidado com o que queremos que se manifeste. Também aprendi que há um imenso poder contido em nossas intenções."


[ - Minhas Impressões - ]

Existem aqueles livros que lemos e que ao virar da última página sentimos que ele nos mudou, de alguma maneira, e isso aconteceu com a minha leitura do livro A maior de todas as mágicas. Confesso que assim que vi sua sinopse imediatamente ele me interessou, mas quando solicitei na editora, por várias vezes fiquei me questionando se deveria tê-lo pedido, e se não seria apenas mais uma história entediante a respeito de meditação. Porém, a medida que fui evoluindo na introdução e no primeiro capítulo, percebi, com muita felicidade que não havia livro melhor e que esse livro definitivamente seria marcante para mim.

Uma coisa a respeito desse livro que deve ser destacada em primeiro lugar é que ele não tem nada de técnicas extensas e complicadas, é apenas um livro onde conhecemos a história daquele garotinho de doze anos, perdido e sem perspectivas, e o modo como Ruth o conduziu para a meditação. Enquanto ele conta como eram seus encontros para aprender a meditar, ele nos leva a nos identificarmos com suas dificuldades: Ruth dizia que ele deveria respirar, relaxar e pensar em coisas positivas, mas a nossa mente é uma máquina poderosa e incansável, então muitas outras coisas ficavam se passando na mente de Jim, até ele finalmente conseguir limpá-la e focar apenas no aqui, no agora e no relaxamento, e sabemos que isso é realmente verdadeiro, pois é difícil nos concentrarmos em uma única coisa, algo tenta roubar nossa atenção na maioria das vezes.

É difícil falar apenas sobre os melhores pontos de um livro que tanto amei. Tenho vontade de dizer que ele é simplesmente perfeito, sem qualquer outro destaque, mas isso não é possível, uma vez que adoraria que todos o lessem, então preciso apresentar seus pontos bons e os não tão bons. O primeiro ponto ótimo que me vem a mente é essa narração tranquila, fácil, a respeito de uma história de vida, além de a escrita ser muito leve, o que não nos dá a impressão de ser um livro de história real e sim parece uma ficção. Além disso a escrita é muito fluida, tanto que li em poucas horas e não conseguia deixar para trás as páginas e conseguia me inserir ao lado de Jim em cada acontecimento que ele descrevia e até podia imaginar a voz de Ruth o ajudando a chegar na meditação. Uma outra coisa que achei extremamente interessante é que Jim nos conta como Ruth o conduziu no passo a passo da meditação e como ele conseguiu chegar a realizar aquilo, bem como suas dificuldades, mas ao final desses capítulos ele também faz um resumo, por exemplo dizendo: "truque Número 1 da Ruth: como relaxar" e então resume os passos daquele truque, para quem quiser acompanhar e tentar fazer também.

O único ponto que pode ser perturbador para alguns leitores, o que não foi em nenhum momento para mim, é que em algumas partes Jim acaba divagando sobre partes do cérebro, ou do coração, usando termos técnicos para se referir a funções desses órgãos, mas destaco que essas partes são muito poucas e raras, o que não atrapalha na leitura.

Minha leitura foi feita em ebook e não encontrei erros. O livro é narrado em primeira pessoa e dividido em três partes, que ao todo possuem treze capítulos. Na introdução temos Jim contando a respeito de uma cirurgia que ele fez em um menino, quando já havia se tornado um grande cirurgião. Ele nos narra como aquela cirurgia quase deu errado e então, como através das técnicas de meditação e de relaxamento ele conseguiu, em meio ao caos da sala de cirurgia focar no que era importante e salvar aquela criança. Logo em seguida encontramos o capítulo 1 onde voltamos para Lancaster e o princípio da história de Jim na loja de mágicas. Seguimos então nessa narração, enquanto ele nos conta como foi usando as técnicas de Ruth enquanto crescia e como através delas ambicionou ser um cirurgião e ter muitas coisas e como conseguiu, e por fim, nos conta como deixou essa mágica da Ruth se perder e quais foram as consequências.

Como é uma história real é difícil falar a respeito de personagens, mas o narrador, Jim, deixou transparecer nas páginas desse livro toda a sua humanidade, assumindo, sem medo, todos os seus fracassos e erros e o modo como concertou-os. Além dele, outra pessoa que se destacou foi Ruth, a mulher que lhe apresentou toda a mágica. Além disso, temos menção a personalidades importantes, como Dalai lama.

Essa é uma história de humanidade, de erros e acertos e de como um pequeno ato pode nos mudar para sempre. Não sigo a meditação em sua forma integral, mas sei, por experiência própria que nossa mente é poderosa e que nossos desejos e ações são capazes de promover mudanças e que muitas vezes, se respirarmos fundo, fecharmos os olhos e refletirmos antes de agir as coisas podem sim se tornar diferentes, então tenho certeza que seguindo as técnicas de Ruth pode-se ter uma vida muito melhor e fiquei com muita vontade de aplicá-las em minha vida.

Nada do que eu disser vai ser o suficiente para expressar o quanto esse livro me fez bem, mas recomendo o livro para todos os leitores que possuem interesse no tema da meditação, da calma e das experiências humanas, mas também recomendo para quem não tem interesse ou não sabe nada a respeito do tema, pois é uma história inspiradora para se conhecer, e tenho certeza que ao fim do livro todos que lerem se sentirão tocados de alguma maneira e quem sabe esse livro também seja muito marcante em suas vidas como foi na minha.


31 comentários:

  1. Olá Tamara
    Confesso que nao costumo muito ler livros nesse estilo, porem adorei poder conferir suas impressões a respeito. Imagino mesmo que deve ser uma leitura que faz muito bem, então eu realmente teria o interesse em ler, não somente para sair da minha zona de conforto, mas para pensar um pouco sobre essa questão de ser uma história real.
    E claro, nao posso deixar de afirmar que adorei sua resenha.. Boas leituras!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Opa! Estou precisando dessa terapia, ando muito estressada e Deprê.
    Confesso que não gosto de livros de auto-ajuda, biografias, etc. Gosto mais de ficção. Mas, acredito que sair da zona de conforto de vez em quando faz bem. Gostei da resenha e de conhecer a obra.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  3. Oi Tamara, você tem o poder de resenhar uma obra, dr detalhes, fazer a fome da leitura nascer de forma visceral e ainda assim, não dr spoilers. Acho que a questão de ser uma história real, multiplicaram minha vontade de ler o livro e a sua empolgação em falar do livro também.
    Adorei a dica!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oii!
    Que história interessante! Adoro livros com essa pegada mais sábia, são o tipo que eu "tenho" que comprar o livro físico, porque no final da leitura estão sempre cheinhos de marcadores...rs
    Pela sua descrição, me lembrei de A terra inteira e o céu infinito, da Ruth Ozeki. Já leu? Também tem essa temática de ensinamentos que "salvam" a pessoa, bem interessante :D
    Ótima resenha, me deixou doidinha pra lê-lo!
    Beijos, Isa
    belacultblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Eu já tinha lido a sinopse desse livro e a primeira vista, eu tinha me interessado por ele. Mas agora lendo a sua resenha, percebi que apesar de ser uma história muito bonita, acho que eu não iria gostar.
    Não curto muito essa parte mais "sábia", auto-ajuda. E ainda tem esse lance do narrador divagar sobre o coração, o cérebro. Isso não funciona para mim, rsrs. Acho muito chato...
    Passo a dica dessa vez.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Não tenho o hábito de ler biografias, mas esta me deixou bastante curiosa para conferir todos os acontecimentos pelos quais Jim passou.
    Parece ser um livro um tanto quanto denso e quero muito saber se ele conseguiu abrir o coração. Sem contar que ele reconhecer os erros e assumi-los é uma atitude bem interessante.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tamara

    Eu não leria o livro por dois motivos: é uma história biográfica e fala sobre meditação. Os temas não me atraem, mas sua resenha está transmitindo tando sentimento pelo livro que confesso ter titubeado e ter sentido um bocadinho de curiosidade.
    A caminhada de James deve ser muito interessante e aqueles que, como você, se identificam com o tema, deverão ter uma experiência bem bacana com a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    Gosto de assistir filmes baseados em histórias reais, mas não lembro de ter lido algum livro biográfico.
    A premissa me agradou e conhecendo um pouco da história desse menino que se transformou num neurocirurgião e empresário de sucesso, através dessa belíssima resenha, quero ler esse livro para saber todos os detalhes.
    Bjs,
    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Pela sua empolgação quanto a obra, fiquei até com vontade de lê-la!
    Não tenho costume de ler livros biográficos, mas esse parece ser bem diferente dos outros. Acho que esse ponto perturbador também não seria um problema pra mim, caso eu realizasse a leitura. Adorei suas impressões sobre a obra e resenha está muito bem detalhada.
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Flor!
    Que história maravilhosa! Não tinha noção do que esse livro tratava, mas agora sei que preciso ler. Muito interessante o fato vivenciado por uma criança determinar seu futuro. Com certeza é uma ótima biografia. Espero ter oportunidade de ler.
    Amei suas impressões

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Nossa mente realmente é algo poderoso demais e que pode afetar mais que a parte física do nosso corpo. Fiquei realmente muito feliz de ler essa resenha, não conhecia o livro, mas me interessei logo de cara com a premissa também. Queria muito acompanhar o aprendizado do personagem em relação a meditação e como ele levou isso para a vida dele a partir do dia que aprendeu, e claro, também como acabou perdendo isso em algum momento. Muito boa sua resenha e ótima dica, obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá Tamara,
    Ainda não conhecia esse livro e, apesar de você ter gostado muito da leitura, não fiquei interessada em fazê-la. Acho a premissa interessante e envolvente e acho que é bom lermos livros reais com coisas que aconteceram, principalmente, de um tema tão forte e importante quanto a meditação, mas não é o tipo de livro que preciso no momento. Esse livro, acrescido das partes que o Jim divaga, me fez pensar em uma amiga e acho que ela o devoraria, pois o livro tem a cara dela, vou lhe indicar.
    Parabéns pela resenha incrível, como sempre.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Confesso que se não tivesse lido sua resenha esse livro não me chamaria a atenção, pois pensaria que nos estaria ensinando a meditar no estilo de livros auto ajuda, sabe? Foi muito bom saber que nesse isso não acontece. O único ponto que você achou que seria negativo não me desanimou, até acho que me deixaria ainda mais interessada na história, pois sempre gostei muito de termos técnicos. Vou com certeza adicionar na minha lista de leituras.
    Beijos.
    https://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Já fiz um pouco de meditação em algumas épocas da minha vida, e te digo que essa parte de tirar pensamentos intrusos da cabeça é realmente complicada, mas acho que é algo que ajuda muito e gostaria de retomar o hábito, então acabei me interessando pela leitura. Achei bem legal o tipo de narrativa dar até impressão que é uma ficção, isso com certeza fará eu me envolver ainda mais com a história.

    ResponderExcluir
  15. Oi Tamara, tudo bem? É impossível ler sua resenha e não ficar com vontade de ler o livro. Já vou adicionar a minha listinha.
    Eu acho a meditação uma coisa incrível, mas acho que não conseguiria. Não consigo parar de pensar e não consigo pensar em uma só coisa. Mas quem sabe algum ponto do livro me ajude nessa ansiedade toda.
    O fato de ser baseado em uma história real também não me incomoda, acho que torna é a leitura mais bacana :)
    Espero conseguir ler em breve e que curta tanto quanto você =D
    Beijoooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Tamara,
    OLha sou do tipo de pessoa que não consegue ficar quieta e meditar, admiro muito quem consegue, mas não é pra mim. Olha te digo que de cara, não gosto desse tipo de leitura e por isso não me sinto impelida a fazer essa leitura, geralmente evito obras biográficas, salvo algumas exceções e essa não me fez querer abrir uma.
    Beijos
    Conversas de Alcova ♥

    ResponderExcluir
  17. Olá.

    Eu não conhecia esse livro, mas também não gosto de livros desse tipo. Aliás, eu nunca li nada nesse estilo e também nunca me interessei também. Gostei bastante da suas considerações e achei bem tocante, mas ainda sim eu não leria rsrsrrsrrs Não sei... Não consigo me conectar com esse tipo de história. Fico feliz q vc tenha gostado e espero que outras pessoas leiam e gostem também

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Tamara, fico feliz por você em saber que gostou tanto assim do livro. E concordo que é ótimo quando nos deparamos com um livro assim, mas eu particularmente não estou interessada no momento.
    Bsj!

    ResponderExcluir
  19. Olá Tamara,
    dizendo sem rodeios, estou me sentindo dividida :(
    Não é o gênero literário ao qual estou acostumada, e geralmente fujo de biografias (não sei pq?).
    No entanto, lendo sua resenha, houve momentos em que me peguei querendo saber mais sobre esse médico que utilizou essa "arte" milenar para salvar vidas, como superou a inquietação e limpou a mente. Saiu de uma vida difícil e venceu.

    Beijos!
    Anne
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Confesso que nunca li um livro que fale sobre meditação e gostei de saber que esse não é sobre técnicas, mas sim como essa prática pode mudar a vida de uma pessoa. Sabemos que uma pessoa calma e centrada consegue levar a vida muito melhor do que uma pessoa estressada. Fiquei curiosa para conhecer como é a história e se tiver oportunidade de ler vou fazê-lo.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  21. Eu já torci o nariz pra esse livro quando vi que falava de meditação e que era um livro biográfico. Já estava convencida de que não gostaria mas sua resenha foi tão "apaixonada" que acho que se tivesse a oportunidade, leria o livro. Fiquei curiosa sobre a vida do Jim e como ele mudou sua vida através da meditação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Olá Tamara,

    Não conhecia a obra, mas confesso que não me interessei muito pelo enredo. É até um pouco divertido saber que o personagem começa a aprender 'mágica' e que isso traz uma certa reflexão, por trás da história, mas ainda assim não é um gênero que me agrada muito e não é uma história em que eu apostaria. Infelizmente não conseguiu me cativar, mas suar resenha está muito bem escrita e esclarecedora, justamente por entender mais o que o enredo traz, vou passar a dica.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  23. Já tinha lido a sinopse do livro e pensado mesmo que seria cansativo por se tratar da meditação, mas depois da resenha tenho certeza que preciso ler, por ser tão fluido e conseguir te marcar com tamanha facilidade e rapidez. Não acho que os termos técnicos iriam me atrapalhar de algum modo, até acho legal que consiga aprender alguns através da leitura. Livros com aspectos e personagens humanos, que as vezes se parecem reais, mesmo sendo ficção, sempre me conquistam, e vou dar uma chance a esse.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Tamara! Gostei da capa e do título do livro. Devo confessar que a sinopse não me chamou muito a a atenção, mas lendo a sua resenha e vendo que se trata não só de uma história real, mas de uma história sobre transformação, fiquei mais atenta a ela. É ótimo quando encontramos um livro que nos toca assim. Lembro do primeiro livro que fez isso comigo é por muito tempo fiquei falando dele. rs
    Parabéns pela resenha!

    Bjs,
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Olá, como vai? Cara que livro maravilhoso *--* já quero e muito. Amo autobiografias e a história me deixou totalmente cativada. Adoro livros que ao final, como você disse, você se sente engrandecida e com grandes ensinamentos aprendidos. Amei a resenha e quero muito aprender com ele também.
    Beijos.


    EuVocê&oslivros

    ResponderExcluir
  26. Gosto bastante dessa pegada mais realística que nos traz críticas e nos faz pensar.
    Eu tenho uma leve aversão à biografias, é verdade, mas esse livro me chamou bastante atenção.
    Primeiro pela premissa, segundo porque, como sempre, sua resenha está maravilhosa.
    Você soube nos fornecer cada detalhe, sem dar spoilers.
    Estou bastante curiosa em relação à essa história e espero ler em breve.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oii!
    Amei essa capa e admito que, lendo sua resenha, me vi presa e muito curiosa com a história e não conseguia parar de ler o enredo!
    Achei muito interessante ser um livro biográfico, eu não esperava isso do começo.
    Sendo uma pessoa extremamente ansiosa, meditação e técnicas de relaxamento que colocam as pessoas em controle do seu próprio corpo sempre me interessam e essa parece ser exatamente isso. Um daqueles livros com lições de vida sobre como seguir em frente que a gente guarda na cabeceira e nunca mais quer esquecer! :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  28. Olá,quando vi o nome do livro esperava algo relacionado a magia com direitos a feiteiceiros e magos KKK, mas é algo totalmente diferente, uma proposta curiosa até.
    Mas a história mesmo sendo bem legal não me chamou muita atenção, parece ser uma história sem muitas aventuras, bem calma e leve , que não é o que estou procurando no momento.

    ResponderExcluir
  29. Olá, tudo bom?
    Já havia ouvido falar desse livro, mas, nunca falaria que é uma biografia! Achei que era um dos muitos livros que envolvem fantasia e magia em um universo distópico e bem, que bom que estava errada! rs Adoro livros assim, que nos fazem sentir que algo em nós mudou. Como me interesso muito por meditação e tudo mais (por ser uma pessoa ansiosa), mais que anotada a sugestão.


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  30. Olá...
    Confesso que a temática em si não me atraiu muito, mas, diante de toda a sua satisfação com a obra me bateu aquela vontade de ler, pois, confio bastante em minhas amigas blogueiras, portanto acho que vou dar uma chance á obra.
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Oieee, tudo bem? Não conhecia esse livro, e bem, não é uma história que chamaria a minha atenção e nem me cativaria somente pela sinopse. Não é um livro que eu leria, mas confesso que lendo a sua resenha e vendo o quanto de ensinamentos e coisas boas ele pode me passar entre as entrelinhas, fiquei até animada. Se tiver a oportunidade irei conhecê-lo sim. Ótima resenha

    bjs

    ResponderExcluir