27 setembro 2016

Resenha - A Diferença que fiz




Arthur Zanichelli é um garoto incapaz de perceber a sorte e os privilégios que tem. Filho do doutor Guilherme, um renomado e bem-sucedido médico, dono de um dos hospitais mais bem-conceituados da cidade, Zani, como gosta de ser chamado, prefere insistir no desgaste de sua relação com o pai.
Perto de seus 18 anos, Arthur ainda não consegue perdoar o pai pela morte da mãe quando ainda era apenas uma criança. Ao longo dos anos, a relação de ambos se torna cada vez mais insustentável. Arthur é o exemplo clássico de rebeldia adolescente, se envolvendo com más influências e com fascínio por tudo que é errado ou proibido.
Tendo cruzado a linha do limite há muito tempo, Zani persiste no caminho do incorreto e do inconsequente, mas, quando ele começa a se distanciar demais desta linha, seu pai, com medo de que não houvesse mais volta e que esta rebeldia se consolidasse na personalidade de uma pessoa ruim, resolve ser radical.
Doutor Guilherme decide expulsá-lo de casa e o envia para um hospital em uma pequena cidade do interior aos cuidados de um colega de profissão. Arthur é obrigado a se passar por um dos pacientes do hospital, que atende e recebe apenas crianças e adolescentes carentes.
Sentindo o enorme contraste de realidade, Arthur começa a conhecer uma vida que não conseguia sequer imaginar que existia. Sem abandonar seu espírito de revolta e maldade, causando muitos conflitos, ele transforma o cotidiano dos internos.
Com personagens marcantes, A diferença que fiz mostra o quanto somos capazes de transformar o mundo – para o bem ou para o mal. Essa história emocionante faz com que tenhamos uma visão mais clara das pessoas que devemos dar valor e das mudanças que devemos buscar em nós mesmos.

Livro: A diferença que fiz
480 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Generale || OndeComprar ||











Arthur Zanichelli é um menino rebelde que não se importa com muitas coisas e faz o que dá na telha porque ele pode, filho de um renomado doutor o menino não poupa tempo em arrumar confusões. Revoltado com a vida e sempre culpando o pai pela morte da mãe, Arthur consegue acabar com a paciência de seu pai, sempre, mas o homem persiste, até que um dia não mais.

Depois de um acidente de carro que deixou uma vítima grave, seu pai decide que agora basta. Ele finalmente ultrapassou todos os limites possíveis e agora precisa de uma lição. Assim, faltando poucos meses para seu aniversário de 18 anos, Arthur é mandado para um hospital onde ninguém poderá saber que ele não tem nenhuma doença e de quem ele é filho.

Mas será que o mimado menino conseguirá se adaptar a um lugar no qual todos estão em uma situação tão delicada que o mais importante não é como viver e sim em se viver? Será que um menino cheio de ódio poderá encontrar outra maneira de conviver com as pessoas sem que machuque elas no meio do caminho? Será que um menino tão perdido poderá se encontrar em meio a pessoas que sabem o quão valiosa é a vida?


Eu já li outro livro do Gutti Mendonça - Mais uma chance, que eu amei por sinal e deixo o link da resenha para vocês conferirem  aqui -, o que é bem engraçado, pois quando eu solicitei os dois livros não sabia que eram do mesmo autor, mas ao mesmo tempo encantador, porque mostra que o escritor conseguiu me atrair em momentos diferentes de sua carreira.

No livro citado acima eu encontrei um Gutti escrevendo em parceria e nos mostrando um verdadeiro e lindo romance, cheio de reviravoltas e frases e cenas marcantes, sem falar da trilha sonora. Agora, em A diferença que fiz, vemos um autor mais maduro e com protagonistas que continuam impressionando e marcando, porém com uma pegada mais dura da vida.

Arthur é um jovem inconsequente e transtornado, ele sofre muito, ele está perdido e acha que tudo vai se resolver não se importando, se revoltando e ligando o "fuck you" para a vida, mas as coisas não são assim, tudo que vai volta já dizia uma das leis da física e bom, ele vai aprender - ou seu pai vai tentar ensinar - que não se pode fazer tudo sem encarar as consequências de suas ações, ainda mais quando eles ferram o próximo.

Ao ir para o hospital as coisas estão tensas, tensas demais entre ele e seu pai, e o dia a dia naquele lugar aos poucos passa a transformar a mente, a realidade e o coração do jovem. Não falarei muito daqui em diante, pois não acho justo e gosto como vamos nos desdobrando com o protagonista, de como vamos nos envolvendo e emocionando com os personagens que vão surgindo.

Mas digo, é lindo de ver como os residente do hospital ensinam coisas valiosas a Arthur, principalmente Yasmim, uma jovem que completamente arrebata nosso coração e nos faz torcer, fortemente por ela. Mais uma vez Gutti nos faz torcer por seus personagens, pois nos conquista e nos ensina coisas muito bonitas, é um dos autores que eu descobri esse ano e que fico muito feliz por ter descoberto.

A Generale fez um ótimo trabalho na diagramação e edição do livro, é lindo de ter na estante e leve para se carregar na bolsa. Uma ótima recomendação viu? Não deixem de ler!


"Se caiu nesse jogo da vida, vai colecionar bons e maus momentos, evitar os bons não vai te fazer fugir dos maus."

25 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse título, mas gostei de poder conferir suas impressões. Fiquei com vontade de ler e bem intrigada sobre o desenvolvimento no hospital e com os personagens. Eu não conhecia o autor, mas vou procurar para saber mais informações sobre ele.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá! Nossa preciso ler esse livro, gostei da sinopse e adorei a resenha, gosto desses temas de como aprendemos com a vida e como fazemos a diferença!! Deve ser maravilhoso de ler!Parabéns, ainda não conhecia mas vou procurar ele!

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Nossa que história tocante. Realmente tem hora que os pais não aguenta mais os seus filhos rsrs. Eu não conhecia essa obra, mas já fique satisfeito com o que li na sinopse, aí depois com usa resenha, só colhi boas impressões da obra. Achei o título e capa bem legais. E espero ter a chance de ler em breve. Até mais vê
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gostei do livro pela capa, inicialmente. Me chamou muita atenção.
    A resenha também me fez querer ler o livro e preciso dizer que amei a forma como destacou os pontos do livro.
    Beijos,
    Escritora por um Acaso

    ResponderExcluir
  5. Oi Agatha!

    Fiquei bem curiosa a respeito do livro, porque me parece que o rumo que a história toma, foge do convencional para um bad boy ''fuck u'' da vida. Fiquei realmente interessada na trama do livro e ver como o autor desenvolver a história e o personagem principal. Parabéns pela resenha!

    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Já adorei o Arthur aqui no meu coração!!!! rs
    Ainda não conhecia o autor e já quero ler tudo, em função dessa pegada de reflexão e superação que o enredo traz. A arte gráfica está linda!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu não conhecia o autor e nenhum dos seus dois livros. Achei a proposta da obra muito atraente e pelo que você falou na resenha, é um livro que me surpreenderia muito e que com certeza eu gostaria de ler. Gostei da capa, simples e bem bonita. Dica mais que anotada e espero ter a oportunidade de lê-lo em breve, aliás, os dois livros.

    ResponderExcluir
  8. O que eu mais gostei nesse livro foi a diagramação, o que inclui a capa. Tem uma imagem tão serena que fiquei até um pouco mais calma quando vi hahaha. Gostei de saber um pouco mais sobre o enredo e o personagens, gosto muito de dramas, então pode ser que essa leitura me agradaria bastante.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Conhecia esse livro pela capa, que é linda, mas não fazia ideia do que se tratava a história. A sinopse conseguiu despertar a minha curiosidade e a sua opinião quanto à trama me deixou com a impressão de esse é um daqueles livros tocantes que tem algo a nos ensinar, principalmente por conta do protagonista. Também gostei de saber que houve um amadurecimento do autor e agora pretendo ler as duas obras pra poder conferir essa evolução também.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Agatha, tudo bem?
    Não conhecia A Diferença que Fiz e nem seu autor ainda, mas confesso que a premissa do livro é bem atraente e sua resenha me deixou bem curiosa para conhecer melhor essa história.
    Gosto de histórias onde os personagens sofrem grandes transformações e tem aprendizados valiosos com a vida.
    Acho que esses ensinamentos passados nas histórias, muitas vezes nos inspiram em nossa vida e por isso gosto tanto desse tipo de leitura.
    Espero ter oportunidade de realizar essa leitura.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá Agatha,
    Que obra mais inspiradora. Adoro quando os personagens mudam, amadurecem e transformam-se com aprendizados da vida e, normalmente, livros assim, me agradam e ensinam muito.
    Achei a forma como Arthur chegou ao hospital bem interessante e tenho certeza que ele saiu de lá sabendo muito mais.
    Dica mais que anotada. Acho que vou amar essa leitura.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  12. Oi Agatha, tudo bem?
    Essa obra me parece ser muito encantadora, sua resenha me deu muita vontade de conhecer o livro. Estou ansiosa para saber como o Arthur irá resolver seus conflitos com o pai e se ele irá parar de ser essa pessoa tão cheia de ódio e mimada, e se esse hospital irá fazê-lo mudar sua perspectiva sobre a vida. Tenho a impressão de que o personagem irá sair desse lugar muito diferente da pessoa que era. Com certeza irei ler.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Super interessante você ter escolhido dois livros do mesmo autor por acaso e legal a sua comparação de um livro com o outro e poder conferir a evolução do escritor.
    A história é bastante intensa e dramática, e parece trazer mensagens bem profundas e cheias de significados. A sua resenha está ótima e espero poder conferir essa história futuramente. Bjs

    umavidaliteraria1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu não conhecia o livro, e apesar de me parecer uma obra bem inspiradora e sensível, eu não o leria no momento. Procuro coisas mais leves e felizes, sabe? Divertidas.
    Ainda assim eu gostei bastante do fato do livro trazer boas reflexões ao leitor, além de fazer torcer pelos personagens. O autor deve mesmo ter uma escrita boa para ter conseguido te conquistar em dois momentos diferentes da carreira.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia o livro mas gostei muito da tua resenha! :) Ainda bem que apreciaste assim o livro! :)

    E sempre bom quando os personagens são marcastes e que sentiste uma evolução do autor neste livro, com uma forma mais dura de ver a vida! :) QUero mesmo ler! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Eu ainda não conhecia o livro, e achei a trama bem interessante, e pelo que pude bnotar um livro com uma edição grafica perfeita. Com certeza, quero ler esse livro e acredito que vou gostar bastante.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. olá, Agatha... confesso que desconhecia o autor e sua obra, mas a premissa desse título me deixou interessada... acredito que eu teria muita raiva de Arthur, só pelo que você descreve dele... e espero que ao longo da trama ele tenha aprendido lições a fim de mudar e amadurecer... pela ambientação e premissa, leria de boas...
    bjs...

    ResponderExcluir
  18. Oieee,
    Assim de cara não gostei muito da capa do livro e a sua resenha me mostrou uma premissa forte e cheia de ensinamentos. Mas que infelizmente não me cativou e nem me atraiu pra fazer a leitura, por isso é uma dica que eu passo por hora, quem sabe em outra oportunidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá ♥
    Não conhecia o livro, mas fiquei curiosa em saber um pouco mais sobre ele. Gosto desses livros que nos faz repensar varias coisas. Esse livro parece ter uma caraga emocional que vai deixar a gente com vontade de querer se aprofundar na personalidade do personagem principal. O legal da premissa e que os personagens não foge da nossa realidade. Quero vê se o garoto realmente vai aprender algo nesse tempo que ele vai passar no hospital. Espero poder ler o livro em breve ♥

    ResponderExcluir
  20. Olá Agatha,
    Ainda não conhecia o autor e nem as suas obras. Mas já posso dizer que pela sua resenha sua história me arrebatou! Imagino o quanto as percepções e ideias do Arthur tenha sido modificadas durante essa experiência. Fiquei bem curiosa com a história e espero ler em breve.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  21. Olá! Livros que tratam de conflitos familiares entre pais e filhos são geralmente os melhores e deles podemos extrair grandes lições. Confesso que a capa dessa obra não chamou minha atenção , porém pela sua resenha o enredo parece ser bom. Abraços!
    Umparadoxoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Oi Agatha,
    Cheguei a ter esse livro em mãos na bienal, mas acabei deixando de lado em vista de outros. Uma pena, pois gostei da sua resenha e acredito que seria uma leitura que eu aproveitaria. Bom saber que mesmo ele sendo grande, é leve. Isso me agrada! Estou curiosa e provavelmente vou adicioná-lo à minha lista de leitura. Abraços

    ResponderExcluir
  23. Oi amore,
    Até então não conhecia o título, no entanto parece ser um livro muito bom.
    A história em si parece ser bem reflexiva e com muitos aprendizados isso me motivou ainda mais a querer ler.
    Parabéns pela resenha!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  24. Gostei absurdamente da premissa do livro. Gostei mais ainda de como o pai dele lidou com o fundo do poço que ele chegou, mas, não é uma leitura pra mim hoje... Fico feliz que você tenha notado a maturidade do autor, isso evolução constante é excelente. Beeeeijos

    ResponderExcluir
  25. Eu solicitei esse livro por isso estarei lendo em breve, não sabia do outro livro do autor, mas se gostar desse com certeza irei dar uma chance. Gosto de histórias onde o personagem mimado precisa mudar e ser mais gentil após algum acontecimento, principalmente por livros assim trazerem vários ensinamentos ao leitor. Pela foto achei a edição linda, estou aguardando ansiosa meu exemplar!

    ResponderExcluir