28 junho 2016

Resenha - Sombra



Este livro de um dos maiores autores norte-americanos de literatura infanto-juvenil, Michael Morpurgo, de quem Steven Spielberg filmou Cavalo de Guerra, começa cheio de paz num lar inglês, com o plantio de uma àrvore um céu estrelado. Mas de repente as emoções explodem e somos jogados no conflituoso Afeganistão, acompanhando a fuga desesperada de uma família para um país longe do inferno. Cada página, cada capítulo nos leva a tomar partido. Sem perceber, abandonamos o conforto do leitor passivo e passamos a vibrar, a torcer, a lutar junto, como se estivessemos fazendo parte da trama. Impossível fugir da dor e da consciência que é ver tanta gente arrancar as próprias raízes do solo onde nasceu, em busca de um oásis de paz. Sombra, a cadelinha que rouba a cena, está ao nosso lado, sem perguntar por que o homem é capaz de tanta maldade. Este é um livro daqueles que não conseguimos largar, tragados pela mais cortante emoção.


Livro: Sombra
230 páginas || Skoob || Cortesia: Geração Editorial || Onde Comprar








Matt é um menino de 14 anos que é sempre visitado pelo avô nas férias de verão e ambos são bem apegados um ao outro, que consiste mais do que uma simples relação de avô e neto. Porém, em um verão específico, o avô resolve romper esse padrão para cuidar da cerejeira da esposa falecida, pois a chuva não aparecia fazia um mês e estava preocupado com a possibilidade da árvore morrer. Quando o avô percebe que Matt não quer ficar sem vê-lo, sugere a ele para passar um tempo em sua casa, e foi o que o menino fez. Mas eles não imaginavam que aquele verão iria marcar suas vidas para sempre.


Matt conta ao avô que está preocupado com seu amigo Aman – que tem a mesma idade - pois ele estava preso num centro de detenção e lá os guardas não o deixavam visitar seu amigo por ser muito jovem. O avô fica curioso e começa a questionar o seu neto o porquê de isso estar acontecendo com Aman, e Matt lhe explica que seu amigo e a mãe dele vieram do Afeganistão e que já viviam na Inglaterra faziam 6 anos em busca de asilo, mas que mesmo assim resolveram prender eles para mandarem de volta para o Afeganistão. Como Matt e Aman não podem se ver, estavam se comunicando por cartas e o Aman havia parado de respondê-las, o que acabou gerando motivos para a preocupação do menino.

“Ele nunca fala muito sobre o Afeganistão, sempre diz que era outra vida, e uma vida que ele prefere não lembrar.”

E então Matt tem uma ideia: pede que o avô o visite no lugar dele. O avô no início já não gosta muito da situação em que fora colocado, mas ao saber que o centro de detenção se chamava Yarl’s Wood, mesmo lugar no qual sua esposa falecida costumava ir quando era voluntária, acaba aceitando o seu pedido. Matt lhe diz que Aman adora o jogo Banco Imobiliário e pede que o avô leve para brincar com ele.

Chegando lá, o avô começa a conversar com Aman e a brincar com ele. Quando mostra ao menino uma foto de família em que Matt está ao lado do seu cachorro, Aman fica com os olhos marejados e explica ao avô que no passado ele tinha uma cachorra de mesma raça chamada Sombra. Depois de conversar com a sua mãe, decide contar ao homem a sua história, sobre como conheceu a cachorra Sombra e em como eles resolveram parar ali, pois têm a esperança que o avô de Matt irá tirá-los daquele lugar deplorável e impedir que voltem para uma terra que nunca os tratou bem. E é nesse ponto que a narrativa começa a engrenar, sob a perspectiva de Aman.

“A história de Aman havia despertado o jornalista que existe dentro de mim. Eu queria saber mais. Eu queria saber tudo.“

Admito que a primeira coisa que me fez nutrir interesse pela história do livro foi a capa. Sou completamente apaixonada pelos cães e acredito que todo livro que tenha pelo menos um cachorro na história fará com que nos emocione e nos envolva mais, então estava com as expectativas altas. A capa nos dá a impressão que a cachorra Sombra será a protagonista, como imaginei que fosse, mas não é bem assim. Mas nem por isso a história foi menos enaltecida!

O mais interessante é que de fato a cachorrinha exerce um papel muito importante, digno de personagem principal, e o rumo da história seria completamente diferente se ela não existisse. Devem estar se perguntando como um simples cachorro pode mudar a vida de alguém, mas é exatamente isso que acontece e é totalmente convincente a maneira que o autor utilizou ao inseri-la nessa trama arrebatadora.


É impossível não se emocionar com a história de Aman e de sua mãe, ver todas as situações em que foram submetidos e as dificuldades que tiveram que enfrentar por consequência da guerra. Passaram frio e fome, e durante sua trajetória para a Inglaterra as coisas só pioravam para eles e diversas vezes foram obrigados a vivenciarem momentos em que suas vidas corriam um sério risco. Eu admirei a força e a persistência que os dois adquiriam ao longo do tempo, pois mesmo parecendo ser um sonho impossível sair daquele país, eles não se deixavam abalar e não desistiam facilmente.

A diagramação está ótima e o espaçamento entre linhas está bom, o livro nos presenteia com várias ilustrações dos personagens que possibilita ao leitor visualizar a história com mais intensidade. Ele é narrado em primeira pessoa, pelas perspectivas de três personagens: Matt, o avô e Aman. Essa é uma daquelas histórias que realmente nos emociona, nos faz refletir sobre a guerra e sobre como é necessário tomar atitudes quando alguém implora ajuda. O único defeito dele é que é bem curtinho, é possível finalizar a leitura em uma sentada. O público-alvo do livro é diversificado, então eu recomendo fortemente para todos, vocês com certeza não irão se arrepender de conhecer essa história fenomenal.

25 comentários:

  1. Oi Amanda,

    Eu estou curiosa para ler esse livro, especialmente porque gosto bastante do gênero em destaque e sua resenha me motivou ainda mais. Gosto de ler livros que abordem a guerra e reflexões a respeito. Acho difícil mesmo não se emocionar! Ah, sou apaixonada por cães também, por isso meu interesse inicial foi por conta da capa mesmo ♡

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho medo de capas com cachorro por motivos de "Marley e eu" sempre penso que vai ter final triste e que vou me debulhar em lágrimas, mas adorei a resenha desse, fiquei com muita vontade mesmo de ler!

    Hey! Da uma passadinha lá no Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho certeza absoluta que qq animal pode mudar a vida de uma pessoa, inclusive já vi acontecer. Livros com animais personagens já tem 90% de chance de serem bons, e mesmo qdo são ruins seriam mto piores sem eles rsrsrs
    Parece ser daqueles livros 'vou pisotear seu coração e vc vai amar' em que eu vou me afogar em lágrimas e não vou conseguir largar o livro.

    http://blogmundodetinta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda, eu conheci esse livro por esses dias e a primeira coisa que me chamou atenção nele também foi a capa. Eu acredito que seja uma leitura forte e emocionante mesmo. Pelo que você falou, eu acho que vou ficar apegada com essa história e quando terminar a leitura vou sentir falta ou ter vontade de reler.

    ResponderExcluir
  5. Faz pouco tempo que ouvi falar do livro e a premissa me chamou a atenção por vários motivos, primeiro por causa da questão da mãe e do filho e por toda a tensão da fuga e também, pelo cenário de guerra, que sempre resulta em histórias tocantes.
    Fiquei já curiosa com toda a problemática que os dois passarão.
    Dica anotada e espero ler em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Amanda,
    Quando vi a capa do livro, também pensei que a protagonista seria a cachorra e, apesar de não ser, acho que isso não torna a história ruim, pois a inserção da cachorra parece mudar a história completamente.
    De início, já havia me convencido a ler o livro, pois adorei a sensibilidade de Matt para com o amigo, que está em uma situação complicada e, nem por isso, deixa o amigo de lado. Também gostei muito do fato de o avô do menino ir visitar o amigo e de dar oportunidade ao amigo de contar sua história.
    Nem preciso dizer que quero muito ler esse livro, não é? Ele parece ser perfeito em todos os sentidos.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Confesso também que a primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa com cachorro. Mas não consigo suportar livros que o cachorro sofre, esse não é assim, né? hahaha mas achei a história muito interessante e deve ser uma grande lição de vida, e podemos compará-la com a situação dos imigrantes pedindo asilo na Europa atualmente. Adorei a dica!
    Beijos.
    htpp://arsenaldeideiasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro e no momento que vi a capa assim como você pensei que o protagonista da história era o cachorro e também não resisto a histórias do tipo. Mesmo o cachorro sombra não sendo o protagonista da história sua resenha me despertou a curiosidade em ler o livro, parece ser lindo. Gosto de quando a narrativa alterna e podemos ver tudo de outra perspectiva como no caso desse livro. Fiquei bem interessada em conhecer principalmente a história de Aman e sua mãe. Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Capas com cachorros sempre me deixam apreensiva, por achar que pode ser uma história triste,e curiosa.Não conhecia esse livro ainda mas pela sua resenha parece ser uma trama linda e extremamente sensível, com um tema bem delicado e atual. Com certeza é uma ótima sugestão de leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Amanda!
    Olhando a capa, também achei que a cachorra seria a protagonista. Mas, ser uma parte importante da história também é válido. Concordo com você: todas as histórias que tem cachorros (ou gatos, ou cavalos, qualquer animal na verdade) envolvidos, mudam a gente., e daquela forma meio total e completamente! Achei bacana que são duas histórias de pontos de vista diferentes, uma dentro da outra. Isso dá ao livro um toque especial. Adorei seu texto e o livro também, anotadinho! Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curte aí!

    ResponderExcluir
  11. O livro também me chamou a atenção logo de cara pela capa, animais em geral dentro de histórias assim me prendem com facilidade. Gostei de saber que mesmo não sendo a ''protagonista'' a cachorrinha tem grande influência na história, que aliás, parece ser muito emocionante e cheia de aprendizado para quem está tendo a leitura. Muito obrigada pela dica, anotadinha. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi!

    Faz tanto tempo que não leio um livro que tenha um cachorro como personagem, eu achei a capa muito linda e fofa HAHAH não tem como não achar né? Além do mais, a história me parece ser muito linda, com muita aprendizagem, muitas formas de deixar o leitor com as emoções e as reflexões ali, tinindo. Espero ler, porque realmente me agrada bastante essa premissa.

    beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda,tudo bem?
    A história realmente parece ser muito envolvente e sempre que leio algum livro, filme, com cachorro envolvido, sempre acabo com lágrimas no fim. Esse realmente chamou minha atenção, com certeza já está na listinha! Realmente a capa passa outras impressões para o leitor, mas, que bom que gostou, adorei sua resenha.

    garotareading.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oii Amanda!!!
    Eu já vi umas centenas de resenhas desse livro e até agora ele realmente não me chamou a atenção, não me entenda mal, também acho que é um livro muito emocionante, e que basicamente todos os livros que tem um cachorro são muito lindos, mas essa leitura realmente não me deu vontade de ler rs... mesmo assim eu já recomendei para muitos amigos que amaram o livro...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Amanda!!!
    Ainda não conheci o livro, e confesso que nem o autor. Mas concordo com você, qualquer história que envolva diretamente ou indiretamente um cão, será emocionante. Sobre tudo se existir alguma guerra como plano de fundo. Fiquei bem curiosa com o enredo, me animei bastante em lê-lo e puder tirar minhas próprias conclusões em relação a história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Nossa Amanda, quase chorei somente de ler sua resenha. Imagine quanto vou me emocionar com a leitura desse livro que até então eu não conhecia mas é claro que já adicionei a minha lista de leituras. Eu também imaginei que a história central fosse sobre um cachorro, mas mesmo com a capa enganando, tenho certeza que a história é incrível.
    Um outro livro interesse sobre o Afeganistão, não sei se você já leu é o caçador de pipas.
    Adorei sua resenha Amanda, parabéns.
    Bj

    ResponderExcluir
  17. Oi Amanda,
    Acredita que o que te fez querer fazer essa leitura é justamente o que me repeliria de imediato, sempre fujo de livros com animais na capa, fico logo pensando que o coitado vai morrer e corro. Ainda mais pelo detalhe do que parece ser um campo de concentração na capa. OLha eu gostei muito da tua resenha e da premissa do livro, a obra parece ter uma história linda e super reflexiva, mas não tenho estado boa pra ler livros tão densos ultimamente, por isso deixo a indicação para mais adiante, beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá!! :)

    PEnsei igual, que a historia fosse principalmente sobre a Sombra, mas nao se prende ai! :) Alias, parte de outro ponto.

    Gostei de conhecer essa historia e fiquei com vontade de ler! :) AS situaçoes de perigo que enfrentaram, o papel da cadela, etc. Nao sei, chamou-me a atençao! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, achei bem interessante essa trama. COm certeza, com essa diagramação linda, vou ficar ainda mais apaixonada pela história. COmo conheço o trabalho da editora, imagino o quanto esse livro desse ser especial.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  20. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu morro de vontade de ler esse livro, eu amo livros que se passam na guerra e que tratam de assuntos emocionantes, e esse desde o princípio já havia chamado minha atenção. Gostei muito da sua resenha e de ver o quanto você gostou dele, pretendo ler em breve!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Eu não conhecia esse livro, e adorei conhece-lo! Assim como você, eu também gosto de animais (cães) nas tramas. Acredito que todo animal tem poder de mudar a vida das pessoas com sua pureza, com seus extintos.
    Associar um cão no cenários de guerra, não pode resultar em algo ruim! Amei sua resenha!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  22. Achei muito legal o livro retratar tantas relações fortes, tanto entre os dois garotos, quanto entre o garoto e seu avô, e o garoto do Afeganistão e a cachorrinha Sombra, que embora não seja a protagonista desempenha um importante papel. Me parece ser um livro repleto de ensinamentos, mas não curto quando incluem fatos históricos na narrativa e acredito que o relato do garoto tenha algo do tipo. Com certeza a história de Aman e de sua mãe tem muito em comum com a de outros refugiados.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  23. Nossa, que livro lindo!
    Nunca tinha ouvido falar dele, mas a capa e toda a proposta da história já me deixaram super interessada! Acho essas histórias tocantes muito importantes, já que fazem as pessoas refletir. Ainda mais em tempos de revoltas lá na Europa justamente por causa de estrangeiros, né?
    Adorei a dica, vou anotar aqui com certeza! :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Imagino que o livro deve teer sido uma história bem densa né.
    Numca li nada que se passase no afeganistão, e confesso que nem sei se tenho coragem, pois imagino que são histórias iguais as que muitas pessoas passam hoje em dia, e que não tem perspectiva nenhuma de melhorar isso.

    ResponderExcluir
  25. Li este livro e amei demais, chorei horrores. É muito emocionante acompanhar a caminhada do Aman e sua mãe, no qual, o cenário torna tudo ainda mais intenso. COm certeza, é um livro que eu faria uma reileitura.

    ResponderExcluir