25 dezembro 2015

Marianas - a civilização dos sonhos







O extraordinário amor entre um homem e uma sereia nasce e enfrenta grandes dificuldades em meio à disputa de poder no fundo dos mares, numa civilização amiga cuja existência é negada ou escondida pelos livros de História. Jeremy e Licia operam um no outro grandes transformações de pensamentos e sentimentos, em razão do que vivem, inusitado, intenso e sincero. Embarque com eles nesta viagem da qual certamente você não voltará o mesmo.







Livro: Marianas - a civilização dos sonhos
192 páginas || Skoob ||  Autor Parceiro: E.Cherri Filho || Editora: Giostri ||Onde Comprar

                                                          







Jeremy sempre acreditou que existia vida além da superfície do mar. O ser humano conhecia tão pouco dos oceanos, então era bem provável que criaturas metade-peixe metade-humano estivessem escondidas em algum lugar, certo? Desde pequeno, ele sonhava em encontrar a sua civilização dos sonhos, ou cidade dos sonhos, e era motivo de riso dos colegas e preocupação dos mais velhos.

Em seu peito, ainda mais viva a esperança de encontrar, naquele lugar, algo que somente seu coração poderia detectar.

Já crescido, ele tornou-se um cientista e conheceu alguém que também acreditava em suas crenças, o que os tornou amigos e parceiros. Agora Jeremy tem seu próprio barco e uma importante pesquisa a fazer: ele está nas Ilhas Marianas, e tem certeza de que lá encontrará o que sempre soube que existia. Mas não imaginou que seu sonho fosse realizar-se tão rapidamente.

Ao visualizar algo estranho num de seus mergulhos com o submarino, Jeremy deixa de lado as normas de segurança e sai com apenas o equipamento de mergulho, mas acaba desmaiando por conta da pressão das águas. Quando acorda, enfim, ele encontra a mulher de seus sonhos: Licia, uma líder dos ariatas azuis. Eles logo se apaixonam, mas a presença de Jeremy no fundo do mar é perigosa para os seres que vivem lá, principalmente porque pode quebrar um acordo entre os ariatas azuis e seus inimigos: os vermes vermelhos. E a guerra entre essas duas espécies, que um dia foram uma só, está prestes a começar.

O autor conseguiu criar um passado complexo e sem furos para os personagens, principalmente sobre como desencadeou-se a guerra entre os azuis e os vermelhos, mas, infelizmente, só isso não conseguiu me prender à estória. Encontrei muitos erros de digitação, muitas repetições e até mesmo alguns probleminhas na diagramação, o que conseguiu me deixar confusa. Ex.: o foco estava em Licia e sua amiga, Bella, e, do nada, na linha debaixo, o autor estava falando de outro personagem em uma cena completamente diferente. A editora poderia ter tomado um pouco mais de cuidado com isso.

Você era um estranho completo, mas naquele momento eu daria a minha vida pela sua, se fosse preciso. E eu entendo quando diz que finalmente encontrou o que sempre buscou porque o meu coração diz o mesmo.

Outra coisa que me incomodou foi o fato de não constarem os números das páginas. Nunca li um livro sem número de páginas no topo, na parte de baixo, no centro ou em qualquer outro lugar, e isso me fez sentir um pouco perdida. A escrita do autor também não conseguiu me prender, achei muito parecida com escritas de roteiros e teatros, e realmente não gostei disso.

Gostei do final, fui pega de surpresa e fiquei até com um aperto no coração, pois o autor o escreveu com uma sensibilidade incrível. Acho que foi uma das poucas partes do livro em que eu realmente apreciei a leitura, além do início, que constou uma introdução do autor. O romance de Jeremy e Licia me pareceu um pouco forçado, aconteceu rápido demais (assim como as outras cenas do livro), então eu acabei não engolindo o “amor” deles.

Não consegui gostar de nenhum personagem em especial, não achei que eles foram tão desenvolvidos como poderiam ter sido, e isso me decepcionou um pouco. Outro fator que me deixou desapontada foi ver que Licia não é tão guerreira e corajosa como eu pensei que fosse. Ela tem uns momentos de fragilidades tão bobos que me fizeram desgostar da personagem na hora.

Enfim, a premissa do livro é bacana, mas não foi explorada o tanto que poderia ter sido, e a escrita-teatral do autor deixou a leitura arrastada demais para um livro com menos de duzentas páginas. Talvez você goste desse livro, talvez não, mas para mim não deu.

Espere-me, meu amor, sem medo. Quando menos esperar, eu estarei chegando... Como, quando e onde, eu não sei. Só sei que vou encontrá-la e serei seu para sempre e você será minha eternamente. Como o mar não tem fim, assim nós não teremos.

****




E. Chérri Filho nasceu em São Paulo. Jornalista e escritor, é autor de diversos romances e do roteiro de um documentário sobre o grupo musical Mamonas Assassinas. Trabalhou em veículos de comunicação em Washington, D. C. (Estados Unidos) e em Trento (Itália). Atuou como roteirista junto ao apresentador Fausto Silva e ao diretor de TV Roberto Manzoni, o “Magrão”, no SBT.

Facebook Fanpage do Livro

14 comentários:

  1. Olaa..
    Eu gostei muito da proposta do autor, achei a ideia interessante e com uma capacidade de desenvolvimento, uma pena que teve muitos erros de ddiagramaçãoe revisão isso acaba desanimando um pouco...
    Outro problema é a falta de entrosamento com a escrita do autor que acaba deixando a leitura lenta..
    Infelizmente vou passar a leitura dessa vez devido aos inumeros problemas, pois senti que nao irei gostar da forma que o autor escreve...
    Ótima resenha...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dryh
    Ainda não conhecia a obra, mas é tão triste assim dar uma nota tao baixa para um livro né? Pelo jeito o autor não desenvolveu bem a história, uma pena pois a premissa realmente parece interessante.
    Eu também não me recordo de ler um livro sem o número de páginas...bem estranho! Acho que isso devia ter sido visto pela editora.
    De qualquer forma gostei de saber de sua opinião sobre a obra.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gente, pera aí, como assim o livro não tem número de páginas???
    Mas vamos lá então, olha por tudo o que você falou, eu sinceramente não gostaria desse livro. A história parece ser boa, uma premissa interessante, mas a maneira como o livro é escrito e desenvolvido acho que não foi lá tão interessante assim, fiquei surpresa com todos os detalhes que você mencionou, acho que se eu, por algum motivo que desconheço agora, por acaso lesse esse livro, seria apenas para chegar ao final, pois náo gosto de abandonar uma leitura. Sei que opiniões são diferentes, mas você soube colocar a sua tão bem e explicar exatamente o porque não curtiu, que acho que teria a mesma opinião.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Dryh.
    Eu já li vários livros de sereias e até agora não achei nenhum que fosse ótimo. Esse eu ainda não conhecia e pela sua opinião sobre ele eu não me interessei. Como assim não tem números nas páginas. Quando não tem um marcador por perto, eu memorizo a página, dai fica difícil hehe. E uma dúvida a capa é verde ou azul? hehe

    ResponderExcluir
  5. Olha, já não fui atraída pela capa. Muitas vezes os autores escrevem livros pelo amor que tem por certa coisa, mas realmente não fazem o gosto do s leitores. Eu não curtiria ler um livro sem páginas , por exemplo, já que me perco porque gosto de saber quantas páginas li por dia, mas a questão mais é na história toda. Não me fez o gosto.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Dryh, que pena que o livro não era o que você esperava, eu não conhecia ele então nem sei o que esperaria, mas uma linguagem teatral não consegue me cativar, para mim também é arrastado. Vamos ver se um dia desses dou uma chance para ver o que eu acho. Ótima resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi flor... que pena que a leitura não funcionou para você... é tão chato quando isso acontece. Mas vou ser bem sincera, o livro não me chamou atenção para a leitura. O enredo não me soou cativante, talvez a proposta, mas algo que não foi bem desenvolvido e ainda mais que pode parecer corrido por causa da quantidade de páginas realmente não me atrai, mas cada leitor vê uma leitura de uma forma, pode ser que funcione para outra pessoa. Mas essa questão da diagramação e revisão... pesou bastante no entendimento... isso por si só me irritaria demais... Xero!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Gostei da capa deste livro, achei bem simples e bonita. Quanto a premissa, achei interessante. Uma história de amor entre um homem e uma sereia. Não conhecia o autor, mais uma para minha lista. Haha. Bom, pena que a leitura não funcionou para você, mas acontece. Desejo boas leituras em 2016 e boas festas.

    beijos
    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu não li muitos livros com sereias envolvidas, e os que eu li acabei gostando. Apesar do autor ter se perdido durante o livro, acredito que eu gostaria da historia. Pretendo dar uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  10. Ooi,
    Estou bem curiosa em relação a esse livro e fiquei apreensiva agora em ver que você não se envolveu nele... Realmente, falta de número nas páginas ia me deixar meio incomodada, mas vamos ver o que eu acho dele né?!
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  11. Olá!!

    Bela capa, nunca tinha visto.
    Bom, me pareceu bem interessante a premissa da coisa toda, mas pelo que vc falou, faltou um bom orientador critico para o autor e um desenvolvimento melhor entre ele e a editora. Todos esses pontos que citou, se bem trabalhados em uma equipe competente, pode tornar essa obra incrível! Vi potencial!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  12. Olá flor, tudo bem?

    Bom, não conhecia o livro e até curti a premissa porque curto sereias, seja em filmes ou livros(apesar de ter lido poucos com esse ser), mas suas impressões sobre a história e a falta de cuidado da editora com a parte de dentro do livro, diagramação e ortografia, além de coerência em algumas partes me desanimou total. Passo essa dica. Parabéns pela sinceridade.

    bjs

    ResponderExcluir
  13. Quando entrei na faculdade de teatro e tive que ler vários textos e roteiros achei super estranho o formato e, mesmo autores de grande renome do gênero demoraram para me ganhar, então entendo muito bem o livro ficar arrastado por causa do tipo de escrita. Isso, somado a todos os outros pontos que não te ganharam me faz pensar que foi uma ótima ideia que não foi nem um pouco bem aproveitada. O que é uma grande pena.
    Espero que a editora faça uma revisão melhor para a próxima edição e que o autor continue a escrever já que só assim pode evoluir a escrita - e quem sabe o próximo livro dele te conquiste, não é mesmo?
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  14. Oi,

    Na minha pré-adolescência eu era fascinado por historias de serias/tristões, depois de ter assistido o filme "O 13° Aniversario", mas hoje não sei se ainda tenho o mesmo facinio, e com os erros que a historia tem, não, não leria ela.

    ResponderExcluir