27 junho 2016

Resenha - Over the Rainbow



E se a Cinderela se apaixonasse por uma garota, e não por um príncipe encantado? Ou se os irmãos João e Maria, homossexuais assumidos, enfrentassem a ira de uma madrasta religiosa que só pensa em curá-los? Ou, ainda, se a Branca de Neve, abandonada numa cidade bem distante de sua terra natal, fosse acolhida por... sete travestis?
Pois pare de imaginar se os contos de fadas fossem revisitados e recebessem uma roupagem LBGTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Abra este livro e confira as clássicas histórias da infância de milhões de pessoas contadas sob a ótica de cinco autores que fazem parte desse universo, representado pelas cores do arco-íris. Ou melhor, contos de fadxs, como reza a nova norma de gêneros.




Livro: Over the Rainbow
224 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Planeta || OndeComprar








Over the rainbow é um livro de contos, por isso requer uma resenha um pouco diferenciada do que costumo fazer. Em primeiro lugar devo falar das minhas impressões gerais.

Assim que vi esse lançamento sendo apresentado pela editora Planeta imediatamente sabia que precisava ler, porque achei a temática de apresentar releituras de contos de fadas com personagens LGBT muito bacana e interessante e algo até mesmo inovador. Então logo que solicitei na parceria e o recebi, apesar de eu ser bastante crítica com livros de contos e ler só de vez em quando, porque poucos me chamam atenção.

O livro é dividido em cinco contos de fadxs, sim, é chamado fadxs porque fadas seria apenas no feminino, e é justamente isso que o livro vem desmistificar e cada conto é escrito por um autor diferente. A leitura é muito rápida e quando vemos o livro já acabou, porém eu esperava de certa maneira mais dos enredos no geral. Boa parte dos contos focou muito em pessoas ricas e isso me incomodou, ou pessoas ricas que começavam amar pessoas pobres. Tudo bem que é uma releitura e nos contos vemos essa riqueza, mas me incomodou de certa maneira. Também fiquei sentindo falta de algo que me impactasse na maioria dos contos, eu gostei, aprendi sobre as temáticas e acho que sim é uma leitura maravilhosa de se fazer mas não teve aquela paixão a primeira vista.

Além disso minha leitura foi em ebook e encontrei poucos erros que não atrapalharam durante minha leitura, e fiquei querendo muito saber o que significaria originalmente Over the rainbow e creio que o título poderia ter sido traduzido também.

Agora comentarei um pouquinho sobre o enredo de cada conto, sem spoilers e o que achei sobre aquele conto especificamente e personagens.

"Antes mesmo do infarto que o matou, a madrasta já indicava que o jeito amolecado de Catarina a incomodava. “Rui, você precisa dar um jeito nessa menina”, vivia dizendo para o marido. “Ela nunca penteia o cabelo, veste-se como um moleque, vive suada com essa bola debaixo dos braços. Isso não pode, tá errado.” O pai de Catarina não falava nada, mas ria e piscava para a garota como quem diz “não liga”. E depois, na cabeceira da cama antes de ela pegar no sono, falava baixinho enquanto fazia carinho em seu cabelo: “Você é a menina mais bonita do mundo. Pode andar como quiser, ser o que quiser; sua beleza nunca vai ser ofuscada porque ela está fora, mas também está dentro”. Catarina ria e no dia seguinte se olhava no espelho. Não desgostava do que via. Sabia que era mais bonita do que a média das meninas de sua idade, sabia que seu corpo começava a ganhar formas femininas que na rua chamavam a atenção, sabia que era amada pelo pai e sabia de uma coisa a mais."

O primeiro conto é chamado de "Mais do que manteiga com mel" e é uma releitura da história de Cinderela, escrito por Milly Lacombe.  O enredo traz Catarina, uma menina órfã que passou a morar com a madrasta e suas filhas após a morte do pai, e a madrasta a odeia e faz de tudo para desprezar e magoar a garota, principalmente pelo fato de ela ser diferente e não gostar de coisas comuns como salto alto, maquiagem e vestidos. Catarina gosta mesmo de meninas, e contrariando tudo o que é esperado de si se apaixona por alguém que é muito próxima da madrasta e alguém que parece não gostar de meninas, então Catarina acaba sofrendo com a intolerância devido ao que ela é e também sofre por sua paixão não correspondida.

Gostei dessa história, embora o forte teor sexual que ela traz tenha me incomodado. Em vários momentos a autora aborda os desejos sexuais e as vezes até os atos que a personagem tem vontade de fazer e achei que em um conto de poucas páginas isso não era necessário. As personagens desse conto que mais me cativaram não foram as principais mas sim Rita e Perdição, as pessoas que se tornam amigas de Catarina e a ajudam nos momentos ruins.

"- Meus filhos são bons meninos. Nunca tiveram notas baixas na escola, apesar de serem meio inconsequentes - os garotos se entreolharam -, mas isso é coisa da idade, logo o juízo e a responsabilidade chegam. Mas sei que nunca faltaram ao respeito com ninguém! Não vejo problema nenhum Maria gostar de outra menina e João de outro menino. Prefiro ter um filho gay a ter um filho ladrão, um filho problemático. João nunca me deu problema. Você é que está me dando problema."

O segundo conto é chamado de O amargo da intolerância, releitura do conto de João e Maria, e foi escrito por Renato Plotegher Jr. Nessa história temos João e Maria, dois adolescentes filhos de um viúvo que casou novamente após a morte da mãe dos seus filhos. João e Maria são adolescentes que estão descobrindo sua orientação sexual e andam as vezes vestidos com roupas masculinas, as vezes femininas e seguem aproveitando sua vida e as descobertas. Porém a madrasta é alguém intolerante e não aceita aquilo que ocorre dentro de sua própria casa, até o dia em que atraindo os dois para uma emboscada, por meio de algo que eles tanto adoravam, alguém tenta fazer com que esses dois mudem e sejam o que a sociedade espera.

Achei esse conto super bacana, até mesmo por essa temática da intolerância religiosa que ele traz e dos preconceitos que são mascarados com justificativas de que as religiões não aceitam. Achei apenas um pouco exagerada a forma como tudo terminou, mas essa sou eu sendo crítica com os contos novamente. Gostei bastante dos personagens principais pois eles apenas viviam suas vidas e jamais incomodavam qualquer pessoa, mas mesmo assim havia essa contrariedade da sociedade em relação a eles por serem o que eram, o que não deve acontecer nunca.

"- Era tudo o que eu mais queria. Mas eu não queria apenas por hoje. Eu quero esse momento dentro de um “pra sempre”, que alinhave uma vida repleta de felicidade."

O terceiro conto é chamado de Atormentado é uma releitura de A Bela e a Fera, escrito por Eduardo Bressanim. O enredo deste conto nos apresenta dois rapazes que são gays. O primeiro, Rodrigo, é decidido e sabe muito bem o que é e o que quer e recebe o apoio dos que estão ao seu redor. Já o segundo, Bruno, não assume sua preferência sexual por ser rico e ter uma forte expectativa sobre si e por ter medo do que irão pensar a seu respeito. Até que o mundo desses rapazes tão diferentes se cruza e cada um terá muito para mostrar ao outro sobre aceitação, sofrimento e amor.

Acho que esse se tornou meu segundo conto favorito. Além de ele ter um final super fechadinho sem deixar muito para a imaginação do leitor sobre o que acontece depois, o que adorei, achei também uma história meiga e de aprendizado. Nas poucas páginas conseguimos acompanhar a evolução dos personagens e a lenta aceitação de Bruno do que ele é e de que não deve ligar para a sociedade, além de eles poderem contar com o apoio das pessoas ao seu redor.

"Os homens dominaram os pacientes com choques, mesmo os que não estavam envolvidos na confusão. Ana saiu do lugar atordoada com tamanha crueldade com as pessoas lá internadas e ainda mais por ver Augusto naquela situação."

O quarto conto é chamado de O Loirinho do joá, releitura do conto de Rapunzel e escrito por Maicon Santini. É a história de Augusto, único filho de um casal da elite carioca  que é gay mas não pode assumir suas preferências para manter a reputação dos pais, então contenta-se em dar muitas festas na mansão dos pais e de ter encontros com garotos aleatórios. Até o dia em que o pai descobre de um dos encontros que Augusto teve e que passa a odiar o filho, ao mesmo tempo que augusto descobre ter uma doença e se vê então perdido.

Esse é outro dos contos que merece aplausos principalmente pela temática do HIV que temos nele, além disso mais uma vez temos as pessoas que são essenciais para apoiar o personagem principal. O final é super bem escrito também mas achei de certa forma uma saída um tanto fácil e felizes para sempre novamente.

"Sempre julgou infeliz quem busca voltar com ex-namorados, e esse era o único paralelo que conseguia fazer com o abandono. Procurar de volta alguém que não quis você era escavar com as mãos um jardim de espinhos, esperando encontrar alguma flor que valesse a pena o sofrimento. Mas seria tudo em vão."

Por fim o último conto, chamado A Ressurreição de Júlia, uma releitura de Branca de Neve, escrito por Lorelay Fox traz Júlia, que queria apenas poder fazer uma cirurgia de mudança de sexo, mas é rejeitada pela madrasta má e abandonada em uma cidade desconhecida, ela fica vivendo na rua por muito tempo, até o dia em que recebe a indicação para ir até a casa de sete mulheres, que logo Júlia descobre que trabalhavam com prostituição. Sendo muito bem acolhida e protegida, Júlia passa a ajudá-las nas tarefas de casa e finalmente se vê em meio a uma família de verdade, mas alguém ainda pretende frustrar seus planos e destruí-la, apenas pelo que ela é.

Está aí meu conto favorito de todo o livro. Em primeiro lugar adorei ele pela temática social que aborda, a temática da pobreza, da fome, do desespero dos moradores de rua, além de trazer a vida de um transexual e também de passar esse sentimento tão intenso de família que Júlia encontra na casa em que é acolhida. Nesse conto não consegui destacar um personagem favorito, pois excetuando os vilões cada um que construiu a história tem seu modo especial de ajudar Júlia e todos me cativaram, além de o final da história ter sido bastante surpreendente.

"O que resta aos moradores de rua, prostitutas, travestis e homossexuais é se juntar, criando algum vínculo de companheirismo e, principalmente, aceitação. Formar entre amigos sua nova família e tentar, como num quebra-cabeça de peças incertas, construir uma imagem que console, acalente e apazigue as cicatrizes dolorosas do antigo círculo desfeito era um dos principais objetivos das sete."

Bom, leitores, está aí um pouquinho de cada conto, espero que gostem e que leiam esse livro, recomendo ele para todos que já conhecem ou que desejam conhecer a temática LGBT, porque além de ser um livro maravilhoso na desmistificação de preconceitos e que nos apresenta uma série de temas importantes e atuais.

20 comentários:

  1. Oi Tamara, não costumo ler muitos livros do gênero, mas gostei de saber um pouco sobre cada conto. Eu já conhecia a capa dessa obra, mas sua resenha é a primeira que leio a respeito e parece ser interessante, especialmente diante da desmistificação de preconceitos. A premissa é ótima, ainda mais diante de releituras de contos de fada com personagens LGBT!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oii...
    To de olho nesse livro a um bom tempo, mostrar contos populares de uma forma diferente e sempre agradável para mim, gostei ainda mais pelo tema abordado, e as criticas que o livro nos trás, essa e a primeira resenha que vejo falando de cada conto individualmente e gostei muito, agora só falta ler para eu tirar minhas próprias conclusões sobre cada um deles né kk
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Tamara,
    Tenho o costume de ler livros sobre LGBT e curto bastante, pois acho que é um tema que precisa ser disseminado e discutido.
    Ainda não conhecia esse livro e, de imediato, lendo suas opiniões e um poco sobre os contos não me senti curiosa para ler, até ler o último, que foi seu favorito. Não sei se foi porque você falou sobre ele com carinho ou o fato de abordar o transsexualismo que fiquei curiosa. Até hoje, não li nada com esse tema central e achei a premissa desse interessante. Se pudesse, leria apenas esse conto.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamara,
    Eu ainda não conhecia o livro e gostei da ideia deles. Acho que os contos devam ser com certeza uma versão bem diferente do que estamos tão acostumados e achei muito curioso e interessante chamarem os contos de fada de contos de fadxs. Fiquei curiosa para conhecer mais sobre cada conto.

    ResponderExcluir
  5. Oi Tamara, eu amo contos, mas não gosto de releituras e nem de princesas, então acho que esta leitura não funcionaria para mim. Mas tenho uma amiga que adora e acho que darei este livro de presente de aniversário dela, por isso, amei a dica.
    Os quotes que você compartilhou me deixaram encantada pela escrita.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Tamara, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas gostei de conhecer. Não sou a maior fã de contos de fadas, mas gosto sempre de conferir as releituras, pois acredito que elas sempre podem trazer algo diferente. E essa com certeza trouxe. Muito legal todas as temáticas que são abordadas. Ultimamente ando procurando mais histórias LGBT para conhecer. E essa parece uma boa pedida. Afinal, ela aborda outros temas como HIV, miséria... Só fiquei meio assim com o primeiro conto. Não gosto muito de histórias mais voltadas para o erótico :P Ainda assim, acho que vou conferir. Como você, não gosto muito de livros de contos, mas as vezes dou chance :)
    Beijos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ola Tamara lindona nos dias atuais onde o preconceito está em alta o que me deixa triste, livros como esse colocam a opção de cada um cada vez mais claro. Confesso que gostaria da tradução do título também, o conto que mais me chamou atenção foi Atormentado pois amo a Bela e Fera, o gato de serem sempre ricos e pobres vai me incomodar também, Pretendo ler em outro momento devido a correria. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu também fiquei muito curiosa com esse livro quando vi o lançamento, e pela sua resenha deu pra perceber que os contos são bem bacanas, mesmo alguns não sendo perfeitos e bem fechados.
    Adorei a abordagem LGBT nas histórias clássicas, e assim mostrando como um simples detalhe de troca de gênero pode mudar tudo, mas que no final ainda podem ser felizes

    ResponderExcluir
  9. Eu sou uma verdadeira apaixonada por releituras de contos de fadas. Já li vários, e sempre tenho boas surpresas. Já vi esse livro em algum lugar, mas não tinha percebido do que se tratava. Adorei essa ideia. Dá um rumo novo e bem contemporâneo pra histórias conhecidas. Gostei da dica.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  10. Olá, Tamara

    Não conhecia o livro e achei a ideia dessa releitura LGBT bem interessante. Nunca li nenhum livro com essa abordagem porque nenhum enredo costumava me interessar, mas aí lançaram Simon vs a Agenda Homo sapiens e eu fiquei bem curiosa pra conhecer, pois falam muito bem do livro.
    Confesso que só me interessei mesmo pela proposta do conto A Ressurreição de Julia, os outros me pareceram bem rasos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Também achei legal esse livro, principalmente por se tratar de contos de fadas reescritos e ainda mais LGBT, nunca li nada assim. Também não sou muito chegada à contos, mas entendo como esse te chamou atenção. A resenha do conto que mais gostei foi "Atormentado" e a "Ressurreição de Julia". Os demais também parecem ser bons também.
    Beijos!
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  12. Oiii!!

    Primeiramente gostaria de dizer que achei ótima essa forma de divulgação do livro.falar do geral e depois de cada conto é ótimo! Parabéns.
    Eu gosto de contos,me ajuda a passar o tempo ou curar ressaca. Por ser releituras dá até pra engolir esse negócio de serem mais ricos e tals, mas me incomodaria um pouco.
    Achei interessante, mas não sei se leria...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Achei bem inovador a forma de recontar os contos de fadas, mas admito que a princípio a proposta não depertou meu interesse. Essa é a primeira resenha que leio de over the rainbow, e agora tendo mais detalhes sobre cada enredo vejo que o livro pode sim me agradar, mesmo que ele não seja tão impactante.
    Achei muito válido ter um contexto envolvendo HIV, fiquei curiosa pra conhecer essa releitura de Rapunzel.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Também sou um tanto crítica com livros de contos, pois não são todos que me agradam.
    Achei a proposta de Over The Rainbow incrível, super inusitada. Já irei colocar ele na minha wishlist, pois apesar dos pesares, como você ter esperado mais dele, a questão das pessoas ricas, e tal, acho que é uma leitura super válida. E o livro abordar temas como intolerância, HIV, acho que torna tudo mais interessante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    É com certeza uma forma inovadora de recontar os clássicos contos de fadas. Porém, não costumo ler contos e quando você disse que em um dos contos encontramos conteúdo desnecessário de fantasias da personagem, percebi que não leria mesmo.
    É legal que você tenha gostado da maioria dos contos e tenha seus favoritos, mas esse livro não funcionaria para mim.

    Abraços, Lara.
    http://imperioimaginario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi ^^

    Este é um livro que com certeza entra para minha lista de desejados URGENTES. Ainda não o conhecia, mas fiquei tão empolgada com a ideia de ler um conto de fadxs com um toque tão importante de realidade, principalmente com personagens LGBT, finalmente eles estão ganhando espaço na literatura \o/

    ResponderExcluir
  17. Oi Tamara, tudo bem
    Eu sou bem suspeita de falar pois adoro livros de contos, e esse tem um tema bem diferenciado né? eu daria uma chance sim ao livro, mais para conhecer um pouco mais sobre a obra e por curiosidade nos contos. Adorei sua resenha e seu ponto de vista!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Tamara *---*

    Não sou muito chegada em contos mas quando vi esse da Planeta achei genial!!!! Desde então estou bem curiosa, suas ressalvas só me deixaram mais curiosa ainda pois sou daquelas que tem que ver pra crer kkkk Nunca li nada LGBT e quero mudar isso muito em breve, e como amo contos de fadas casou certinho <3

    Bjos

    ResponderExcluir
  19. Eu gosto muito de livros baseados em contos de fadas, tenho algumas adaptações do tipo que me deram muito prazer em ler. Mas esse livro é bem diferente de tudo o que já li. Achei bárbara a ideia de abordar a questão da homossexualidade, pois é uma maneira de trazer à tona uma discussão muito relevante na sociedade atual. Adorei a resenha e a dica, certamente lerei a obra!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  20. Oiiiiii Tamaraaaa

    COMO ASSIM ESSE LIVRO EXISTE??????? Meu Deus é perfeição de mais ter contos de fadas Gays. É muito importante estarem dando voz aos LGBTS e mesmo vc não ter gostando tanto assim do livro eu tenho ctz que vou amar <3 O conto que mais me chamou atenção foi o atormentado, amo a bela e a fera e parece ser muito bom bem . Enfim vou comprar e muito obrigado pela dica.

    Bjossssssss
    Everton
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir