15 junho 2016

Resenha - Fiquei Com o Seu Número




A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.

Livro: Fiquei com seu Número
464 páginas || Editora: Grupo Editorial Record || OndeComprar








''Ele é meu companheiro. É meu amigo. Minha família. Meu trabalho. Meu mundo. É tudo. Sinto como se alguém tivesse arrancado de mim os equipamentos que me mantém viva.''

Poppy vai se casar. Daqui a exatos 10 dias ela estará casada para toda vida com o cara perfeito, ela não poderia estar mais feliz. Bom, pelo menos é o que ela pensa até perder o seu anel de noivado.

Durante uma comemoração com as amigas pelo seu futuro casamento, Poppy não vê problema algum em deixá-las experimentar o seu anel de noivado. Por um tempo a situação permanece sob controle e ela até se permite relaxar, o que é difícil já que aquele é um anel de esmeralda valiosíssimo e que pertenceu à avó do noivo. Mas, em um momento de distração, Poppy se afasta da mesa e nesse momento soa o alarme de incêndio. Desesperados, todos saem do salão e ela acaba se perdendo das amigas, quando finalmente se encontram ela se dá conta de que nenhuma delas está com o seu anel.

Após todos saírem do local, Poppy pede ajuda dos funcionários para procurar o seu anel, mas após muito tempo de procura ela começa a perder a cabeça. Após um tempo ela recebe uma mensagem de uma de suas convidadas falando sobre o anel, mas com o sinal ruim Poppy não consegue ler toda a mensagem, ela então decide sair, e é quando ela está com o telefone para o alto em busca de um sinal melhor que um cara em uma bicicleta arranca o celular da sua mão.

Completamente consternada, ela volta para a recepção, mas por ter tirado alguns dos funcionários do sério ela acaba sendo obrigada a esperar outras pessoas serem atendidas. Enquanto espera, ela começa a entrar em pânico e se perguntando como ela vai contar aquilo para Magnus, seu noivo e para os pais dele. Em um determinado momento ela presta atenção na lata de lixo que está ao seu lado e ela encontra um celular. Após decidir ficar com ele e distribuir o novo número para todos os funcionários e amigos.

Só que Poppy recebe a ligação de um homem perguntando sobre sua assistente que deveria estar com aquele telefone, então ela não sabe o que fazer, apenas sabe que aquele celular é a única forma de encontrar o seu anel rapidamente. Então após fazer uma favor para este homem eles entram em um acordo: ela encaminha para ele todos os seus emails e mensagens e ela poderá ficar com o telefone até encontrarem seu anel. Mas depois de ler vários dos emails particulares dele e de trocarem várias outras mensagens, ela se vê bem mais envolvida do que gostaria na vida desse estranho.

''Mas a gente não percebe, não é? O momento surge, a gente comete o erro terrível e ele acaba, e a chance de fazer qualquer coisa já era.''

Poppy é uma personagem divertida, ela não chega a ser irritante como outras protagonistas de Chick Lit. Ela é fisioterapeuta, mas não a vemos trabalhando muito, apenas tendo algum tipo de contato com suas duas colegas de trabalho. Eu percebi que a autora preferiu focar mais na relação dela com os sogros e nas trocas de mensagens entre a Poppy e o Sam.

Muitas pessoas disseram ter favoritado este livro e se divertido horrores, mas eu particularmente, gosto mais de O Segredo de Emma Corrigan,  pois é meu livro favorito da Sophie. Só que confesso que ri bastante durante essa minha leitura, embora eu tenha gostado mais da relação virtual de Sam e Poppy do que da real.

''Quando ele dobra a esquina, eu pego o celular, meio torcendo, meio esperando...
Mas ele fica escuro e silencioso. Permanece escuro e silencioso. E, pela primeira vez em muito tempo, eu me sinto completamente sozinha.''

Não preciso dizer que desde o inicio eu detestei o Manus (noivo da Poppy), tanto que eu nem tenho o que dizer sobre ele, aliás, não há muito o que se dizer sobre a maioria dos personagens. Claro que existem alguns bem cativantes mas a autora não deu muito espaço para eles. E também não ficamos sabendo de quase nada sobre a família dela, o que para mim pelo menos é uma pena, porque queria saber mais sobre a relação dela com os irmãos.

Porém, o romance foi desenvolvido de uma maneira rasa, por isso eu gosto mais da troca de mensagens, são mais divertidas e empolgantes. O livro também conta com um ‘’suspense’’, mas ele não me prendeu muito, obviamente a Poppy quem vai ajudar a solucionar.

Alguns momentos da história eu com certeza trocaria por mais momentos de determinados personagens e mais cenas do passado dela.

''Independentemente do que já aconteceu, a vida é curta demais para não se perdoar. A vida é curta demais para se guardar ressentimentos.''

Eu entendo como as coisas funcionam em Chick lit mas até para um livro deste gênero, eu achei que as coisas foram fáceis demais e as resoluções dos problemas e as relações entre os personagens.  Eu li o livro em ebook e encontrei alguns erros que não chegam a atrapalhar mas você sabe que estão lá.

Uma coisa que foi positivo (pelo menos em alguns momentos) foram as notas de rodapé da própria Poppy, acho que foi o que me divertiu mais.

''Magnus diz que notas de rodapé são para coisas que não são nossa preocupação principal, mas que ainda assim despertam algum interesse. Esta é minha nota de rodapé sobre notas de rodapé.''

Inicialmente eu tinha dado quatro estrelas ao livro, mas conforme fui fazendo a resenha eu comecei a pensar que estava sendo bastante generosa, achei a personagem boa demais, do tipo que faz de tudo para que as pessoas gostem dela e saibam que ela não quer abusar deles, mas no decorrer da história a Poppy precisa fazer alguns confrontos, mas um deles foi tão ridículo que me deu um pouco de vergonha de ler.

''Vi uma garota que vive correndo para ajudar os outros mas não se ajuda.''

Mas no fim é um livro que eu recomendo se você gosta de livros engraçados e leves,embora ele seja grandinho a leitura flui super rápido. Talvez eu apenas não esteja mais na vibe de livros assim desse estilo e por isso eu possa ter sido bastante dura, mas é por isso que eu sempre digo que todos devem fazer as leituras apesar do que dizem para tirar sua próprias conclusões.

''Ninguém quer ouvir histórias sobre coisas ruins. Essa é a verdade.''


18 comentários:

  1. Oi, Janaina!
    Eu já gostei mais do gênero, hoje em dia recorro a livros assim quando quero só me distrair e passar o tempo. Por outro lado, chick-lit sempre me faz pensar em filmes de comédia romântica, que eu adoro e assisto mesmo. Como você mesma disse, esses livros costumam ser mais superficiais mesmo, pena que pra você esse foi raso em excesso.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Oi Janaina, eu adoro esse gênero e especialmente a autora. Infelizmente, ainda não li esse livro, mas ele ainda se mantém na minha lista de desejados.
    Fiquei bem curiosa sobre as notas de rodapé,deve ter dado um ar bem mais dinâmico. Gostei bastante da sua resenha ter sido tão espontânea e sincera ;)
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. escutei falar bastante dele, e bem, dai vc diz que é bom, mas nem tanto, fiquei meio em duvida mas acho que ainda leria, adorei a resenha e a sinceridade ;)
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Janaína
    Tenho muita curiosidade de conhecer a escrita de Kinsella. Me surpreendi com a sua resenha, pois foi muito sincera. Concordo que esse gênero tem essa característica de ser engraçado e a história até rápida, mas tudo tem um limite mesmo. Gostei da forma como você colocou isso e já sei que vou escolher outro livro da autora para ler.
    Muito boa resenha.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  5. Olá Janaina,
    Já aconteceu comigo essa coisa de mudar a nota de um livro conforme ia escrevendo uma resenha e entendo como você se sente.
    Conforme fui lendo sua resenha, fui me decepcionando com a história. Não gosto muito de livros com esse tipo de personagem que faz tudo para ficar bem com todos, é inaceitável pra mim.
    Achei muito ruim o fato de a autora não ter abordado muito todos os personagens e deixado a maioria em 'escanteio'. Fiquei meio confusa em relação ler ou não.
    Parabéns por sua resenha e sinceridade.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiee Janaina ^^
    Eu sempre tive vontade de ler esse livro... Aliás, eu sempre tive vontade de ler qualquer livro da Sophie, pois adoro o gênero e tenho curiosidade de conhecer a escrita dela. É uma pena que o livro tenha sido raso para você, parece tão forçado quando os problemas se resolvem tão facilmente, né? Acho que eu teria dado a mesma nota que você.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Vejo muitas resenhas dessa autora, mas infelizmente não tenho nenhum interesse em seus livros.
    Não sei se foi porque não achei nenhum livro do gênero até agora que eu gostasse, mas chik-lit com certeza não é pra mim, pois acho as histórias fáceis e até mesmo fúteis.

    ResponderExcluir
  8. Jananina, eu curto os livros da Kinsella, mas tbm percebi que meu gosto literário mudou nos últimos anos. Como tem MUITO tempo que não leio chick-lit (e o ultimo q li n gostei) me pergunto se estamos no mesmo barco e qual será nosso problema, será que estamos ficando velhas? rsrsrsrs
    Ele parece bonitinho, do tipo que há alguns anos eu correria para ler, mas agora eu tbm vejo defeitos onde antes eu considerava característca. E não tenho paciência para certas coisas 'fáceis demais'.
    Ele ainda vai ficar na minha lista de leitura mas como nunca foi prioridade vai continuar não sendo ;)

    http://blogmundodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi!

    Eu já li um livro da Sophie Kinsella e não gostei tanto assim. Talvez por conter temáticas mas jovens voltadas para públicos mais jovens, eu acabei não me apegando. O único livro que eu leria é Fiquei com o seu número, então ao ler sua resenha confesso que fiquei um pouco decepcionada, pois esperava algo mais voltado para alguém mais velho e mais adulto. Não gosto de coisas superficiais e rasas, então fiquei bem triste e decepcionada. Mas bem, é aquela coisa, pode ser que eu goste né haha então espero poder ler em breve. Mas agora vou sem muita expectativa. :)

    beijo!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Chick-Lit é um dos meus gêneros favoritos, mas eu nunca li nada da Sophie Kinsella e morro de vontade. Esse é um dos livros que estão na minha lista de futuras leituras, mas confesso que sua resenha me deu uma desanimada, rs :(
    Fiquei um pouco decepcionada por saber que a autora manteve o romance raso e que a personagem seja boa demais, não curto personagens femininas assim.
    Fiquei curiosa para saber que confronto ridículo foi esse, rs.
    Ainda pretendo ler o livro, mas sem dúvidas, irei ler sem expectativas tão altas.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oie Janaina, tudo bom? Eu nunca li nada da Sophie, apesar de querer muito conferir alguns de seus livros. Fiquei com o seu número é um dos que mais me chamam a atenção. Gostei da resenha! E que pena que a autora não soube desenvolver muito bem o romance :/ Além dos personagens... Mas bem, espero ter a oportunidade de ler e gostar da experiência.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!!!
    Tenho esse livro aqui a bastante tempo e até agora não me deu aquela vontade de ler ainda justamente por todos os comentários e resenhas serem "positivas" demais e eu criar expectativa e nem ser tudo isso então deixei a leitura de lado,ele continua na minha listinha de leitura só não sei se pra agora..hahahahah..
    Mas lendo sua resenha não consegui me apegar a nenhum personagem..minha curiosidade é só como ela vai recuperar o anel e se ele realmente vai aparecer mesmo ;)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/06/no-seu-olhar-nicholas-sparks.html#comment-form

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Adoro este gênero e o livro me chamou muita a atenção, especialmente porque Poppy deve ser uma azarada em tudo, heim? hahahaha Gostei muito da premissa da história, deve ser bem leve e gostosinha de ler, e é claro que nós já sabemos como vai acabar, mas com certeza a gente fica torcendo por Poppy e pelo estranho o livro inteiro. Anotei a dica e vou procurar ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Ainda não li nenhum livro da autora, mas parece que sua narrativa é divertida e seus personagens são bem descontraídos, fiquei decepcionada em saber que alguns personagens são completamente irritantes, mas ao mesmo tempo amo livros com trocas de mensagens, parece algo mais próximo com a realidade, onde as pessoas não se comunicam de maneira formal, Poppy parece ser bem divertida e dinâmica, mas aparenta ser uma daquelas personagens que só se mete em confusão e toma decisões precipitadas, espero ler em breve

    ResponderExcluir
  15. Olá Janaina!
    Realmente tem leituras que não funcionam para mim, mas pra outros funciona. eu ainda não li nada da autora por isso não conheço a escrita dela. Amo Chick-lit e esse parece ser bem engraçado. Pena os personagens não serem tão bons quando se conhecem pessoalmente, isso desanima o leitor. Quero muito ler algo da autora, mas esse não seria a minha escolha.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  16. Oi Janaina, tudo bem?
    Que pena que você não curtiu o livro tanto assim. Eu sou apaixonada por chick-lit e sempre ouvi falar bem dessa obra. Mesmo assim ainda quero dar uma chance ao livro e ver o que eu acho dele, talvez eu goste. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/?m=1

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que tenho curiosidade com essa autora, mas ate hoje não li nada, só que toda vez fico animada com uma dica, embora não o suficiente para ler. Bom, esse livro parece ser divertido mesmo, mas não gostei de saber que o romance é raso e saber que as coisas foram fáceis demais também não me deixa empolgada. Enfim, não é uma leitura que farei, mas gostei bastante da sua resenha.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Oi Janaina,
    estava louca para ler esse livro, porque já havia lido inúmeras resenhas positivas, então comprei e iniciei a leitura, cheia de expectativa, mas simplesmente não fluiu, eu amo livros do gênero, mas esse eu abandonei bem no comecinho, ainda tenho um grande peso na consciência por isso e pretendo lhe dar uma nova chance e quem sabe eu não aprecie os elementos positivos que você destacou, não é mesmo? Não não sei quando poderei pegá-lo de novo.

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir