20 maio 2016

Especial - Conhecendo os Autores... [15]



Oi gente! Como vocês estão? Recentemente eu li O Malabarista e fiquei tão encantada com o enredo que assim que conclui a leitura ainda estava com ele na cabeça e com a curiosidade aguçada para conhecer mais sobre o autor que o escreveu. Convidei então o Alessandro para nossa coluna conhecendo os Autores de hoje.



Eu nasci em Salvador, Bahia, em 1970. Sou leitor desde os 7 anos de idade, um amante da literatura desde os 11, e desde os 16 escrevo alguns contos e crônicas. Cursei Arquitetura na Universidade Federal da Bahia, atualmente curso História na Universidade Estadual da Bahia. Ler e escrever são dois dos grandes interesses e prazeres de minha vida. "O Malabarista" é o meu primeiro Romance, publicado pela Editora Novo Século. Atualmente resido na cidade de Jacobina, região baiana da Chapada Diamantina".








O velho Heitor presenciou muitos fatos incríveis ao longo dos seus 82 anos de vida. Mas a chuva que caiu naquela noite sem nuvens foi uma grata surpresa, pois permitiu-lhe conhecer o jovem Matheus, com quem inicia uma grande amizade. Os dois encontram-se nas noites seguintes, e Heitor passa a compartilhar com o amigo sua impressionante história.Heitor nasceu e cresceu na mansão onde sua mãe, Maria, trabalhava como cozinheira. Sua vida se limitava aos fundos da casa, onde ficavam os quartos dos empregados Deti, o jardineiro, e de Valdelice, a arrumadeira. Seus patrões eram o casaI Alberto e Tereza, que tinham três filhos: Paulo, Maurício e Caroline.Acontecimentos imprevisíveis, secretos e até mesmo espirituais permeiam o lugar, no qual um garoto malabarista aparece para Heitor frequentemente. O decorrer da vida de Heitor é de intensa busca, viagens e deslocamentos, numa trajetória repleta de situações surpreendentes, fatos marcantes e reveladores, que o conduzem a significativas descobertas sobre o sentido da vida.





ENTREVISTANDO * ALESSANDRO PITHON*



1-Conte um pouco sobre quem é Alessandro Kruschewsky Pithon?

Sou baiano de Salvador, leitor desde os tempos juvenis e eterno apaixonado pelos livros. Ingressei em Arquitetura, na Universidade Federal da Bahia, mas deixei o curso quando faltava um ano para me formar. Faço História, na Universidade do Estado da Bahia, onde me formarei no ano que vem. Aprecio as artes de uma forma geral, principalmente o Cinema e a Literatura. Tenho duas filhas, Caroline e Giovanna. Atualmente resido na cidade de Jacobina, região da Chapada Diamantina, Bahia.


2- Recentemente li seu livro “O Malabarista” e fiquei completamente encantada com a história de Heitor e gostaria de saber no que se inspirou para escrever essa história tão linda?

Quando eu trabalhava como gerente de um cinema aqui de Salvador, voltava para casa caminhando e sempre passava por um senhor sentado no banco de uma praça. Até que em uma dessas noites nos conhecemos, tornamo-nos amigos e passamos a conversar nas noites seguintes, e nesse mesmo banco da praça, esse senhor acabou me relatando a sua impressionante história de vida, na qual me baseei para escrever “O Malabarista”.


3- Em “O Malabarista” eu vi que além de uma história de amor e superação, é uma história principalmente de fé. Você tem alguma religião? Acredita que a fé é o que realmente nos move e nos faz seguir adiante mesmo diante das dificuldades?

Somos humanos e vivemos impregnados de todo tipo de sentimento, alguns positivos, outros não. A fé é um sentimento que nos faz bem, alimenta-nos a alma, encoraja-nos, enche-nos de esperança. Não possuo uma religião definida, mas tenho interesse pelo estudo do Espiritismo. Acredito numa força maior, a qual chamamos “Deus”, procuro trazer para minha vida os ensinamentos deixados por Jesus Cristo e busco fazer dos meus atos a minha religião.


4- Qual foi o primeiro livro que você leu?

Não sei lhe dar, precisamente com essa informação. Mas naqueles dias de minha vida juvenil fui um leitor voraz de uma coleção de livros chamada “Vaga-Lume”. Lembro-me de “A Ilha Perdida”, “O Mistério do Cinco Estrelas”, “A Mina de Ouro”, dentre outros. Também me marcaram “Meu Pé de Laranja Lima”, “O Menino do Dedo Verde”, “O Príncipe e o Mendigo”.


5- Qual a importância da literatura na sua vida?

A literatura expandiu-me a mente e a alma. Os livros me fizeram crescer, amadurecer, evoluir, tornar-me alguém melhor. Neles encontramos histórias de vida que trazem compreensão, descobertas e força interior. A literatura foi e ainda é, para mim, um presente que a vida me trouxe.


6- Você tem algum ritual ou mania na hora de escrever? Quais?

Costumo acordar muito cedo e esse é o momento que gosto mais de escrever. Preparo meu café e levo para perto do computador. Tenho sempre como companhia um copo com água. Gosto de beber água enquanto escrevo!


7- O mais difícil na hora de escrever: a primeira ou a última frase do livro?

Não que sejam difíceis, mas ambas devem ser cuidadosamente escolhidas. Isso não significa que elas sejam estritamente racionais, tem que estar presente o sentimento do autor com relação à história narrada. A primeira frase pode conquistar o leitor, e a última marcar para sempre aquela leitura.


8- Quais seus livros e escritores favoritos?

Muitos livros e muitos escritores! Sem favoritismo! Mas devo lhe contar uma história que me deixou inesquecíveis um escritor e um de seus livros. Ainda na minha adolescência, quando eu já não queria ler, apenas, aqueles livros juvenis, pedi que um professor de Literatura do colégio onde eu estudava me indicasse um livro de “adulto”. Ele me citou três, de autores brasileiros, e eu escolhi um, levando em consideração o título. Foi “O Encontro Marcado” de Fernando Sabino. Gostei tanto do livro, que nesse momento passei a ler, somente, Fernando Sabino. Li os outros dois romances dele: “O Grande Mentecapto” e “O Menino no Espelho”, além de todos os outros livros de crônicas que escreveu. Com meus 15 anos de idade, era Fernando Sabino o meu ídolo maior! Eu já tinha em minha estante quase 30 livros dele! E foi nessa época que, ao descer a escada rolante de um shopping de Salvador, que ficava em frente a uma livraria, percebi grande movimento no interior da loja. Aproximei-me e perguntei a um dos funcionários o que era aquilo. Ele me respondeu que um escritor estava presente, lançando seu último livro. Sim! Era Fernando Sabino! Estremeci! Não sabia o que fazer! Respirei fundo e decidi! Voltei para casa, coloquei numa sacola todos os livros dele que eu tinha e voltei ao shopping. Comprei o livro que estava sendo lançado e entrei na fila de autógrafos. Quando fique de frente pra ele, entreguei-lhe o livro adquirido e, enquanto ele escrevia a dedicatória, fui tirando da sacola todos os outros e colocando sobre a mesa. Ele tomou um susto! E sorriu muito quando lhe pedi que fizesse uma dedicatória em todos eles! A fila, atrás de mim, só faltou me matar! Fernando Sabino, então, chamou o gerente da livraria e pediu que ele colocasse uma cadeira ao seu lado. Isso mesmo! Passei a tarde e a noite sentado ao lado do meu escritor favorito! E ao passo em que ele atendia à fila, ia fazendo a dedicatória em cada um dos meus livros. Curioso foi que, em cada dedicatória, ele aproveitava o título do livro. Por exemplo: Em “O Encontro Marcado”, aquele primeiro romance que li, ele escreveu: “Ao novo amigo Alessandro, com o encontro sempre marcado com o Fernando Sabino”. Aquilo tudo me emocionou profundamente, o que fez aumentar ainda mais a minha paixão pela literatura.


9- Eu vejo que a literatura nacional vem ganhando cada vez mais espaço. Você acha que finalmente as pessoas derrubaram seus preconceitos em ler nacionais ou ele ainda existe?

A quebra de preconceitos, de todo tipo, faz parte do processo evolutivo da humanidade. Assim acontece, também, nesse exemplo que você deu. A literatura nacional conquistará cada vez mais o seu espaço. Essa é uma tendência progressiva.


10- Qual qualidade você acha essencial em um escritor?

A observação, a sensibilidade, a disponibilidade de compartilhar sentimentos, e a capacidade de perceber que tem muito a aprender.


11- O que você sente quando escreve? Ri, sofre com seus personagens?

Não consigo escrever como se estivesse fora da história. Faço parte dela e, dessa forma, sinto todas as emoções que ela me traz. Ou seja, permito-me viver todos os sentimentos que envolvem aquele texto que eu mesmo estou escrevendo.


12- Quais seus assuntos preferidos na hora de escrever?

Histórias de vida! Busco conhecer diversas histórias de vida, para assim criar os meus romances. Geralmente histórias de força, enfrentamentos e superações. Praticamente em todos os romances já escritos, baseei-me em situações de vidas reais.


13- Suas histórias e textos surgem em lugares inesperados?

Sim. Procuro ser um observador em todos os lugares que esteja. Isso me permite captar situações e acontecimentos que originam ideias para uma nova história.


14- Quais seus projetos e sonhos como escritor?

Já tenho cinco romances escritos, mas “O Malabarista” é o primeiro e até agora o único a ser publicado. Há algum tempo descobri que escrever é o que me faz melhor. Sinto-me feliz e em paz quando escrevo e descarrego meus olhares e sentimentos numa folha em branco. O desejo maior é conseguir viver e sobreviver para e com a literatura.


15- Deixe um recado para os seus leitores:

Mantenham-se leitores por toda a vida! Como nos faz bem ler um livro! Como é gostoso mergulhar naquelas páginas que tanto nos fascinam e nos ensinam! E um dia permita desabrochar o escritor, ou escritora, que existe dentro de você! Desejo muito que “O Malabarista” possa ser, para todos os leitores e leitoras, um livro revelador, encantador, contagiante e inesquecível! E viva a literatura! Parabéns por esse trabalho que você realiza Camila, divulgando o livro e o autor nacional. O Brasil precisa de pessoas como você. Desejo um dia poder conhecê-la pessoalmente.


CONTATOS

Página do autor 

Página do Livro

18 comentários:

  1. Oi Camila, eu não conhecia o autor e nem a sua obra, mas fiquei bem curiosa devido sua empolgação. Adorei a entrevista também e vou procurar mais informações a respeito, ainda mais porque o gênero da trama chama muito a minha atenção. Adoro essa postagem, porque é sempre bom conhecer mais de nossos autores.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Olá, Camila! Tudo bem?

    Eu não conhecia o autor, tão pouco sua obra, mas essa apresentação foi incrível. Muito bacana essa coluna do blog, nos dá uma ótima oportunidade de conhecer novos autores. A sinopse do livro é incrível, e despertou o meu interesse. Espero ter a oportunidade de lê-la em breve.
    Desejo muito sucesso ao autor e ao blog.

    Beijos,
    Dai | Blog Virando a Página

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem??

    Eu não conhecia o autor e nem seu livro... Mas já na primeira pergunta me identifiquei com ele hehe, quero muito fazer história algum dia e atualmente faço cursinho pra entrar em arquitetura na federal da minha cidade! Além de ser apaixonada por todos os tipos de artes também... Acho esse negocia de escrever como uma forma de "descarregar" muito bacana! Volte e meia quando eu não me entendo direito, procuro escrever... Parece que as coisas ficam mais claras, organizadas e eu me sinto mais leve!
    Adoro essa coluna! Sempre bom ver o outro lado do livro hehe

    XOXO
    Umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Nossa, adorei conhecer mais do autor! Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas deve levar a reflexão, gostei do que li na sinopse. Quanto ao autor, deve ter sido incrível conhecer a história do senhor, tanto que se baseou no seu livro. E ainda ele começou a ler livros a partir da coleção Vaga Lume \o/
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  5. Oiii,

    Eu adoro essa coluna do blog! Acho que é uma maneira maravilhosa de conhecer novos autores. não conhecia o Autor mas adorei conhecer mais sobre ele e suas inspirações.sempre ouço falarem sobre a série vagalume, eu tenho vontade de ler.

    Muito simpático! Desejo sucesso e espero ler as obras do autor.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oi, como vai? Eu acho muito interessante esses projetos de entrevistas com autores, fazendo com que o leitor conheça mais sobre a obra e principalmente sobre quem escreve. Nunca ouvi falar sobre ele e nem seu livro mas tenho uma leve impressão de já ter visto seu rosto, então pode ser que eu realmente já conheça, não é? Adorei a entrevista!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Não conhecia o livro e nem o autor, e o livro me parece muito bom e o autor muito simpático. Bacana essa coluna do blog, adorei a entrevista!
    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥
    CD

    ResponderExcluir
  8. Olá!Gostei muito da forma como Alessandro respondeu essa entrevista. A inspiração, realmente acaba por nos mostrar caminhos para escrever, a forma como tornou-se leitor é realmente fantástica e aprender a ler livros como os de Fernando Pessoa faz a diferença para o crescimento pessoal é um diferencial e tanto! Gostei demais e agora pretendo ler o livro, adicionando ao meu Skoob. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Ola Camila parabéns pela entrevista, amei saber como surgiu a história do livro, imagino como foi gratificante conhecer e se tornar amigo de uma pessoa com uma linda história de vida e com certeza merece ser contada. Anda não conhecia o livro, espero poder ler o livro e me encantar como você. Sucesso ao autor. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Que legal saber mais sobre o autor. Eu não conhecia nem ele, nem a obra, mas fiquei encantada com o processo criativo para o surgimento do livro. Muito bacana conhecê-lo!

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Adoro posts com autores, pois acho que assim temos uma oportunidade maior de saber sobre o livro.
    Não conhecia o livro mas achei a trama bem legal; por outro lado, não conseguir identificar os gêneros do livro, mas ele parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?
    Bem, não conhecia o autor nem o livro, mas, fiquei bem curiosa para ler a obra, principalmente pela forma como o autor se inspirou para escrever seu livro. Essa forma de conhecer um estranho na rua e se deixar inspirar é linda! Sobre o autor, parece ser muito simpático, já quero ler seu livro!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  13. Curti bastante poder conhecer mais sobre o autor. Sabe, uma das coisas que mais gostei foi a fala dele sobre a primeira e a última frase, realmente a primeira pode te conquistar e a segunda pode te marcar para sempre. Enfim, amei isso. Ahhhh uma coisa que achei curiosa foi os hábitos que ele tem quando entra em processo de escrever uma história. É bem legal conhecermos esse lado do autor. :)
    Enfim, sobre a progressividade da abertura do espaço nacional, é uma realidade. Mas que está longe do que seria o ideal, isso é um fato. Infelizmente.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
  14. Adorei essa nova coluna aqui do blog... Eu ainda não conhecia o autor e nee suas obras, apesar desse gênero não me agradar muito eu achei o autor bem simpático e atencioso.
    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oie
    uau que legal o livro do autor, eu adorei a sinopse e adorei saber mais sobre ele na entrevista, com certeza despertou muito minha curiosidade e vou anotar a dica, adoro esse tipo de gênero

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Adorei a entrevista!! Amei conhecer o Alessandro, pois não o conhecia nem a sua obra. O Malabarista parece um livro lindo. Adorei a mensagem dele para os leitores <3 Ler faz um bem nadado mesmo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Oi Camila, uau eu não conhecia o autor ainda e nem a obra, e olha que fiquei super intrigada e curiosa para conhecer! adorei a entrevista, assim consegui conhecer um pouco mais de ambos, e curti bastante! meus parabéns!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Camilaaaaaa

    Não conhecia esse autor menina e adorei a atenção que ele teve em responder todas as suas perguntas que por sinal você sempre arrasa na construção Adorei a resposta sobre o rito de escrita dele, bem legal. Tenho vontade de escrever um livro e é bem inspirador ver essas respostas.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir