25 março 2016

Resenha - Queria ver você feliz





HÁ QUEM O CHAME de Eros, Kama, Philea ou Ahava. O Amor, esse personagem mítico, desempenha o papel de narrador na história real do casal Caio e Maria Augusta, pais da autora Adriana Falcão. O Amor se descreve como perfeccionista e obcecado pelos detalhes, nada que o impeça de ser um bocado descuidado com as consequências dos sentimentos que provoca com suas flechas.
Assim, com uma linguagem poética e ao mesmo tempo muito bem-humorada, Adriana revela para seus leitores aquilo que poderia ser descrito como uma história trágica protagonizada por dois personagens atormentados por seus demônios. Apaixonados, Caio e Maria Augusta se casam no Rio de Janeiro da década de 1950 e têm três filhas. Todo o sentimento que eles compartilham não impede que a personalidade exuberante de Maria Augusta se torne mais obsessiva e asfixiante com o passar do tempo, apesar dos medicamentos e dos tratamentos psiquiátricos. Caio, por sua vez, aprofunda uma melancolia que existia nele desde a adolescência, e que culmina nos anos 1970 em tentativas de suicídio.
Mais do que uma história com um final dramático, trata-se de memórias afetivas que alternam momentos de intensa felicidade e outros tantos de dor, como acontece nas melhores famílias.

Livro: Queria ver você Feliz
160 páginas || Skoob || Editora: Intrínseca || Onde Comprar







"NÃO É nem um pouco fácil ser eu.
Quanta coisa é feita em meu nome, quanta coisa é dita, quanta coisa é desfeita e quanta coisa é desdita. Minha onipresença permite viagens indescritíveis, disso não posso me queixar. Minha onipotência me coloca, no entanto, em permanente estado de vigília. Muito me orgulho do meu ofício, você pode imaginar como, mas tamanha responsabilidade me faz todo o tempo viver sob uma pressão quase insuportável. Ocupo um cargo intrincado. Não dá para marcar bobeira. E ainda tem toda a gente a me cobiçar, a esperar demais de mim, a sonhar comigo, a me julgar. Ora sou motivo, ora sou desculpa, ora me veneram, ora me injuriam, ora me agradecem, ora me incriminam.
Frequentemente me desperdiçam, como se eu não fosse raro."

Caio e Maria Augusta se conheceram muito novos. Se apaixonaram. Acabaram se casando. Essa é mais uma história de amor, como milhares que vemos por aí, mas ao mesmo tempo uma história única, carregada de ciúmes, crises, tragédias e felicidades. Uma história que nos é contada pelo responsável por tudo o que aconteceu a partir de maio de 1947, o sentimento tão exaltado, tão aguardado, tão desejado. O amor.
"E só aí o olhar da Maria Augusta cruzou com o do Caio, e a fita da Jeanette caiu no chão.A chuva começou fininha.Eu sou muito louco mesmo."

O amor, sendo um narrador bastante envolvente, conta-nos a história feliz e ao mesmo tempo infeliz de Caio e Maria Augusta. Sua época de namoro, seu casamento. As filhas que vieram. A depressão. A mudança de cidade. A vida em comum primeiro no Rio de Janeiro e depois em Recife. Nessa obra o amor constrói uma trama com a qual todos nós nos identificamos, o desespero, o carinho  e a saudade que compõem uma história a dois. Uma vida longa em conjunto que gerou frutos, Rosina, Patrícia e Adriana, três belas filhas que trazem até hoje dentro de si o exemplo da história de amor vivida pelos pais.

"Creio que é o momento de falar das saudades que sinto de você. Muitas, muitas, muitas, muitas, muitas... (considere mais umas cinco linhas só com a palavra “muitas”).Não tenho mais novidade e apenas saudade de você, meu amor, então despeço-me com um “até logo” que seja o mais logo possível.A luz não tem mundo sem você, graça da minha vida. (Acertei?)"

Com muita maestria, Adriana Falcão, a filha do casal protagonista do livro, escreveu a história dos pais, entremeando as narrações feitas pelo próprio amor e cartas e bilhetes trocados com o passar dos anos. É um livro envolvente, belo, com o qual todos nos identificamos em algum momento. Um livro curto porém inesquecível. Um romance, uma biografia, uma poesia, é difícil definir o estilo da obra, é apenas inevitável declarar que é uma história incomparável.

"Quanto a te animar, meu amor, você já sabe o que eu acho: vale a pena aceitar se realmente a proposta for boa. Pense bem, não se deixe pressionar. Não vá aceitar mixaria, mas também não jogue fora uma boa oferta. Seja qual for a sua decisão, você sabe que eu aceito e só quero ver você feliz."

Esse é um livro difícil de resenhar. É uma história tão bela, tão cativante, tão real que ainda hoje, um mês após a leitura tenho dificuldade de falar dele. Eu não mantinha expectativas em relação a ele, apenas já havia ouvido muitos elogios, então fui sendo surpreendida a medida que virava as páginas e encontrava fragmentos da vida de um casal que viveu intensamente. As observações do narrador, o amor, deram um charme todo especial e interessante para a obra, e ele nos narra tudo em primeira pessoa com bom-humor, melancolia e saudade. As cartas e bilhetes que também estão muito presentes nas páginas nos dão um vislumbre de seres humanos com todos os seus defeitos, além de podermos através disso conhecer um pouco do brasil das décadas de 1940, 1950 até 1980, e encontramos com frequência a descrição das cidades, das roupas e dos costumes. Não tenho nenhum ponto negativo a destacar, a não ser o fato de que eu queria muito mais páginas dessa maravilhosa história.

Os personagens são cativantes por terem sido pessoas reais. Maria Augusta foi uma mulher complicada, cheia de nuances e problemas e Caio foi uma rocha em todo o tempo que estiveram juntos, por quase toda a sua vida demonstrou e deu força para todos que os cercavam, mesmo com as frequentes tentativas de suicídio. As filhas do casal me causaram uma curiosidade a parte, eu gostaria muito de saber mais sobre os pais exclusivamente no ponto de vista das três, como presenciaram as brigas, as mudanças, o suicídio, em fim as diversas fases pelas quais a família passou.

Recomendo o livro incondicionalmente, pois ele  deve ser conhecido por todos aqueles que conhecem o amor. É uma história que me causou angústia, risos, lágrimas e que me fez refletir a respeito de muitos valores presentes na vida e sobre aqueles que são importantes para cada um de nós. É um livro que fala sobre lutar por alguém até o fim e seguir em frente, mesmo com todas as dificuldades.

18 comentários:

  1. Oi Tamara, tudo bem?
    Nossa, o livro é bem curtinho né?! Eu já conhecia a obra, só que ainda não tinha lido nada a respeito. Enfim, gostei bastante do que li, principalmente sobre a parte das mensagens, e eu amo isso em livros. Obrigada pela recomendação.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tamara! Li esse livro recentemente e também fiquei apaixonada. Como você, comecei a ler sem expectativas e fui surpreendida positivamente. A história é muito intensa! E adorei o recurso da autora de usar o amor como narrador, ao invés de escrever a biografia do jeito que já estamos acostumados a ver por aí.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu já havia visto a capa do livro, mas nunca havia me atentado sobre o enredo ou se era nacional. Fiquei bastante surpresa ao saber disso e mais que a história ainda se passaria uma parte em Recife (moro aqui rs), aliás que a autora contava a história dos seus pais. Pensei que era algo totalmente diferente disso!

    Fiquei encantada por sua resenha, se ela me tocou, imagine o livro? Amor sempre rende histórias maravilhosas, ora drástica, emocionante, ora romântica e reflexiva. E esse livro parece ter um pouquinho de tudo, mas de uma forma que cative o leitor. Preciso muito ler esse livro! Quero urgentemente.

    Parabéns pela resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. O livro já me chamou a tenção só me função da filha ser a narradora da história e mesmo sendo "mais uma história de amor", com certeza nenhuma história de amor é igual a outra. Acho que eu teria as mesmas reações que você teve: risos, lágrimas, angustia e prazer. Adorei a dica e espero ler o mais rápido possível!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, não conhecia o livro ou a autora, mas achei a premissa do livro delicado, sensivel e cativante, pois retrata do amor de varias formas diferentes, não só a parte bonita e feliz, mas tambem os altos e baixos de uma relação duradoura. Parece ser um livro encantador e com certeza lerei ele futuramente.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Tamara,
    Que livro mais envolvente!
    Adorei a premissa dele em todos os sentidos. Entendo sua dificuldade em resenhar um livro, já sofri desse 'mal', mas e uma sensação ruim e boa, não acha? Boa porque é um livro tão fantástico que faltam palavras e ruim porque você gostaria de todos lessem.
    A ideia de a filha narrar a história dos pais me conquistou. Já anotei a dica e espero ler em breve.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ooi,
    Sou uma romântica incorrigível então sua resenha me fez ficar desesperada para conhecer o livro. Já faz um tempo que olho ele nas livrarias e tenho vontade de ler, mas agora quero mais ainda! Bela resenha.
    Vitória Zavattieri

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Eu já tinha visto o livro por aí, mas nunca tinha parado para saber sobre o que realmente era. Essa é a primeira resenha que leio, e fiquei muito feliz por se tratar de uma estória emocionante, sou uma romântica (incurável) e adoro estórias de amor, e saber que o amor irá narrar a estória me deixou curiosa para saber como seria isso, o que eu acharia disso. Dica mais do que anotada!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Tamara!
    É tão bom quando o livro mexe com os nossos sentimentos! Aquele livro que não nos deixa indiferente ao que acontece com os personagens. Eu ainda não li esse livro, mas já estou empolgada para conferir essa trama. Só estou a imaginar tudo o que vou sentir durante essa leitura.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Oi Tamara, eu não conhecia esse livro ainda e fiquei super interessada nele, achei que ele tem uma premissa bem diferente e inovadora, que bacana ser narrado pelo amor, da para ver que eu também irei me emocionar muito com ele. Já entrou para a minha lista!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Tamara,

    Acredito muito que essa história seja emocionante e instigante. Eu adorei as coisas que foram faladas sobre a história e principalmente da narrativa. O amor precisa ser contado e representado e a literatura ta ai para isso. Achei a protagonista cativante, pelo o que eu percebi e o narrador-amor também. Quero muito mesmo dar uma conferida nesse livro que parece ser tão lindo quanto sua capa. :)

    ResponderExcluir
  12. Mesmo com tantos elogios a obra, e ser um tanto emocionante, eu não fiquei curiosa em ler a obra por ter uma premissa bem parecida com um livro que abandonei há um tempo atrás, os objetivos são diferentes, mas tem umas semelhanças que para mim não leria o livro tão cedo.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Tamara,
    Eu tô louca pra fazer essa leitura já tem um bom tempo, não só porque eu curti muito a temática da narrativa, mas porque eu queria conhecer a escrita da Mãe da Clarice, um dia vi o Gregório falar tão bem dela e acho ele um cara super inteligente, então imaginei que com certeza valia essa recomendação. Agora lendo a tua resenha tenho certeza de que essa é uma leitura que vale a pena e quero mais ainda poder fazer essa leitura, beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Tamara, tudo bem?
    Fiquei aqui pensando nesse livro... um livro narrado pelo próprio sentimento amor... deve ser uma leitura carregada de emoções e apesar de eu não ter curtido muito o enredo, me senti curiosa com a história em si... na verdade o amor é sentido por várias emoções e acontecimentos... ele nos engrandece e nos traz sentimentos bons, assim como as vezes nos machuca e nos faz voltar atrás em outros momentos... curti essa parte da história e se um dia eu tiver a oportunidade, vou querer me arriscar.. Xero!

    ResponderExcluir
  15. Oie Tamara, tudo bom???

    Eu não tinha visto esse livro ainda. E a sinopse fala que é narrado de uma forma poética, e não é bem meu gênero de livro, mas ao ler sua resenha, eu fiquei interessada pelo livro, você gostou tanto que até me cativou. Achei curioso a narrativa também, e gostei que tem esse toque de humor também, porque deixa a leitura mais leve!

    =)

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Veja, eu nunca tinha escutado falar do livro, e deve ser um pecado meu, pois a autora me parece conhecida, ou não? Enfim, o livro trazer essa "biografia" se é que pode se chamar assim, dos pais dela me deixou no mínimo curiosa. Fiquei ainda mais curiosa com o fata o amor narrar a história e pelas crises que os dois parecem ter com eles próprios. O amor é cheio de mistérios, e eu vou colocar esse livro na minha wish com certeza!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  17. Olá!! :)

    Pareceu-me um bom livro de amor! Ainda bem que gostaste!! :) É muito bom quando os livros nos deixam os sentimentos à flor da pele..

    Ah! E que bons que as personagens são reais, eu também amo isso!! :) Fiquei mesmo curioso depois da sua resenha, embora nunca tinha ouvido falar dele..

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  18. Olá

    Não conhecia o livro, a premissa é interessante e existem bem poucos livros que tratam um casamento dessa forma tão realista, porque por mais que um casamento seja sólido todos eles passam por problemas e dependendo dele o casamento pode acabar, o fato dos personagens serem reais dão mais respaldo a história e realmente se tivesse o ponto de vista das filhas tornaria a história ainda mais rica.


    Bjss

    ResponderExcluir