10 agosto 2015

Resenha - Entre o amor e o silêncio




Francesca Wiggs sofreu uma grande decepção amorosa e, desde então, está decidida a não se relacionar mais. Além de se dedicar a escrever o seu livro, ela resolve preencher os dias com um trabalho voluntário – a leitura para pacientes em coma proporcionaria para ela a distância para problemas com o coração. No entanto, um grande imprevisto ocorre quando ela passa a se sentir atraída pelo paciente. Mitchell, descrito como um poderoso magnata, seria a antítese de tudo o que ela busca em um homem... se não estivesse em coma. Precisar de alguém inconsciente seria um absurdo, não seria? Amar uma pessoa que nunca responde parece loucura! Francesca já havia entendido e sentia-se quase segura diante disso. Mas, e se Mitchell acordasse? A aproximação desses personagens tão diferentes revela um romance encantador e divertido, repleto de reviravoltas. Entre a vida e a morte, a ilusão e a realidade, o amor pode ser realmente o milagre que faz tudo mudar?

Livro: Entre o amor e o silêncio
528 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Novo Século || OndeComprar ||


''A verdade é que nunca se sabe quando a vida mudará por completo. Acordamos pela mnhã, tomamos o café, alguns não tomam; corremos atrás do horário, alguns não tem horário para correr. Fazemos atos repetidos diante do espelho e mantemos os mesmos passos, quase sempre, como se eles fossem a garantia da permanência no seguro porto em que nos encontramos o nosso rosto na parede. É nessa igualdade que nos perdemos. Esquecemos a capacidade da mudança. Continuamos dia a dia a desempenhar pápeis que voam no óbvio ...''

Francesca não consegue acreditar no que está vendo... Afinal como poderia? Depois de finalmente abrir seu coração para os homens e se aventurar com Vince durante três longos anos em mesas, carros, camarins e outros tantos lugares e inclusive discutirem sobre o seu casamento, ela o encontra transando com outra em pleno teatro, em pleno ensaio, a seduzindo da mesma forma como ele a seduziu tantos anos antes. Isso era o cúmulo e quebrou seu coração.

Em tantos, tantos pedaços que ela não consegue sequer pensar em revê-lo, um homem cruel e decepcionante em sua vida já bastava, mas agora havia outro e durante dias ela quebrou a promessa que fez a si mesma quase dez anos atrás, nunca mais chorar por um homem.

Assim tentando focar sua atenção em seu livro e em algo que a faça esquecer do homem que a traiu e machucou, Francesca se propõe a fazer leituras voluntárias para pacientes em coma e acaba por encontrar Mitchell, um mega empreendedor do ramo de investimentos que acabou em coma a poucos dias por causa de um acidente de carro e Meu Deus como ele é lindo, deveria simplesmente ser proibido transitar na Terra com essa aparência, é um atentado as mulheres.

''- Não se culpe achando que vivei uma grande mentira. Nós é que rotulamos como devem ser as relações, os acontecimentos e até mesmo os sentimentos. Já parou para pensar como somos egoístas e prepotentes ao limitarmos a liberdade do amor?''

E os dias passam e Francesca simplesmente não consegue deixar de ir todos os dias ler para ele seu livro, conversar sobre o dia-a-dia, o atualizá-lo sobre grandes e importante coisas acontecendo no mundo e em Nova York e quando ela dá por si... Está apaixonada por um homem que nem mesmo pode lhe responder e pior ainda, está em coma, sem nenhuma garantia de que irá acordar, mas e se ele acordar? Será que ele vai se lembrar dela? Será que alguma parte de seu subconsciente reterá a essência dela?


Narrado em terceira pessoa sob vários pontos de vista pertinentes a estória do livro segue uma grande quantidade de meses, sempre com flashbacks para o passado que explicam algumas atitudes atuais e com deliciosos trechos do livro de Francesca, afinal ela é escritora e está produzindo um livro e nós temos a bela oportunidade de compartilhar da escrita dela e de seus personagens, que do meu ponto de vista eu teria lido mais sobre alguns.

Desde o início eu me senti atraída por este livro, não só por sua capa linda, mas também pela promessa da trama, afinal duvido que vocês não tenham assistido Enquanto você dormia com Sandra Bullock e E se fosse verdade com Resse Witherspoon, e se já assistiram - o que eu recomendo que façam caso não - sabem que há leves toques aqui e ali que remetem esses dois filmes a trama do livro e eu simplesmente adoro esses dois filmes para que eu não me desse a chance de ler esse livro.

E que bom que eu li! Desde o início me vi encantada com a Francesca, principalmente por sua força para lidar com as situações complicadas envolvendo os homens de sua vida - gente adorei a reação dela quando descobriu que estava sendo traída, que estilo menina! -, e como ela segue seu sonho de ser escritora, suas amigas e seu amigo gato e gay - acho que toda mulher devia ter um amigo gay -, assim quando ela entrou na vida de Mitchell eu pensei "Ai, vai ser tão fofinho quando ele se tocar que ela é a mulher da vida dele, quando ele acordar e ver ela...".

''Esse era o problema em não ser gay, mulheres são fodidamente complicadas. Teria que ser abrangente. Podia declamar umas poesias, ou enviar flores, ou fazer todas as coisas que os idiotas apaixonados fazem, Cristo Todo-Poderoso!''

Bom, não é exatamente assim que as coisas funcionam e gostei disso também, de como a Babi mostrou que nem sempre as coisas são fáceis logo de primeira e tudo bem, essa foi a parte mais paradinha do livro, mas super compensa pois quando eles finalmente se encontram, ulalá pessoal, é muito bom, mesmo, Mitchell é o melhor cara! Me fez dar tantas risadas e a Babi conseguiu criar cenas completamente hilárias e perfeitas com esses dois juntos, me senti assistindo um bela comédia românticas do meio para o fim do livro.

''- Nem mesmo beber até cair é possível. - Um breve silêncio. - Mitchell - Francie ouviu-o chamar o próprio nome, em um tom de voz afeminado e afetado -, vá já para o seu quarto.
Ela arregalou os olhos. Ele a imitava? Escutou a continuação.
- Vou te contar uma história de leões e cabras ou carneiros. Raposas o que diabos quer que seja.
Ela levou a mão à boca sufocando uma risada, Mitchell continuou:
- E depois, vou afogar seu telefone e enfeitiçar você e ferrar com a sua cabeça. - Ouviu uns murmúrios de reclamações e uns palavrões mal-humorados. Em seguida, a voz forte dele voltou a afirmar: - Se ela pensa que vai escapar, está muito enganada. Vou amarrá-la na cama. Isso sim.''

Gostei de como ela retratou a alta sociedade de Nova York e do quão entendida do assunto a Babi estava ao escrever sobre economia mundial e o mercado financeiro, não senti nenhuma defasagem e nem mesmo como se ela estivesse enrolando, ela escreveu com certeza e convicção e isso foi um ponto alto. Gostei também sobre os pontos que ela abordou sobre relações e sobre julgar os outros pelo que a mídia publica, foi uma leitura que me levou a vários lugares juntamente do romance.


Resenha - A Herdeira de Hélzius






Alana cresceu achando que era uma garota comum, porém vai descobrir algo que mudará completamente sua vida: Ela pertence a outro mundo! E seu planeta é um lugar habitado por criaturas dotadas de poderes incríveis. Por meio de um portal, que foi misteriosamente aberto, Alana retorna para Hélzius e descobre que há mais detalhes ocultos sobre sua vida do que suspeita. Ao se ver rodeada por seres estranhos, ela percebe que não é bem vinda ali. Além de enfrentar a morte de várias formas, Alana ainda descobrirá seu destino: salvar as pessoas que desejam matá-la. Enquanto ela tenta cumprir o seu destino de ser uma líder enviada pelos deuses para salvar aquele planeta, forças malignas arquitetam um plano misterioso, que vai levá-la numa busca alucinante pelas esferas dos Sete Animais Sagrados.


Livro: A Herdeira de Hélzius
420 páginas || Skoob || Autor Parceiro: L. M Ariviello || Editora: Novo Século || OndeComprar ||