01 março 2016

Resenha - O Menino do Pijama Listrado




Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Livro: O Menino do Pijama Listrado
192 páginas || Skoob || Editora: Companhia das Letras
|| OndeComprar








O menino de pijama listrado é um livro para emocionar, desses que vai fazer você refletir por horas a fio após concluir a leitura. Eu que não me emociono fácil fui dominada pelas lágrimas, soluços e suspiro como uma criança mesmo.

A estória se passa em Berlim no século passado, na Alemanha nazista. Bruno é um garoto de nove anos, filho de um importante militar nazista e tudo se inicia quando ao chegar em casa ele descobre que sua família estão de mudança para um lugar distante e remoto, onde vai ficar longe dos seus amigos e de sua casa que sempre gostou.

Então quando chega ao local novo, Bruno se decepciona ainda mais em descobrir que a nova casa é menor, que não tem amigos e que não existe nada ao redor para que possa se distrair. Como qualquer criança ativa e curiosa, não demora muito para que o menino vá explorar o território desconhecido de seu novo lar, e então, em uma de suas excursões, ele encontra uma cerca depois dos limites da sua propriedade. Impedido de passar, o menino vai criando suas próprias impressões sobre o lugar, já que se trata de um assunto que não é discutido em sua casa.

Dentro da cerca, que ele pensa ser uma fazenda aonde as pessoas vivem bem e estão sempre usando seus pijamas, como uma espécie de jogo — apesar de sempre parecerem tão tristes! — aos olhos de Bruno, ele conhece um amigo. A cerca que delimita os lados de cada um não impede Schmuel e Bruno de formarem uma amizade, a amizade que tanto um quanto o outro necessitavam. Entre eles, não existem nazistas, judeus, ódio, sofrimento e intolerância: Apenas dois meninos que mesmo tão diferentes, são extremamente parecidos, e desenvolvem uma amizade pura em meio à sujeira do ódio e da dor.


“Todos no campo usavam as mesmas roupas, aqueles pijamas com os bonés de pano também listrados; e todos que passavam pela sua casa (exceção feita à mãe, Gretel e a ele próprio) vestiam uniformes de variadas qualidades e graus de condecoração e quepes e capacetes com grandes braçadeiras vermelhas e negras e traziam armas e estavam sempre com o semblante terrivelmente severo, como se tudo aquilo fosse muito importante e ninguém pudesse pensar diferente. Qual era a diferença, exatamente? ele se perguntou. E quem decidia quem usava os pijamas e quem usava os uniformes?”

O mais incrível no livro é que quando os dois meninos, mas principalmente Bruno que é ingênuo, o autor John Boyne constrói os personagens de forma que vai nos mostrando que para duas crianças não existem diferenças de raças, cor, credo e que existe sim o que podem ter em comum, a amizade e as brincadeiras que podem construir uma com a outra.

O fato do Bruno ser um menino tão inocente e não saber o que está acontecendo e quem são aquelas outras pessoas vivendo do outro lado da cerca é o que nos transporta para dentro do livro e nos emociona. Um trecho do livro que me emocionou e é bem representado pela pureza das crianças é quando Bruno nota que seu novo amigo usa uma braçadeira no braço com uma estrela ( símbolo para identificar os judeus) e comenta com ele que seu pai também utiliza uma braçadeira e faz o desenho da suástica para Schmuel e depois diz que acha tanto a dele quanto a do pai braçadeiras lindas e que ficaria em dúvida em qual usar.

Me surpreendeu a simplicidade ea pureza com com que o autor trata um tema tão forte, no caso o Holocausto. Então já adianto que o final é muito triste, deixa um gostinho amargo na boca, entretanto, achei justo e inteligente o desfecho proposto, pois nos faz refletir, e muito…

Portanto, fica a dica para quem quiser se emocionar com uma bela estória de amizade, inocência e, ao mesmo tempo perturbadora. Quanto á diagramação tenho que dizer que está linda, a capa apesar de simples é muito bonita e contém páginas amareladas e um bom espaçamento.

Um livro que irá realmente te emocionar! Recomendo!

20 comentários:

  1. Oi, Camila.
    Eu já ouvi falar muito bem desse livro, mas até hoje nunca tive a oportunidade de ler. A trama é realmente arrebatadora, emocionante e espero ler em breve. Vejo que vc curtiu bastante e se emocionou, também não é pra menos, visto que o autor toca na ferida e mostra a simplicidade das crianças.
    Gostei muito da sua resenha.
    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Camila!
    Achei esse romance bem escrito, interessante e, finalmente chocante. O autor John Boyne realizou um trabalho de mestre ao retratar o cenário em detalhes vívidos, expondo os acontecimentos de uma maneira que me senti totalmente imersa na história e emocionalmente ligada aos personagens. Linda resenha! Um grande beijo!
    www.starbooks.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Camila, eu não li esse livro, mas morro de vontade de ler. Apenas assisti o filme e me emocionei bastante com o enredo. Que bom que você se emocionou com essa leitura. Adorei a resenha. beijos, Fê

    ResponderExcluir
  4. Oiee Camila ^^
    Gosto tanto do filme desse livro ♥ ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas quero muito fazê-lo, pois imagino que ele seja mil vezes melhor que a adaptação. Gosto muito de histórias que se passam durante a 2ªGM (e de histórias tristes também *-*), então é um livro que eu quero ler já faz um tempão. Fico feliz que você tenha gostado :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie.
    Acho que essa é uma história que todo mundo conhece, ou pelo livro ou pelo filme. No meu caso é só pelo filme, mas desejo muito ler o livro, dizem que é realmente melhor, mais emocionante e tal.
    Eu sou completamente apaixonada por tudo relacionado a segunda guerra mundial, tenho curiosidade de saber como que o autor descreveu com simplicidade as cenas fortes do holocausto.
    O final aaaaaaaa aquele final. Sabe que eu sentia um mix de sentimento? Achava que foi um castigo para o pai, mas poxa, também foi triste de doer o coração.
    Amei a resenha

    http://www.colecoes-literarias.blogspot.com.br/2016/03/resenha-pluvia-entre-segredos-e.html

    ResponderExcluir
  6. Eu li esse livro há um tempo e concordo plenamente com você, a pureza com que o autor constrói os personagens é maravilhosa e o gosto amargo que fica depois de ler. Ainda assim, é um livro fascinante, encantador e arrebatador. O autor me conquistou totalmente com essa obra e recomendo para qualquer pessoa.

    Beijos,
    Mariana Baptista
    https://umavidaporlivro.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Esse livro é um dos que mais me fizeram chorar.
    É incrível mesmo como de forma simples, o autor conseguiu debater temas tão sérios e principalmente mostrar esse ambiente de guerra.
    O filme é idêntico ao livro e vale a pena conferir.
    Adorei a resenha!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  8. Oi, Camila
    Já imagino o final triste desse livro. Sou louca para ler ele há tempos. Adoro todos os livros que abordam o holocausto e sempre me emociono. Gostei de saber que o autor tem grande sensibilidade para tratar desse assunto, porque ele exige mesmo. Adorei a resenha, não vejo a hora de ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá

    Da para acreditar que nunca li nem assisti O menino do Pijama Listrado???
    Pois é, sinto como se fosse uma leitura obrigatória esse livro, só ouço maravilhas sobre o autor e a obra, o que você acaba de me confirmar também, o fato do autor mostrar que não existe extinção entre crianças é louvável. Coloquei o livro na minha meta de 2016, sua resenha só me fez ficar ainda mais curiosa do motivo de todos adorarem.

    Bjos

    Everton
    Equipe Rillismo
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá Camila,
    E como é para emocionar, hein? Lembro que quando li, não consegui me conectar muito a história, nas primeiras páginas, mas, conforme a leitura fluía me encantei com a trama.
    Gostei muito da sua resenha e acho que você soube expor muito bem o que a história representa.
    O Bruno é um personagem que levarei para sempre ♥
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Camilla, pensa na minha felicidade em ver um dos meus livros favoritos da vida, resenhado em um dos blogs que eu mais respeito a opinião? exato, morri de amor pela sua resenha e por esse livro também ter encantado o seu coração. Eu sou uma verdadeira fanática por John Boyne e esse amor todo, se deu por causa deste livro. A originalidade da trama, a inocência da narração e a maneira como ele mostrou que a guerra prejudicou TODOS osa envolvidos, foi muito intensa. Adorei, adorei e adorei a sua resenha!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Eu tenho esse livro na estante, e até já tentei lê-lo, mas sou dessas que acredita en tempo certo para ler determinados livros, e acho que ainda não estou pronta para essa leitura.
    Já li inúmeros comentários positivos tanto para o livro quanto pro filme, mas não gosto muito de livros (ou filmes) com cenários nas guerras, acho eles tão tristes, e por isso evito. Mas, tenho muita curiosidade sobre O menino do pijama listrado, e pretendo ler ainda esse ano.
    Sua resenha está muito boa, e abordou os assuntos certos, que me deixaram com ainda mais vontade de fazer a leitura.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila, eu nunca li o livro mas já assisti ao filme milhares de vezes, e não importa quantas vezes eu assista eu SEMPRE vou chorar muito no final. Acredito que o livro seja melhor que o filme, então nas emoções eu me garanto, ele é uma obra que está na minha lista faz muito tempo, espero ter uma oportunidade de conferir.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Eu sempre quis ler esse livro, mas até hoje eu não o fiz. Eu já assisti o filme elee.emocionou muito, o final foi chorante demais. Não quero nem imaginar o Rio de lagrimas que vai descer se eu ler esse livro. Se você já viu o filme, sabe se tem alguma diferença entre eles? A amizade de Bruno e Schmuel é linda. Acho que vai ser legal acompanhar isso pelo livro.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  15. Oi *--*

    Tenho esse livro parado na estante a tanto tempo que nem me lembro quando comprei, ouço maravilhas sobre ele, mas nunca ,e instigou para ser lido. Sua resenha está espetacular menina!!! Fiquei com vontade de le-lo agora, ainda bem que já o tenho rsrsrrs É muito legal o autor mostrar que entre crianças não há preconceito ou distinção, parece que o ser humano perde essa essência enquanto cresce.

    Bjos

    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá!!! Tudo bem?
    Este foi uns dos primeiros livros resenhando no blog pela Renata e minha filha já leu e assistiu ao filme, eu ainda nada sinto que estou ficando para traz. Só ouço elogios para de público e crítica. A resenha mostra ser uma livro triste, muito emocionante e envolvente. Espero ter a chance de ler e me emocionar.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Esse livro tem temas fortes... Já conhecia a história (mas pelo filme...)! Na verdade, fiquei curioso com o livro e a forma de construção das personagens, que referiu! :)´

    Boas leituras!! ;)
    http://no-conforto-dos-livros.webnode.com/

    ResponderExcluir
  18. Oie!
    Vou ser sincera em dizer que ainda não tive coragem de ler esse livro. Pelo tema abordado, eu sei que vou sofrer muito durante a leitura, e por isso, não consigo criar coragem para ler. Mesmo sendo emocionante e reflexivo, é algo que vou acabar mais sofrendo do que aproveitando a leitura. Vou deixar para outro momento.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  19. Por incrível que pareça, não li o livro e nem vi o filme, embora seja doida para fazer as duas coisas. O filme já está na minha lista do Netflix, e logo o assistirei. Acredito que esse seja um daqueles livros inesquecíveis, dos quais nos lembraremos mesmo depois de anos após termos feito a leitura. Esse tema do nazismo já é muito tocante, envolvendo a amizade de duas crianças, sendo uma judia, torna-se mais tocante ainda. Este é um dos livros que está na minha lista e em breve pretendo lê-lo.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu sempre via esse livro e tinha certa curiosidade sobre ele, mas a história não tinha me interessado até ler a sua resenha. O livro deve ter uma mensagem linda e que faz o leitor refletir. Pretendo ler em breve o livro.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.com.br/

    ResponderExcluir